Pink Bloc e Black Bloc: Imaginação, estética e teatralidade na resistência política

Autores

  • Fátima Costa de Lima Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC, Brasil
  • Everton Lampe de Araújo Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573103332018062

Resumo

O artigo discute iniciativas em que os debates de gênero existem e divergem dentro de organizações populares anticapitalistas. Apresenta como objetos de análise o pink bloc e o black bloc como táticas políticas e práticas cênicas - como o uso de máscaras, gestos, coralidades e cenografias – que auferem o modo como o teatro pode contribuir para a estruturação de organizações e movimentos sociais. Os objetivos do artigo são os de desmascarar a criminalização destas experiências coletivas e mostrar usos da imaginação estética em movimentos de periferia contra as políticas públicas de Estados autodenominados democráticos. 

 

 

Biografia do Autor

Fátima Costa de Lima, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC, Brasil

Fátima Costa de Lima

Professora pesquisadora do Departamento de Artes Cênicas e do Programa de Pós-Graduação em Teatro da UDESC.

 

Everton Lampe de Araújo, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC, Brasil

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Teatro da UDESC.

Downloads

Publicado

2018-11-19

Como Citar

Lima, F. C. de, & Araújo, E. L. de. (2018). Pink Bloc e Black Bloc: Imaginação, estética e teatralidade na resistência política. Urdimento - Revista De Estudos Em Artes Cênicas, 3(33), 062-073. https://doi.org/10.5965/1414573103332018062

Edição

Seção

Dossiê Temático - Teatros Feministas: Lutas e Conquistas