Quando escrever é mover: por uma (des)educação performativa na escrita acadêmica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102442022e0103

Palavras-chave:

escrita, corpo (artes), educação, performance

Resumo

Este relato de experiência refletiu sobre a construção de práticas de produção acadêmica contra hegemônicas no bojo das vivências de pesquisa em uma Universidade Pública. Ancoradas no corpo e nas subjetividades de quem escreve e lê como pressuposto para uma escrita estesiada, analisou-se experiências ancoradas no conceito de escrita performativa, relacionando-o à convocação de presença no corpo pela linguagem artística da performance a produzir (in)disciplinas para uma (des)educação. Pela ampliação da noção de escrita, tomando-a como experiência articulada a outras materialidades artísticas que possam operar de modo performativo, o texto moveu-se em busca do que pode vir a ser uma escrita acadêmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adrianne Ogêda Guedes, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRO)

Doutora e Mestra em Educação pela Universidade Federal Fluminense - UFF, Niterói, RJ. Especialista em Alfabetização pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, Rio de Janeiro, RJ. Pedagoga pelo Instituto A Vez do mestre da Universidade Cândido Mendes, IAVM, Rio de Janeiro, RJ.

Carolina Cony Dariano da Rosa, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Mestranda em Educação na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro, RJ. Graduada em Licenciatura em Dança pela Faculdade Angel Vianna  (FAV), Rio de Janeiro, RJ.

Virna da Silva Bemvenuto, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Licenciada em Educação Artística - Artes Plásticas pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Rio de Janeiro, RJ. É artista multimeios, arte-educadora, professora de artes visuais.

Vitória da Silva Bemvenuto, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Mestranda em Educação na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro, RJ; Bacharela em Educação Física pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ; Professora de Yoga pela Tradição de Krishnamacharya.

Referências

ALICE, Tania. A diluição das fronteiras entre as linguagens artísticas. In: Tânia Alice (Org.). Manual para performers e não-performers: 21 ações para produzir felicidade. Rio de Janeiro: Multifoco, 2020, p. 93-102.

AUSTIN, John Langshaw. Quando dizer é fazer - Palavras e Ação. Trad. de Danilo Marcondes de Souza Filho. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990

BONDÍA, Jorge Larrosa. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. In: Jorge Larrosa (Org.) Tremores: Escritos sobre experiência. Belo Horizonte: Autêntica, 2021, p. 15-34.

DUARTE JUNIOR, João Francisco. O sentido dos sentidos: a educação (do) sensível. 2000. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2000.

FALS BORDA, Orlando. Una Sociologia sentipensante para a América Latina. Buenos Aires: CLACSO, 2015.

FOUCAULT, Michel. O corpo utópico, as heterotopias. São Paulo: N-1 Edições, 2013.

GUEDES, Adrianne Ogêda; RIBEIRO, Tiago. Revelar-se ou ocultar-se? Apontamentos para pensar uma pesquisa educativa. In: Adrianne Ogêda Guedes e Tiago Ribeiro (Orgs.) Pesquisa, alteridade e experiência: metodologias minúsculas. Rio de Janeiro: AYVU, 2019, p. 19-46.

HOOKS, bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. 2. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2017.

ONO, Yoko. Grapefruit: A book of Instruction and Drawings by Yoko Ono. New York: Simon & Schuster, 2000.

PATZDORF, Danilo. Artista-educa-dor: A somatopolítica neoliberal e a crise da sensibilidade do corpo ocidental. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 40, p. 01-28, 2021. Acesso em: 13 jan. 22. DOI: 10.5965/1414573101402021e0101.

PHELAN, Peggy. Ontología del performance: representación sin reproducción [1993]. In: TAYLOR, Diana. FUENTES, Marcela (org.). Estudios Avanzados de Performance. Trad. Ricardo Rubio, Aleita Bixio, Ma. Antonieta Cancino, Silvia Peláez. Ciudad de México: Fondo de Cultura Económica, 2011, p. 91-121.

SABER DE MELLO, Ines.; AGUIAR, Franciele Machado de; BELCHIOR SANTOS, Jussara.; PEDROSO DE OLIVEIRA, Luane.; BITENCOURT, Matheus Abel. Lima de; FRANZONI, Tereza. O que é escrita performativa? DAPesquisa, Florianópolis, v. 15, n. esp., p. 01-24, 2020. Acesso em: 13 jan. 2022. DOI: 10.5965/1808312915252020e0015.

Downloads

Publicado

2022-09-26

Como Citar

GUEDES, A. O.; ROSA, C. C. D. da; BEMVENUTO, V. da S.; BEMVENUTO, V. da S. Quando escrever é mover: por uma (des)educação performativa na escrita acadêmica. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 44, p. 1-20, 2022. DOI: 10.5965/1414573102442022e0103. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/21556. Acesso em: 9 dez. 2022.