A UNIVERSIDADE ABERTA À TERCEIRA IDADE (UATI) E A EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: Ressignificando a práxis acadêmica na UNEB Campus XI - Serrinha

Autores

  • Fernando de Souza Nunes Geo(Bio)Grafar / Universidade do Estado da Bahia - UNEB, Departamento de Educação Campus XI - Serrinha

DOI:

https://doi.org/10.5965/259464122162

Palavras-chave:

Idosos, Extensão, Universidade, UATI.

Resumo

O aumento da expectativa de vida no Brasil, por meio do crescimento do número de idosos, requer mudanças no trato e na execução de políticas públicas do Estado devido a mudança no seu perfil. Visando subsidiar a promoção da dignidade humana dessa parcela da população, motivada por outras Instituições de Ensino Superior, a Universidade do Estado da Bahia (UNEB), criou a Universidade Aberta à Terceira Idade (UATI), presente na maioria dos seus Campi, em particular, na cidade de Serrinha, objeto de estudo do presente trabalho, vinculada à Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) – daí a necessidade de ressignificar a extensão universitária como práxis acadêmica e sociopolítica por meio do referido programa. Através do método indutivo de cunho qualitativo, levantamento histórico/bibliográfico e revisão de literatura acerca das temáticas, pode-se inferir que a UATI é um programa/rede de extensão universitária em conformidade com as normas, planos, políticas nacionais e o estatuto do idoso, conforme as atividades desenvolvidas. Por fim, para melhor desempenhar as suas funções, é importante que haja maior apoio ao programa por parte do Governo do Estado da Bahia devido a relevância sociocultural a fim de melhorar a qualidade de vida dos idosos.

Biografia do Autor

Fernando de Souza Nunes, Geo(Bio)Grafar / Universidade do Estado da Bahia - UNEB, Departamento de Educação Campus XI - Serrinha

Possui Graduação/Licenciatura em Geografia pela Universidade do Estado da Bahia - UNEB / Departamento de Educação Campus XI - Serrinha (2010); Especialista em Dinâmica Territorial e Socioambiental do Espaço Baiano pela Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS (2013); Possui experiência em administração/gestão pública, ensino de Geografia na Educação de Jovens e Adultos, bem como, em Programas de educação continuada em Espaços Não-Formais e extensão voltado a pessoa idosa. Atua na área de conhecimento Ciências Humanas, mais especificamente, na Geografia Humana/Urbana, com os temas: espaço público, políticas de ordenamento territorial, dinâmica territorial e meio ambiente, tendo trabalhos publicados em revistas, anais e periódicos. Atuou como Professor no Programa Universidade Para Todos (UPT) da Secretaria de Educação do Governo do Estado da Bahia e no Centro Territorial de Educação Profissional do Território do Sisal - CETEP; É Secretário Acadêmico do Departamento de Educação da UNEB - Campus XI - Serrinha; Professor/Monitor do Programa Universidade Para Todos; Coordenador da Universidade Aberta à Terceira Idade - UATI/Campus XI - Serrinha e Membro Técnico do Grupo de Pesquisa GEO(BIO)GRAFAR - Geografia, diversas linguagens e narrativas de professores, cadastrado no CNPq.

Referências

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Casa Civil da Presidência da República, 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm> Acesso em: 29 jul. 2016.

BRASIL. Decreto 19.851/31 de 11 de abril de 1931. Dispõe sobre o estatuto das universidades públicas brasileiras e da outras providências. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1930-1939/decreto-19851-11-abril-1931-505837-publicacaooriginal-1-pe.html> Acesso em: 4 ago. 2016.

______. Lei n.º 4024 de 28 de novembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L4024.htm> Acesso em: 04 de ago. 2016.

FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR PÚBLICAS BRASILEIRAS. Política Nacional de Extensão Universitária. Manaus-AM, Maio 2012. Disponível em: <https://www.ufmg.br/proex/renex/documentos/2012-07-13-Politica-Nacional-de-Extensao.pdf> Acesso em: 4 ago. 2016.

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação? 8. ed. Tradução Rosisca Darcy de Oliveira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985, 93p.

GURGEL, Roberto Mauro. Extensão universitária: comunicação ou domesticação. São Paulo: Cortez, 1986, p.167.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Séries históricas e estatísticas. Disponível em: <http://seriesestatisticas.ibge.gov.br/default.aspx> Acesso em: 2 ago. 2016.

LUCKESI, Cipriano; BARRETO, Elói; COSMA, José; BAPTISTA, Naidison. Fazer Universidade: uma proposta metodológica. 6. ed. São Paulo: Cortez, 1991, 232 p.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.); et. al. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 14. ed. Vozes: Petrópolis, 2000, 108p.

ROCHA, José Cláudio Rocha. A reinvenção solidária e participativa da universidade: estudo sobre redes de extensão universitária no Brasil. Salvador: EDUNEB, 2008, 280p.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB. A Universidade. Disponível em: <http://www.uneb.br/institucional/a-universidade/> Acesso em: 29 jul. 2016.

VASCONCELOS, Toni. Campus de Serrinha festeja inauguração de programa para a terceira idade. Universidade do Estado da Bahia – UNEB. Salvador: 24 de mai. 2012. Disponível em: <http://www.uneb.br/2012/05/24/autoridades-municipais-prestigiam-inauguracao-da-uati-de-serrinha-250-participam/> Acesso em: 29 jul. 2016.

WANDERLEY, Luiz Eduardo W. O que é universidade. 5ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1985, 83p.

Downloads

Publicado

2018-06-30

Como Citar

NUNES, F. de S. A UNIVERSIDADE ABERTA À TERCEIRA IDADE (UATI) E A EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: Ressignificando a práxis acadêmica na UNEB Campus XI - Serrinha. Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura, Florianópolis, v. 2, n. 1, p. 62-73, 2018. DOI: 10.5965/259464122162. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/12785. Acesso em: 26 set. 2021.