Moda e Meia Idade: percepções femininas sobre o produto do vestuário da atualidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1982615x09182016192

Palavras-chave:

moda, meia idade, consumo

Resumo

A dinamicidade do mercado da moda impulsiona diversas empresas do setor a traçar estratégias industriais e comerciais no intuito de se assegurar frente à concorrência. Além disso, a facilidade aos meios de comunicação tem promovido usuários e consumidores mais informados e conscientes sobre suas necessidades e expectativas, o que tem aumentado o nível de exigência sobre determinados produtos, principalmente o vestuário. Nesse sentido, o presente estudo objetivou identificar e discutir a percepção das mulheres de meia idade, com relação aos produtos do vestuário encontrados atualmente no mercado. Evidencia-se a importância do presente segmento de usuárias, uma vez que constituem demanda representativa para o setor da moda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Erica Pereira das Neves, São Paulo State University

Possui graduação em Estilismo em Moda pela Universidade Estadual de Londrina (2008). Tem experiência na área de Desenho Industrial, com ênfase em DESIGN DE MODA, atuando principalmente nos seguintes temas: design ergonômico, design de produto e design de moda. Especialista em Gestão de Negócios na Indústria da Moda pelo SENAI/SP. Mestre em Design pela UNESP (Bauru): linha de pesquisa em Design Ergonômico.

Luis Carlos Paschoarelli, São Paulo State University

ngenharia de Produção (2003) pela UFSCar; Mestrado em Projeto, Arte e Sociedade - Desenho Industrial (1997) e graduação em Desenho Industrial (1994) pela UNESP. É co-lider no Grupo de Pesquisa Design Ergonômico: Projeto e Interfaces onde coordena os projetos de pesquisa: Design Ergonômico: avaliação e intervenção ergonômica no projeto, Design Ergonômico: metodologias para a avaliação de instrumentos manuais na interface homem X tecnologia e Contribuições do Design Ergonômico na pesquisa e projeto de equipamentos para a reabilitação de pessoas com capacidades específicas. Está lotado no Laboratório de Ergonomia e Interfaces - Departamento de Design, onde atua como docente no curso de graduação em Design e do Programa de Pós-graduação em Design da UNESP. Tem experiência na área do design, ergonomia, design ergonômico, design de produto e design gráfico. Atualmente é o coordenador do Programa de Pós-graduação em Design - Mestrado e Doutorado - da UNESP e "Ergonomista Sênior" da ABERGO - Associação Brasileira de Ergonomia.

Referências

ABERGO. Associação Brasileira de Ergonomia. Norma ERG BR 1002 –Código de Deontologia Do Ergonomista Certificado. Outubro, 2003. Disponível em: <http://www.abergo.org.br/arquivos/normas_ergbr/norma_erg_br_1002_deontologia.pdfAcessado em 21 dez 2013.

BARBOSA, M.J.S. (Org.). Passo e compasso: nos ritmos do envelhecer. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção àSaúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Manual de Atenção à Mulher no Climatério/Menopausa/Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. (Série A. Normas e Manuais Técnicos) (Série Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos –Caderno, n.9). Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2008;

CASOTTI, L.; CAMPOS, R.. Consumo da beleza e envelhecimento: histórias da pesquisa e de tempo. In: GOLDENBERG, M. (org.). Corpo, envelhecimento e felicidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011, p. 109-131.

CASTILHO, K. Moda e Linguagem. São Paulo, SP: Editora Anhembi Morumbi, 2009.

CRONEY, J. Antropometria para diseñadores. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, S.A, 1971.

FLÜGEL, J. C.A psicologia das roupas. São Paulo: Editora Mestre Jou, 1966.

GRAVE, M. F. A moda-vestuário e a ergonomia do hemiplégico. São Paulo: Escrituras Editora, 2010.

HALBE, A. F. P. Repercussões emocionais do climatério. In HALBE, H.W. Tratado de Ginecologia. 3ͣ ed. São Paulo: Roca, 2000, p. 198-204.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de Orçamento Familiares 2008-2009: Análise do Consumo Alimentar Pessoal no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2011. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/pof/2008_2009_analise_consumo/pofanalise_2008_2009.pdf>. Acesso em: 12 mar. 2014.

IIDA, I. Ergonomia:Projeto e Produção. São Paulo: editora Edgard Blucher, 2005.

MATTHEWS, K.A. et al. Body mass index in mid-life women: relative influence of menopause, hormone use, and ethnicity. In: International Journal of Obesity and related metabolic disorders: Journal of International Association for Study of Obesity, London, vol. 25, n. 06, 863-873 p., jun. 2001. Disponível em: <http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11439301>. Acesso em: 12 mai. 2014.

ORSATTI, et al. Indicadores antropométricos e as doenças crônicas não transmissíveis em mulheres na pós-menopausa da região Sudeste do Brasil. In: Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia[online], Rio de Janeiro, vol. 30, n. 04, 182-189 p., abr. 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v30n4/05.pdf>. Acesso em 13 jan. 2014.

Downloads

Publicado

2016-07-01

Como Citar

DAS NEVES, Erica Pereira; PASCHOARELLI, Luis Carlos. Moda e Meia Idade: percepções femininas sobre o produto do vestuário da atualidade. Modapalavra e-periódico, Florianópolis, v. 9, n. 18, p. 192–205, 2016. DOI: 10.5965/1982615x09182016192. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/modapalavra/article/view/6619. Acesso em: 24 abr. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)