EXPERIÊNCIA DOS ESTUDANTES DE SEMIOLOGIA E SEMIOTÉCNICA EM AULAS PRÁTICAS COM O PACIENTE À BEIRA DO LEITO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965.25946412322019104

Palavras-chave:

Semiologia, Enfermagem, Ensino.

Resumo

Introdução: A formação de profissionais enfermeiros requer um ensino de qualidade, que lhe confira competência na realização de atividades assistenciais, gerenciais, de ensino e pesquisa. Nessa perspectiva, a disciplina de Semiologia e Semiotécnica visa formar enfermeiros capazes de realizar o processo de enfermagem. Objetivo: fazer um relato dos estudantes de semiologia e semiotécnica em aulas práticas com o paciente à beira do leito. Métodos: Este estudo consiste em um relato de experiência de alunos que já cumpriram a disciplina de Semiologia a Semiotécnica com o intuito de socializar as experiências. Resultados: Os alunos relataram individualmente, mas foi realizado um debate entre cinco alunos que vivenciaram a disciplina de Semiologia e Semiotécnica, e entre as falas foi evidenciado que o primeiro contato à beira do leito com o paciente é um momento desafiador, com sentimentos de insegurança ou medo. No entanto, entendemos que é nesse momento que começamos construir a relação ética da relação como enfermeiro-paciente. Ficou evidente para os alunos a importância que é na semiologia que começamos construir o raciocínio clínico para as disciplinas de Enfermagem, como Clínica Médica e Cirúrgica. Conclusão: Considerando as experiências vivenciadas durante a disciplina, o aluno relata que entende a dimensão que consiste o cuidar e que essa disciplina constrói um alicerce possibilitando o agir, o saber e o fazer em Enfermagem.

Biografia do Autor

Thais de Rezende Bessa Guerra, Faculdade Bezerra de Araújo Faculdade São Camilo

PhD em Ciências Cardiovasculares Mestre em Ciências Médicas

Camila Aguiar Machado, Faculdade Bezerra de Araújo

Acadêmica de enfermagem

Eliseu Magalhães Reis, Faculdade Bezerra de Araújo

Acadêmico de enfermagem

Tatiana Aparecida dos Anjos da Cruz, Faculdade Bezerra de Araújo

Acadêmico de enfermagem

Referências

Castro CV. Os Temores na Formação e Prática da Medicina: Aspectos Psicológicos. Rev Bras Educ Med. 2004;28(1):38- 45.

Sayd JD, Silva DA, Pinheiro MPD. O Aprendizado de Semiologia em um Currículo Tradicional. Rev Bras Educ Med. 2003;7(2):104-13.

Araújo D, Peixinho, A. L. Qualitative evaluation in medicine: an experiment in medical propaedeutics at UFBA, 2003. Rev Bras Educ Med. 2006;30(2):20-30.

Quintana AM, Arpini DM. A atitude diante da morte e seu efeito no profissional de saúde: Uma lacuna da formação? Rev Psicologia Argumento. 2002;19(30):45-50.

Lind G. Moral regression in medical students and their learning environment. Rev Bras Educ Med. 2000;24(3):24-33.

Brandon B, Spevak TA, Kassapedis E. Impact of Bedside Teaching Rounds on Patient Perception of Care. New York Medical Journal. 2008;1(2):45-51.

Marques KS, Santana L; Ramalho RF; Alves WA; Nascimento AAF. A Importância do exame físico, para a prática de enfermagem: Uma revisão sistemática. Conacis/ Cajazeiras- mar.2014.

Schmitt MD, Ribeiro MC, Adamy EK, Brum MLB, Zanotelli SS. Contribuições da monitoria em semiologia e semiotécnica para a formação do enfermeiro: relato de experiência. Cidadania em ação, v. 7, n.1, jan.jun., 2013.

Downloads

Publicado

2019-12-28

Como Citar

BESSA GUERRA, T. de R.; MACHADO, C. A.; REIS, E. M.; BARBOSA, T.; DA CRUZ, T. A. dos A. EXPERIÊNCIA DOS ESTUDANTES DE SEMIOLOGIA E SEMIOTÉCNICA EM AULAS PRÁTICAS COM O PACIENTE À BEIRA DO LEITO. Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 104-110, 2019. DOI: 10.5965.25946412322019104. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/15170. Acesso em: 16 jan. 2021.