O estranhamento do turismo controlado: no áudio tour Remote Buenos Aires do Rimini Protokoll

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/14145731023820200013

Palavras-chave:

Cidade, Dispositivo, Experiência, Festival, Participação

Resumo

A hipótese de análise crítica de Remote Buenos Aires do Rimini Protokoll apresentada neste artigo é que o áudio tour, na sua estrutura de deslocamento pela cidade, reproduz o controle do turismo de massas ao invés de produzir uma vivência específica do participante com a cidade e com os outros participantes. A experiência que o áudio tour possibilita aos participantes, na sua dramaturgia, é um estranhamento sobre o comportamento de massa, sobre a relação entre o humano e a máquina, e sobre a teatralidade da vida cotidiana. Falta, entretanto, uma crítica às condicionantes sócio-históricas da produção do espaço da cidade. Ao final da análise, apontamos também para uma contradição do grupo Rimini Protokoll no modo de produção da série Remote X relacionada com a lógica de turismo do circuito de festivais internacionais de teatro.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giorgio Zimann Gislon, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Doutorando em Teatro no PPGT-UDESC com projeto de pesquisa sobre o teatro com não atores e dispositivos de participação do grupo Rimini Protokoll. Mestrado em Artes em Estudos Latino-Americanos - Leiden University (2013) e Mestrado em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina (2015). Bolsista CAPES-FAPESC.

Michele Louise Schiocchet, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Bacharel em estudos teatrais pela Universidade de Bologna. Mestre em "Prática Como Pesquisa" em Performance na Central School of Speech and Drama (Performance Practices and Research). Doutora em teatro - PPGT/UDESC.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Infância e história: destruição da experiência e origem da história. Trad. de Henrique Burigo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

AGAMBEN, Giorgio. O que é um dispositivo? In: AGAMBEN Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Trad. Vinícius Honesko. Chapecó: Argos, 2009.

BENJAMIN, Walter; BOLLE, Willi (org.); TIEDEMANN, Rolf(org.). Passagens. Trad. Irene Aron e Cleonice Paes Barreto Mourão. Belo Horizonte: Editora UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2009.

BENJAMIN, Walter. O narrador. In: BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas. Vol. 1. Magia e técnica, arte e política. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1987.

DELEUZE, Gilles. Post-scriptum sobre as sociedades de controle. In: DELEUZE, Gilles. Conversações. Trad. Peter Pál Pelbart. São Paulo: Ed. 34, 1992.

DER SPIEGEL. Um ein Flüchtlingsheim anzuzünden, muss man nicht 'Mein Kampf' lesen. Disponível em: https://www.spiegel.de/kultur/gesellschaft/mein-kampf-im-theater-so-reagieren-die-zuschauer-a-1070968.html. Acesso em: 23 jun. 2020.

FÉRAL, Josette. A teatralidade. In: FÉRAL, Josette. Além dos limites: teoria e prática do teatro. Trad. José. Guinsburg …. [et al.]. São Paulo: Perspectiva, 2015.

FREUD, Sigmund. O estranho. In: FREUD, Sigmund. Uma neurose infantil e outros trabalhos. (1917-1918). Trad. Jayme Salomão. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

FREUD, Sigmund. O inquietante. In: FREUD, Sigmund. História de uma neurose infantil (“O homem dos lobos”): além do princípio do prazer e outros textos (1917-1920). Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

FREUD, Sigmund. Psicologia das massas e análise do Eu. In: FREUD, Sigmund. Psicologia das massas e análise do Eu e outros textos. (1920-1923). Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade. Trad. Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

KAEGI, Stefan. Remote Buenos Aires. 2017. (Não publicado).

LIMA, Fátima Costa de e BAUMGÄRTEL, Stephan. O flashmob e o rolezinho: considerações sobre a construção estética de um corpo coletivo político num espaço de ostentação capitalista. PROAÑO-GÓMEZ, Lola e VERZERO, Lorena (Orgs.). Perspectivas políticas de la escena latino-americana - diálogos en tiempo presente. Buenos Aires / Los Angeles: Argus-a, 2017.

RIMINI PROTOKOLL. Remote X. Disponível em https://www.rimini-protokoll.de/website/de/project/remote-x2020 Acesso em: 23 jun. 2020.

SCHIOCCHET, Michele. Site-specific art? Reflexões a respeito da performance em espaços não tradicionalmente dedicados a esta. Urdimento, Florianópolis, v. 2. n. 17. p. 131-136, 2011.

Downloads

Publicado

2020-09-24

Como Citar

GISLON, Giorgio Zimann; SCHIOCCHET, Michele Louise. O estranhamento do turismo controlado: no áudio tour Remote Buenos Aires do Rimini Protokoll. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 38, p. 1–28, 2020. DOI: 10.5965/14145731023820200013. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/18143. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático - Espaços: configurações na cena brasileira e latino-americana