URGÊNCIA E EMERGÊNCIA: JUNTOS SOMOS MAIS FORTES

Autores

  • Viviane Iraci Correia Tugne Universidade Católica de Pelotas (UCPel) Instituto Dimensão
  • Pamela Nunes Ramos Universidade Federal do Rio Grande (FURG) Universidade Federal de Pelotas (UFPel)
  • Mariana Gonçalves Universidade do Minho (UMinho, Portugal)
  • Relber Aguiar Gonçales Universidade São Paulo (USP) http://orcid.org/0000-0002-3037-3663

DOI:

https://doi.org/10.5965/2594641221179

Palavras-chave:

Educação, Enfermagem, Experiências para a vida.

Resumo

O presente relato de experiência Urgência e Emergência: Juntos somos mais fortes, é um trabalho realizado na turma do 3º ano, faixa etária de 8 e 9 anos, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Prof.ª Aresmi Juraci Tavares Rodrigues, localizada no Município de Santa Vitória do Palmar-RS, durante quatro semanas. Objetivou-se, desenvolver nos alunos motivações que possam construir aprendizagens sobre conhecimentos básicos de enfermagem e buscar respostas para as indagações, possibilitando o compartilhamento dos conhecimentos com colegas, amigos, familiares e a própria comunidade. Tal assunto, até então desconhecido, foi desenvolvido em sala de aula, a partir de experiências práticas e procedimentos que proporcionaram a construção de conhecimentos em relação ao agir e o saber agir em situações de acidentes ou de perigo. Para tornar o conhecimento significativo, foram instigados a vivenciar a prática através de palestras, visita monitorada, confecção de cartazes, simulações e apresentações orais. Ademais, percebermos que os alunos se tornaram disseminadores do que aprenderam, compartilhando as novidades com comprometimento e dedicação; assim, com esse pensamento, foi possível observar que o diferente é possível na atualidade entre as escolas públicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Relber Aguiar Gonçales, Universidade São Paulo (USP)

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Departamento de Biologia Celular e Molecular e Bioagentes Patogênicos. Microbiologia, Extensão, Educação, Biologia Geral, Biologia Celular, Biologia Molecular, Biotecnologia.

Referências

AMARAL E. M .S.,SILVA C.L.M.,PEREIRA E. R.R.,GUARNIERI G.,BRITO G. S.S. ,OLIVEIRA L. M. Incidência de acidentes com Crianças em um Pronto Socorro Infantil. Revista Instituto Ciências e Saúde. Campinas,SP, 2009.

BARBOSA, F. S. S. Conhecimento de professores de séries iniciais de uma escola pública da região norte a respeito de primeiros socorros: relevância para a educação. XII congresso nacional de educação. PUC-PR,2015.

BRASIL. Decreto No 6.286, de 5 de dezembro de 2007, Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, Brasília, DF, 2007. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6286.htm>. Acesso em: 20 maio, 2018.

FIORUC, B. E., MOLINA, A.C., JUNIOR, W. T., LIMA, S. A. M., Educação em saúde: abordando primeiros socorros em escolas públicas no interior de São Paulo. Revista

Eletrônica de Enfermagem, Goiânia, GO, v. 10, n. 3, p. 695-702, 2008. Disponível em: < https://www.fen.ufg.br/fen_revista/v10/n3/pdf/v10n3a15.pdf>. Acesso em: 20 maio, 2018.

GRADELLA, C. M., Urgência e emergência nas escolas: prevenção, o melhor cuidado. Revista Catarse, v. 1, n. 1, p. 94-106, 2013. Disponível em: < http://revistas.faculdadeunicampo.edu.br/index.php/RevistaCatarse/article/view/80/13>. Acesso em: 20 maio, 2018.

LIBERAL, E. F., AIRES, R. T., AIRES, M. T., OSÓRIO, A. C. A., Escola segura. Jornal de Pediatria, v. 81, n. 5, 2005. p.155-163. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/jped/v81n5s0/v81n5Sa05.pdf>. Acesso em: 20 maio, 2018.

MALTA, D. C., MASCARENHAS, M. D. M., SILVA, M. M. A., MACÁRIO, E. M., Perfil dos atendimentos de emergência por acidentes envolvendo crianças menores de dez anos: Brasil, 2006 a 2007. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, RJ, v. 14, n. 5, p. 1169-1779, 2009. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/csc/v14n5/08.pdf>. Acesso em: 20 maio, 2018.

MANCINI, H. B., ROSENBAUM, J. L., FERRO, M. A. C., Organização de um serviço de primeiros socorros em uma empresa. 2002. 49 f. Monografia (Especialização) – Faculdade Estácio de Sá, Campo Grande. Disponível em: < http://www.saudeetrabalho.com.br/download/organizacao-servicos-primeiros-socorros.pdf>. Acesso em: 20 maio, 2018.

MERHY, E. E., Saúde: a cartografia do trabalho vivo. São Paulo (SP), 3 ed., 85-271-0580-2, Hucitec; 2002.

SCHVARTSMAN, S., WONG, A., SCHVARTSMAN, C., AMARAL, D. A., Aspectos pediátricos das intoxicações exógenas agudas no Município de São Paulo. Rev. Paul. Pediatr., v. 2, n. 7, p. 24- 27, 1984.

SENA, S. P., RICAS, J., VIANA, M. R. A., A Percepção dos Acidentes Escolares por Educadores do Ensino Fundamental, Belo Horizonte. Revista Medicina Minas Gerais 18 (4 Supl 1):S47-S54. Belo Horizonte 2008.

Downloads

Publicado

2018-06-30

Como Citar

CORREIA TUGNE, V. I.; RAMOS, P. N.; GONÇALVES, M.; GONÇALES, R. A. URGÊNCIA E EMERGÊNCIA: JUNTOS SOMOS MAIS FORTES. Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura, Florianópolis, v. 2, n. 1, p. 179-190, 2018. DOI: 10.5965/2594641221179. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/13144. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Relatos de Experiências