FORMAÇÃO DE GRUPO DE ADOLESCENTES EM UMA UNIDADE DE SAÚDE DO DISTRITO DE FEIRA DE SANTANA-BA: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Autores

  • Bianka Sousa Martins Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

Resumo

Este artigo relata uma experiência com um grupo de adolescentes em uma Unidade de Saúde da Família (USF). Desse modo, este estudo teve como objetivo, formar um grupo de adolescentes em uma unidade de saúde da zona rurícola de Feira de Santana, visto que se têm poucas equipes do Programa Saúde da Família (PSF) atuando na atenção ao adolescente. Como metodologia aplicada, fizemos uso da pesquisa qualitativa, que se preocupa com um nível de realidade que não pode ser quantificado. Trabalha com o universo de significados, motivos, aspirações, crenças, valores e atitudes. Para tanto, como instrumento de coleta de dados, utilizamos o grupo focal, que é uma técnica de coleta de dados qualitativos que se dá por meio de entrevistas grupais, apropriada para estudos que buscam entender atitudes, preferências, necessidades e sentimentos. As atividades grupais foram desenvolvidas por meio de dinâmicas lúdico-pedagógicas, através de encontros semanais com duração de uma hora e meia, e na forma de oficinas, o que permitiu a troca de saberes popular e científica e a formação do vínculo. Sendo assim, contamos para o desenvolvimento da pesquisa com a presença de doze estudantes do sexto ao nono ano do ensino fundamental de uma escola pública do distrito de Matinha-BA, cuja faixa etária variava de 12 a 17 anos de idade. A análise das falas dos adolescentes demonstra claramente a deficiência de conhecimentos sobre diversos temas acerca da adolescência como, também, as mudanças biológicas, emocionais e comportamentais típicas dessa faixa etária. As grandes mudanças oriundas da adolescência propiciam o surgimento de conflitos que repercutem sobre o jovem e sua família. Entretanto, um conflito bem negociado pode levar ao crescimento, tanto para os filhos quanto para os pais. Desta forma, a comunicação, aliada a outros elementos do contexto familiar (confiança, proximidade afetiva) corresponde a um instrumento importante para que as relações entre pais e filhos sejam satisfatórias e saudáveis. Tal instumento pode evitar problemas sociais como a criminalidade e drogadição além de agravos à saúde coletiva como a gravidez precoce. Nesse sentido, não só os pais, mas também os trabalhadores da Equipe de Saúde da Família (ESF) devem exercer uma função de educadores e atuar junto aos adolescentes de forma preventiva. Deste modo, a realização dessa experiência confirma a importância desses grupos de adolescentes nas USF, pois a criação de espaços harmoniosos nas unidades de saúde permitirá aos adolescentes, a reflexão, discussão e o esclarecimento de suas dúvidas, visto que, nem sempre o adolescente e a família estão preparados para vivenciar a fase do adolescer, daí o surgimento de inúmeros conflitos e dificuldades de relacionamento interpessoal.

Biografia do Autor

Bianka Sousa Martins, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

Estudante de Enfermagem da UEFS e voluntária do núcleo de adolescência (ESAD - espaço de saúde do adolescente)

Downloads

Publicado

2011-12-27

Como Citar

MARTINS, B. S. FORMAÇÃO DE GRUPO DE ADOLESCENTES EM UMA UNIDADE DE SAÚDE DO DISTRITO DE FEIRA DE SANTANA-BA: RELATO DE EXPERIÊNCIA. Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura, Florianópolis, v. 5, n. 1, 2011. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/2232. Acesso em: 16 out. 2021.

Edição

Seção

Relatos de Experiências