Espaço(s): configurações na cena brasileira e latino-americana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/14145731023820200001

Palavras-chave:

Imaginação espacial humana, Espaço como fenômeno social, Grafia na cena, Grafia da cena

Resumo

A partir de uma perspectiva historizante, este texto apresenta uma reflexão sobre diferentes imaginações e concepções do espaço cênico. Articula parâmetros científicos e estéticos, socioculturais e antropológicos para refletir sobre as relações entre as situações socioeconômicas e políticas nas quais se encontram o Brasil – e com variantes regionais  os outros países latino-americanos – e os processos de configuração espacial que acabaram de manifestar-se nesse século XXI com cada vez mais insistência. Dessa maneira, evidencia criticamente os contextos conceituais das práticas sobre quais os artigos desse dossiê refletem, e chama atenção à ausência das grandes vozes estabelecidas da cenografia brasileira no discurso refletivo sobre esses processos na cena brasileira e latino-americana do século XXI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fátima Costa de Lima, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Profa. Dra. Curso de Licenciatura em Artes Cênicas e no Programa de  Pós-Graduação em Teatro (PPGT) do centro de Artes (CEART), Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Stephan Baumgärtel, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Prof. Dr. Curso de Licenciatura em Artes Cênicas e no Programa de  Pós-Graduação em Teatro (PPGT) do centro de Artes (CEART), Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

 

Referências

ALIGHIERI, Dante. A divina comédia. Tradução de Fábio M. Alberti. Porto Alegre: LP&M, 2004.

APPIA, Adolphe. Music and the Arts of Theatre. Miami: University of Miami Press, 1962 (publicado originalmente em 1898 em francês).

BENJAMIN, Walter e outros/as. Benjamin e a obra de arte. Tradução de Marijane Lisboa e Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 2012a.

BENJAMIN, Walter. Origem do drama trágico alemão. Tradução de João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

BOWLER, Lisa Marie. Theatre Architecture as Embodied Space. A Phenomenology of Theatre Buildings in Performance. Ph.D. thesis, Faculdade de Filosofia. Ludwig-Maximilians-Universität München, 2015. Disponível em https://edoc.ub.uni-muenchen.de/20310/7/Bowler_Lisa_Marie.pdf. Acesso em: 23 jul. 2020.

CERTEAU, Michel de. A Invenção do Cotidiano. 1. Artes de Fazer. Petrópolis: Vozes, 2005.

CASSIRER, Ernst. “Mythischer, ästhetischer und theoretischer Raum.” (1931). In: DÜNNE, Jörg e GÜNZEL, Stephan. Raumtheorie. Grundlagentexte aus Philosophie und Kulturwissenschaften. Frankfurt/Main: Suhrkamp Taschenbuch, 2006. p. 485 – 500.

DEL NERO, Cyro. Máquina para os deuses: anotações de um cenógrafo e o discurso da cenografia. São Paulo: SENAC/SESC SP, 2009.

DÜNNE, Jörg e GÜNZEL, Stephan. Raumtheorie. Grundlagentexte aus Philosophie und Kulturwissenschaften. Frankfurt/Main: Suhrkamp Taschenbuch, 2006.

EINSTEIN, Albert e INFELD, Leopold. A evolução da física: de Newton até a Teoria dos Quanta. Tradução de Monteiro Lobato. São Paulo: Cia Nacional, 1976.

EINSTEIN, Albert. “Raum, Äther und Feld in der Physik.” (1930) in: DÜNNE, Jörg e GÜNZEL, Stephan. Raumtheorie. Grundlagentexte aus Philosophie und Kulturwissenschaften. Frankfurt/Main: Suhrkamp Taschenbuch, 2006.p. 94 – 101.

HAß, Ulrike. “Von der Schau-bühne zur Architektur.” in: EKE, Norbert Otto et al. Bühne: Raumbildende Prozesse im Theater. Paderborn: Fink, 2014. p. 345 – 370.

HAWKING, Stephen. Buracos negros, universos bebês e outros ensaios. Tradução de Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Rocco, 1995.

HEISENBERG, Werner. Física e filosofia. Tradução de Jorge Leal Ferreira. Brasília: Editora da UnB, 1987.

KOPENAWA, Davi e ALBERT, Bruce. A queda do céu: palavras de um xamã yanomami. Tradução de Beatriz Perrone-Moisés. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

KRENAK, Ailton. Paisagens, territórios e pressão colonial. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, volume 9, número 3, p. 327- 343, julho-dezembro de 2015.

LANDAU, l. D. e RUMER, Iu. B. O que é a teoria da relatividade. Traduzido por José Manuel Pires Marques. Moscou: Editora Mir, 1986.

MANTOVANI. Anna. Cenografia. São Paulo: Ática, 1989.

PAVIS, Patrice. Dicionário de Teatro. São Paulo: Perspectiva, 1999.

RATTO, Gianni. Antitratado de cenografia: variações sobre o mesmo tema. São Paulo: Editora SENAC, 1999.

SANTOS, Milton. Pensando o Espaço do Homem. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2012.

SERRONI, J. C. Teatros: uma memória do espaço cênico no Brasil. São Paulo: Editora SENAC, 2002.

WERTHEIM, Margaret. Uma história do espaço de Dante à Internet. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

Downloads

Publicado

2020-09-24

Como Citar

LIMA, Fátima Costa de; BAUMGÄRTEL, Stephan. Espaço(s): configurações na cena brasileira e latino-americana. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 38, p. 1–14, 2020. DOI: 10.5965/14145731023820200001. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/18740. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático - Espaços: configurações na cena brasileira e latino-americana