Cienciarte ou ciência e arte? Refletindo sobre uma conexão essencial

Autores

  • Anunciata Cristina Marins Braz Sawada Fundação Oswaldo Cruz http://orcid.org/0000-0002-1822-6679
  • Francisco Romão Ferreira Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Tania Cremonini de Araújo-Jorge Fundação Oswaldo Cruz

Palavras-chave:

Ciência, Arte, Criatividade, Ensino, Cienciarte,

Resumo

A relação entre ciência e arte testemunha a reconciliação necessária ao nosso tempo, a fim de que ambas possam partilhar e contribuir com elementos essenciais ao ensino e ao desenvolvimento das sociedades. O ensino, a pesquisa, e o desenvolvimento de tecnologias sociais e educacionais  sobre a relação entre Ciência e Arte na pós-graduação no Instituto Oswaldo Cruz/Fiocruz assumem o pressuposto de que a associação da arte à educação científica possibilitará aos educadores, e aos seus futuros alunos, desenvolver novas intuições e compreensões através da incorporação do processo artístico a outros processos investigativos, construindo um discurso interno e público sobre a relação entre arte, ciência, atividades humanas, e tópicos relacionados a atividades multidisciplinares e multiculturais. As atividades versam sobre temas variados em ciência, saúde e arte, e evidenciam a aplicação do novo paradigma ciênciarte na proposta. Expressam a apropriação do conteúdo debatido ao longo das pesquisas, promovendo o diálogo entre a ciência e a arte, reforçando o conceito “artscience”, ou, em português, “arteciência” ou “cienciarte”.

Biografia do Autor

Anunciata Cristina Marins Braz Sawada, Fundação Oswaldo Cruz

Pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz, Mestre em Ciências pelo Instituto Oswaldo Cruz, Especialista em Ciência das Artes pela Universidade Municipal de Artes de Kyoto – Japão, desenvolve temas ligados a Ciência e Arte, Educação em Ciência, Arte e Cultura na Saúde. Atualmente está vinculada ao Laboratório de Inovações em Terapias, Ensino e Bioprodutos do Instituto Oswaldo Cruz-FIOCRUZ.

Francisco Romão Ferreira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduado em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, com mestrado em Artes Visuais pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, doutorado em Ciências pela Escola Nacional de Saúde Pública e pós-doutorado voltado para o ensino de biociêcias na saúde pelo Instituto Oswaldo Cruz / FIOCRUZ. Na Universidade do Estado do Rio de Janeiro é Professor Adjunto do Instituto de Nutrição, Bolsista no Programa Prociência e professor do quadro permanente do Programa de Pós Graduação em Alimentação, Nutrição e Saúde

Tania Cremonini de Araújo-Jorge, Fundação Oswaldo Cruz

Formada em Medicina pela UFRJ (1980 ) e Pesquisadora Titular em Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz desde 1983. Concluiu Mestrado e Doutorado em Ciências (Biofísica) pela UFRJ e fez Pós-doutorado em 1989-90 na Bélgica (ULB) e na França (Inserm). Atua nas áreas de inovações em doenças negligenciadas, farmacologia aplicada e ensino de ciências, com foco em criatividade e artscience. Foi Diretora do Instituto Oswaldo Cruz (IOC) de 2005 a 2013 (eleita e reeleita, primeira mulher em 105 anos), com diversas iniciativas inovadoras em gestão participativa. Atualmente é coordenadora da Área de Pós-Graduação em Ensino na CAPES e membro do seu Conselho Técnico Científico do Ensino Superior. Na Fiocruz é chefe do Laboratório de Inovações em Terapias, Ensino e Bioprodutos do IOC. Publicou mais de uma centena de artigos em periódicos especializados, organizou 4 livros e redigiu mais de 20 capítulos em livros publicados. Organizou diversos cursos, oficinas e programas de ensino e possui produtos tecnológicos registrados para proteção de direitos autorais, processos e técnicas sistematizadas. Ministra desde 2000 a disciplina "Ciência e Arte" no IOC, além de outras em suas demais áreas de competência. Atua como consultora e parecerista da OMS/TDR, do Ministério da Saúde/Decit, de agências estrangeiras, do CNPq e de Fundações de Apoio a Pesquisa em diversos estados brasileiros. É membro do corpo editorial de periódicos científicos no Brasil e no exterior e parecerista regular em revistas nacionais e internacionais. Em suas atividades profissionais participou de diversos eventos no exterior e no Brasil, e interagiu com centenas de colaboradores em coautorias de trabalhos científicos. Orientou integral ou compartilhadamente a formação de docentes e cientistas registradas em dezenas de dissertações de mestrado e teses de doutorado, além de trabalhos de iniciação científica e de conclusão de curso. Recebeu homenagens e prêmios, com destaque para o prêmio Baldacci 2012 de pesquisa em doença de Chagas. Formulou e coordenou a implantação da Pós-graduação em Ensino de Biociências e Saúde, onde é docente permanente. Orienta também na PG em Biologia Celular e Molecular e em Medicina Tropical do IOC-Fiocruz e no Mestrado Profissional em Diversidade e Inclusão da UFF. Atua no desenvolvimento de materiais educativos e de tecnologias sociais articulando ciência, arte, saúde e alegria.

Referências

ARAÚJO-JORGE, T.C. (org.) Ciência e Arte: encontros e sintonias. Rio de Janeiro: Editora SENAC, 2004.

ARAÚJO-JORGE, T.C., BARBOSA, J.V., LEMOS, E.S. A implantação da Pós-graduação em Ensino em Biociências e Saúde (PG-EBS) na Fundação Oswaldo Cruz: experiências, lições e desafios. Revista Brasileira de Pós-Graduação 2006; 3(5): 87-106.

BAYER, R. História da Estética. Lisboa: Editorial Estampa, 1995.

BURKE, P. Uma história social do conhecimento: de Gutenberg a Diderot. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

COSTA, C. Questões de Arte: o belo, a percepção estética e o fazer artístico. Rio de Janeiro: Moderna, 2004.

DE MEIS, L. O Conflito entre a Ciência e a Arte - A dicotomia; conceitos e preconceitos entre os estudantes; criatividade artística versus criatividade científica. In O Conflito Humano-Tecnológico. Ciência e Educação; Rio de Janeiro: Grafitex, 1998.

DELEUZE, G. O que é a Filosofia. Rio de Janeiro: Editora 34, 1992.

FERREIRA, F.R. Ciência e arte: investigações sobre identidades, diferenças e diálogos. Revista Educação e Pesquisa 2010; 36 (01): 261-280.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

JIMENEZ, M. O que é Estética. São Leopoldo, RS: UNISINOS, 1999.

KLUCHNIKOV, B., “Education and Learning for the 21st Century: A Priority Agenda” in “Information Paper for the International Commission on Education for the 21st Century,” UNESCO, 5th version, p. 8, June, 1992.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. (SILVA, C.E.F., SAWAYA, J. - trad.) 2 ed. São Paulo: Cortez, Brasília, DF: UNESCO, 2000.

PESSOA, F. Poesia Completa de Álvaro de Campos. São Paulo: Companhia de Bolso, 2013.

RONAN, C.A. História Ilustrada da Ciência–Universidade de Cambridge. Rio de Janeiro: Zahar, 1987.

ROOT-BERNSTEIN, R., ROOT-BERNSTEIN, M. Centelhas de Gênios: Como pensam as pessoas mais criativas do mundo. São Paulo: Nobel, 2001.

____________________, SILER, T., BROWN, A., SNELSON, K., “ArtScience: Integrative Collaboration to Create a Sustainable Future” in LEONARDO, Vol. 44, No. 3, p 192, Cambridge: MIT Press, 2011.

ROSA, L. P. Tecnociências e Humanidades: novos paradigmas, velhas questões, v. I. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

RUSSEL, B. História do pensamento ocidental. Rio de Janeiro: Ediouro, 2003.

REIS, J.C.; GUERRA, A.; BRAGA, M. Ciência e arte: relações improváveis? História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 13, p. 71-88, Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2006.

SILER, T. “The ArtScience Program for Realizing Human Potential” in LEONARDO, Vol. 44, No. 5, pp. 417–424, Cambridge: MIT Press, 2011.

SNOW, C.P. As duas culturas e uma segunda leitura. São Paulo: Edusp, 1995.

Downloads

Publicado

2017-12-01