Projeto Terra Doce – o saber vicejante e o fruto encantado

Autores

Palavras-chave:

Arte, Natureza, Ciência Popular, Trocas Interculturais, Espaços Comunitários,

Resumo

O artigo apresenta perspectivas da arte pública relacional em obra constituída de experiências compartilhadas entre artistas pesquisadores e moradores da comunidade Mangueira, Rio de Janeiro, em torno de um trabalho comum, o projeto Terra Doce. Reflete-se sobre seus aspectos estéticos e éticos no enfrentamento da condição macropolítica da cidade, metrópole subjugada pela violência e mantida sob o signo da espetacularização exótica. O processo em pesquisa-ação se consolidou na produção do espaço de lazer Jardim da Tia Neuma, nascido no esforço de limpeza de um depósito de lixo, quando escadarias da Rua Icaraí e seus canteiros serviram para uma “ocupação” de artistas e educadores. A presença de sujeitos de dentro e fora da comunidade, em troca ativa, desdobrou-se em delicadas partilhas. Destaca-se a mostra Acervo, constituída a partir de objetos que, recolhidos no capinar e arar a terra, revelaram memórias perdidas. A partir das formas e materialidades encontradas, desenvolve-se um arquivo das memórias e narrativas correlatas, como as que explicam o furto de plantas como forma de vivência encantada. Conclui-se ao pensar a arte em sua forma instável, ressignificada pelo distanciamento da fixidez crítica e formal, disposta na produção vívida e reverberante da esfera pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabela Nascimento Frade, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Licenciada em Artes pela PUCRio, mestre em Comunicação e Teoria da Cultura, doutora em Comunicação pela ECA/USP. PROCIENTISTA FAPERJ. Professora Associada do Instituto da Artes da UERJ, integra a equipe do Departamento de Ensino da Arte e Cultura Popular e do PPGARTES/UERJ. Tem realizado trabalhos plásticos, desenvolvido pesquisas e orientado projetos relacionando arte, cultura, comunicação e educação, com foco sobre os seguintes temas: formação e gênero; esfera pública e mediação; poética relacional e ecologia, multilocalismo e trânsito cultural. É líder do grupo de pesquisa Observatório de Comunicação Estética - CNPQ e editora da revista acadêmica internacional Diálogos en Mercosur.

Referências

ANDRADE, Carlos Drummond. Sentimento do Mundo. São Paulo: Editora Mediafashion, 2008.

BACHELARD, Gaston. A Água e os Sonhos – ensaio sobre a imaginação da matéria. São Paulo: Martins Fontes Editora, 1998.

BOURRIAUD, Nicolas. Estética Relacional. São Paulo: Martins Fontes Editora, 2009.

CAMPOS, Andrelino. Do Quilombo à favela – a produção do espaço criminalizado no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil Editora, 2007.

CAUQUELIN, Anne. A Invenção da Paisagem. São Paulo: Martins Fontes Editora, 2007.

DERRIDA, Jacques; ROUDINESCO, Elisabeth. De que amanhã… Rio de Janeiro: Zahar Editora, 2004.

PENONE Apud DIDI-HUBERMAN, Georges. Ser Crânio - lugar, contato, pensamento, escultura. Belo Horizonte: Editora C/ Arte, 2009.

FERREIRA, Felipe. Inventando carnavais: o surgimento do carnaval carioca no século XIX e outras questões carnavalescas. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2005.

FRADE, Isabela. Acervo: experiências afetivas e materialidades do lugar. In: XXII Encontro da Associação de Pesquisadores em Artes Plásticas. Anais: Ecossistemas Estéticos. Belém: Universidade Federal do Pará, 2013, p.3051 - 3065.

GLOCKNER, Julio. La Mirada Interior. México D.F.: Penguin House, 2016.

GEERTZ, Clifford. A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: LTC Editora, 1989.

HEIDEGGER, Martin. Construir, Habitar, Pensar. [Bauen, Wohnen, Denken] Trad. de Marcia Sá Cavalcante Schuback (1951) conferência pronunciada por ocasião da "Segunda Reunião de Darmastad", publicada em Vortäge und Aufsätze, G. Neske, Pfullingen, 1954.

MAUSS. Marcel. Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.

MATURANA, H. e VERDEN-ZOLLER, G. Amar e Brincar – fundamentos esquecidos do humano. São Paulo: Palas Athenas, 2004.

CAMPOS, A. Do Quilombo à Favela - a produção do espaço criminalizado no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Bertrand Russel, 2005.

Downloads

Publicado

01-01-2019

Como Citar

FRADE, Isabela Nascimento. Projeto Terra Doce – o saber vicejante e o fruto encantado. Revista Educação, Artes e Inclusão, Florianópolis, v. 15, n. 1, p. 050–071, 2019. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/11635. Acesso em: 21 fev. 2024.