Interface entre Educação Infantil e Educação Especial: estudos sobre o atendimento às crianças na atualidade

Autores

  • Fabiane Fantacholi Guimarães UNOPAR
  • Patrícia Alzira Proscêncio UNOPAR
  • Luciane Guimarães Batistella Bianchini UNOPAR

DOI:

https://doi.org/10.5965/19843178172021e0006

Palavras-chave:

Educação Especial; Educação Infantil; Educação Inclusiva;

Resumo

Este estudo se propôs a identificar pesquisas em programas de mestrado e doutorado relacionadas à interface entre Educação Infantil e Educação Especial. Apresentou-se um breve panorama sobre a Educação Infantil e a Educação Especial em seus aspectos legais e quanto à formação do professor. A partir do procedimento bibliométrico, verificou-se a quantidade de trabalhos, ano de defesa e nível (mestrado ou doutorado). Para busca foram utilizados os descritores: “Educação Infantil” e “Educação Especial”, no banco de dados do Catálogo de Teses e Dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, houve refinamento na grande área de conhecimento: Ciências Humanas. Totalizando o corpus deste trabalho em 13 teses e 45 dissertações. Verificou-se a distribuição temporal das produções científicas de 2004 a 2019, bem como por regiões do país com maior concentração na região Sudeste seguida pela região Sul; por dependência administrativa a maior parte da produção científica foi realizada em IES de nível Federal; os Programas de Pós-Graduação com pesquisas dentro da interface se dividiram em três áreas: Educação, Educação Especial e Educação Escolar e a população de abrangência registrada foi a maioria sobre deficiências de modo geral seguida pela deficiência intelectual e número menor quanto às outras deficiências.

Biografia do Autor

Fabiane Fantacholi Guimarães, UNOPAR

Graduada em Licenciatura e Bacharelado em Pedagogia (2009), Especializações em Psicopedagogia Institucional (2010), Educação Especial (2012), EAD e as Tecnologias Educacionais (2014) e Docência no Ensino Superior (2017). Mestrado em Metodologias para o Ensino de Linguagens e suas Tecnologias (Universidade Norte do Paraná-Londrina - 2019). Integrante dos Projetos de Pesquisa: Estudo do perfil das brinquedotecas em centros municipais de educação infantil brasileiros e Jogos e tecnologias no processo de ensino e aprendizagem (UNOPAR - atualmente).

Patrícia Alzira Proscêncio, UNOPAR

Doutoranda em Educação pela UNESP (2018). Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Londrina (2010). Especialista em Arte-Educação - INSEP (2014); Especialista em Metodologia da Ação Docente - UEL (2008). Cursando Especialização em Dança Educacional (CENSUPEG). Graduada em Pedagogia pela Universidade Norte do Paraná - UNOPAR (2016) e Licenciatura e Bacharelado em Geografia pela Universidade Estadual de Londrina - UEL (1999); Docência no ensino superior: cursos de Pedagogia, Educação Física e Artes Visuais na Universidade UNOPAR - EaD e ANHANGUERA EDUCACIONAL. Coordenação do projeto Iniciação à dança realizado em escolas da rede municipal da cidade de Londrina pela Escola de Dança - FUNCART. É membro do Grupo de Pesquisa: Deficiências Físicas e Sensoriais. Integra o Projeto de Pesquisa: estudo do perfil das brinquedotecas em centros municipais de educação infantil brasileiros (PIC-EaD - Pitágoras Unopar). Atuou como docente e coordenadora de pesquisa na Faculdade Norte Paranaense - UNINORTE (2010 - 2015). Foi membro do Grupo de Pesquisa Gestualidade, Ludicidade e Cultura - GESLUC (2012-2015) e da comissão editorial da Revista Científica Sensus: Pedagogia, foi supervisora pedagógica na FAUEL (2015). Atuou como bailarina do elenco do Ballet de Londrina de 1993 a 2006. Foi coordenadora da Escola de dança da FUNCART de 2009 a 2012 e do Projeto Dança nas Escolas de 2009 a 2013. Estudos com ênfase nos temas: O Ensino de dança na escola; Corpo e movimento; Arte - educação; Formação de professores; Educação Especial e Inclusiva.

Luciane Guimarães Batistella Bianchini, UNOPAR

Docente titutar do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu da UNOPAR- Metodologias para o Ensino de Linguagens e suas Tecnologias.Pós-Doutora e Doutora em Psicologia e Sociedade - linha: psicologia educacional, pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquita Filho e bolsista pela Fapesp. Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Londrina. Especialista em Educação Especial, Estimulação Precoce, Psicopedagogia Institucional e Clínica. Possui graduação em Pedagogia. Experiência na Educação Básica , Superior e pós Graduação na área de Educação, com ênfase em Psicologia do Desenvolvimento, atuando principalmente nos seguintes temas: Perspectiva Piagetiana sobre o desenvolvimento Intelectual, Afetivo e Moral.Fracasso escolar, Práticas educativas inclusivas e intervenções por meio de jogos e diferentes linguagens em ambientes virtuais para alunos com ou sem necessidades educacionais especiais.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDBEN. Lei nº 4024, de dezembro de 1961.

BRASIL. Estatuto da criança e do adolescente. Lei Federal nº 8069, de 13 de julho de 1990.

BRASIL. Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União. Brasília. 23 dez. 1996. p. 27.833-27.841.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil: Introdução. Brasília: MEC/SEF, 1998, vol.1.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Nacionais para Educação Especial na Educação Básica. Brasília: MEC/SEESP, 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil: Estratégias e Orientações para a Educação de Crianças com Necessidades Educacionais Especiais. Brasília: MEC/SEESP/SEF, 2001.

BRASIL. Política Nacional de Educação na perspectiva da educação inclusiva. Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho nomeado pela Portaria nº555/2007, prorrogada pela Portaria nº948/2007, entregue ao Ministro da Educação em 07 de janeiro de 2008. Brasília, DF: Ministério da Educação, [2008]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 14 de maio de 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação Básica. Resolução n. 4, de 2 de outubro de 2009. Institui Diretrizes Operacionais para Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. MEC/SEESP, Brasília: DF, 2009.

BRASIL. Lei nº 12.796, de 4 de abril de 2013. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências. Brasília, 2013.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. (Estatuto da Pessoa com Deficiência).

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Educação Infantil e Ensino Fundamental. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2017.

JANNUZZI, Gilberta de Martino. A educação do deficiente no Brasil: dos primórdios ao início do século XXI. 3. ed. rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

MAZZOTTA, Marcos José Silveira. Educação especial no Brasil: história e políticas públicas. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

MENDES, Enicéia Gonçalves; VILARONGA, Carla Ariela Rios; ZERBATO, Ana Paula. Ensino Colaborativo como apoio à inclusão escolar: unido esforços entre educação comum e especial. São Carlos: EduFSCar, 2018.

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos de. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2013. [recurso eletrônico].

PASCHOAL, Jaqueline Delgado; MACHADO, Maria Cristina Gomes, A história da Educação Infantil no Brasil: avanços retrocessos e desafios dessa modalidade educacional. Revista BR on-line, Campinas n.33, 2009.

SACRISTÁN, José Gimeno. Consciência e acção sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: NÓVOA, Antônio (Org.). Profissão Professor. Trad. por Irene Lima Mendes; Regina Correia; Luísa Santos Gil. 2. ed. Portugal: Porto Editor, 1995.

SILVA, Ana Paula Mesquita da.; ARRUDA, Aparecida Luvizotto Medina Martins. O papel do professor diante da inclusão escolar. Revista Eletrônica Saberes da Educação, vol. 5, n. 1, 2014.

SILVA, Marcia Regina da; HAYASHI, Carlos Roberto Massao; HAYASHI, Maria Cristina Piumbato Innocentini. Análise bibliométrica e cientométrica: desafios para especialistas que atuam no campo. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, USP, v. 2, p. 110-129, 2011.

UNESCO. Declaração Mundial sobre Educação para todos e plano de ação para satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem (Conferência de Jomtien). Tailândia: Unesco, 1990.

UNESCO. Declaração de Salamanca e Enquadramento da acção na área das necessidades educativas especiais. Conferência Mundial sobre Necessidades educativas especiais: aceso e qualidade. Salamanca, Espanha, 1994.

Downloads

Publicado

2021-06-17