CLUBE DE CIÊNCIAS: A IMPORTÂNCIA DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA NA FORMAÇÃO DOCENTE DE GRADUANDOS DE LICENCIATURA EM QUÍMICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/259464124162

Palavras-chave:

Clube de ciências, Ensino de ciências, Espaço não-formal, Formação inicial.

Resumo

O uso de espaços não formais de aprendizagem para o Ensino de Ciências pode ser feito por meio de clubes que visam à discussão de temas com caráter científico. Os clubes de ciências acabam se tornando benéficos tanto para os alunos participantes, os quais passam por um processo de construção e assimilação científica, quanto para a formação inicial docente, uma vez que o uso dessa metodologia alternativa pode contribuir para a sua futura atuação em sala de aula. Desse modo, este trabalho disserta acerca das experiências vividas por graduandos do curso de Licenciatura em Química, enquanto bolsistas do PIBID, destacando a sua atuação como organizadores e monitores das atividades de um Clube de Ciências para alunos do Ensino Fundamental II de uma escola pública. Nessa proposta, com presença facultativa, promoveram-se discussões sobre os temas presentes no cotidiano, relacionando os conhecimentos prévios dos alunos com novos conceitos desenvolvidos. Já no que se refere à formação inicial dos graduandos, percebeu-se que uma prática docente eficiente não está relacionada exclusivamente com o uso de um laboratório e atividades experimentais, mas também na qualidade de abordagem dos conteúdos pedagógicos e pelas discussões promovidas, de forma a se buscar uma contextualização maior significação dos conceitos utilizados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edemar Benedetti Filho, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

Professor Adjunto I pela Universidade Federal de São Carlos junto ao Departamento de Física, Química e Matemática, na área de Educação em Química.

Letícia Asheley Gomes, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

Graduanda em Licenciatura em Química

João Marcos Soares Maia, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

Graduando em Licenciatura em Química

Gabriel Moraes Reche Martins, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

Graduando em Licenciatura em Química

Caio Felipe da Silva Barreto, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

Graduando em Licenciatura em Química

Referências

ALMEIDA, W. N. C.; MALHEIRO, J. M. S. A experimentação investigativa como possibilidade didática no ensino de matemática: o problema das formas de um clube de ciências. Experiências em Ensino de Ciências, v. 14, n. 1, p. 391-405, 2019.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2001.

BENTO, A. V. Investigação quantitativa e qualitativa: Dicotomia ou complementaridade?. Revista JA (Associação Académica da Universidade da Madeira), v. 64, n. 7, p. 40-43, 2012.

BORGES, R. M. R. Em Debate: Cientificidade e Educação em Ciências. 2ª ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2007.

BRICCIA, V. Sobre a natureza da Ciência e o ensino. In: Anna Maria Pessoa de Carvalho. (Org.). Ensino de Ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. 1ª ed., São Paulo: Cengage Learning, 2013.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. 4ª ed., Ijuí: Ed. Unijuí, 2006.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5ª ed., São Paulo: Atlas, 1999.

GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de administração de empresas, v. 35, n. 2, p. 57-63, 1995.

LEAL, M. C. Didática da Química: fundamentos e práticas para o Ensino Médio. Belo Horizonte: Dimensão, 2009. 120 p.

LIMA, V. M. R. Clubes de Ciências: Contribuições à formação do educando. Porto Alegre: PUCRS, 1998. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1998.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 13ª ed., São Paulo: Cortez, 2002.

MANCUSO, R.; LIMA, V. M. R.; BANDEIRA, V. Clubes de Ciências: criação, funcionamento, dinamização. Porto Alegre: SE/CECIRS, 1996.

MARTINS, A. P. B.; PORTO, M. B. D. S. M. O ensino e a aprendizagem das ciências da natureza no ensino fundamental II: uma proposta envolvendo a natureza da ciência. Revista Thema, v. 15, n. 3, p. 981-990, 2018.

MENEZES, C.; SCHROEDER, E. Clubes de Ciências: contribuições para a educação científica e o desenvolvimento da criatividade nas escolas. IN: SCHROEDER, E.; SILVA, V. L. de S. Novos Talentos: Processos Educativos em Ecoformação. Blumenau: Nova Letra, 2014.

PRÁ, G. de; TOMIO, D. Clube de Ciências: Condições de Produção da Pesquisa em Educação Científica no Brasil. Alexandria, v. 7, n. 1, p. 179-207, 2014.

SALVADOR, P. M. P. D. Avaliação do impacto de atividades outdoor: contributo dos Clubes de Ciências para alfabetização científica. Dissertação de Mestrado. Universidade do Porto, 2002.

SCHMITZ, V.; TOMIO, D. O clube de ciências como prática educativa na escola: uma revisão sistemática acerca de sua identidade educadora. Investigações em Ensino de Ciências, v. 24, n. 3, p. 305-324, 2019.

TOMIO, D.; HERMANN, A. P. Mapeamento dos clubes de ciências da américa latina e construção do site da rede internacional de clube de ciências. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, v. 21, n. 1, p. 1-23, 2019.

Downloads

Publicado

2021-01-14

Como Citar

BENEDETTI FILHO, E.; GOMES, L. A.; MAIA, J. M. S.; MARTINS, G. M. R.; BARRETO, C. F. da S. CLUBE DE CIÊNCIAS: A IMPORTÂNCIA DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA NA FORMAÇÃO DOCENTE DE GRADUANDOS DE LICENCIATURA EM QUÍMICA. Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura, Florianópolis, v. 4, n. 1, p. 61-75, 2021. DOI: 10.5965/259464124162. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/17527. Acesso em: 6 fev. 2023.