Dilemas em Educação Inclusiva: problematizações em torno às crianças com altas habilidades/Asperger

Autores

  • Sheila Debastiani Ramos Universidade Federal de Santa Maria
  • Aline Calvo Hernandez Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

Educação, Dupla necessidade educacional, Altas habilidades, Asperger

Resumo

Esta pesquisa trata dos dilemas da educação inclusiva em relação às questões de dupla necessidade educacional em Altas Habilidades/Asperger. O objetivo deste artigo é questionar a possibilidade de desenvolver um trabalho coeso com crianças que possuem dupla necessidade educacional, a fim de que ela tenha sucesso no processo de ensino e de aprendizagem. Situações como: identificação dessas crianças, a questão do diagnóstico, como os autores/as e suas teorias podem contribuir para o processo de ensino e de aprendizagem de crianças com esta necessidade e quais as abordagens possíveis a serem utilizadas em relação ao ritmo de aprendizagem e currículo, também serão abordadas. Para tanto, foi realizada uma pesquisa com abordagem qualitativa de tipo exploratória, descritiva e interpretativa. Para discutir a existência da dupla necessidade especial em pessoas que apresentam Altas Habilidades e Asperger, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 02 (duas) especialistas no tema: Sheila Torma Rodrigues e Marli Deuner. Constatou-se que existem ao menos alguns tópicos comuns em relação às crianças com Altas Habilidades e Asperger, relativos à interação social, linguagem, questão de vocabulário sofisticado, memória fotográfica, inflexibilidade mental e assincronismo. Acredita-se que este assunto apesar de polêmico mereça ser alvo de estudos mais profundos.

Biografia do Autor

Sheila Debastiani Ramos, Universidade Federal de Santa Maria

Pedagoga, Especialista em Aee, e Especialista em teoria e práticas na formação do leitor. Atualmente atua como assistente na Ceee.

Aline Calvo Hernandez, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Dra. Psicologia Social e Metodologia. Professora Adjunta da Ufrgs

Referências

BENITO, Yolanda. Superdotación y Asperger. Madrid: Gabinete de Orientación Psicológica, 2009.

BRASIL. Senado Federal. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, Centro Gráfico, 1988.

BRASIL. Lei nº 9394/96, atualizada em 2015, com redação dada pela Lei nº 12.796/13 altera a legislação federal. Diário Oficial (da) República Federativa do Brasil. Brasília, 4 mai. 2013. Disponível em:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm>. Acesso em: 12 de janeiro de 2016.

DE ALENCAR, Eunice ML Soriano. Criatividade e educação de superdotados. Vozes, 2001.

DECLARAÇÃO, DE SALAMANCA. Sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais. Brasília, DF: MEC, 1994.

COSTA, Mara Regina Nieckel Da. UM ESTUDO SOBRE O ADOLESCENTE PORTADOR DE ALTAS HABILIDADES: SEU “OLHAR” SOBRE SI MESMO. SEU “OLHAR” SOBRE O OUTRO. 2000.

CLAUDIA, DORNELLES. DSM-IV-TR–Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. 2002.

DELPRETTO, Bárbara Martins de Lima; GIFFONI, Francinete Alves; ZARDO, Sinara Pollom. A Educação Especial na Perspectiva da Inclusão Escolar: Altas Habilidades/Superdotação. In: A educação especial na perspectiva da inclusão escolar: altas habilidades/superdotação. 2010.

DEMO, Pedro. Pesquisa e informação qualitativa. Papirus Editora, 2001.

FLEITH, Denise de Souza. A construção de práticas educacionais para alunos com altas habilidades/superdotação. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2007.

FREITAS, Soraia Napoleão. Educação e altas habilidades/superdotação: a ousadia de rever conceitos e práticas. Editora UFSM, 2006.

GARDNER, Howard; VERONESE, Maria Adriana Veríssimo. Inteligências Múltiplas: a teoria na prática. 1995.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, v. 5, n. 61, p. 16-17, 2002.

KLIN, Ami. Autismo e Síndrome de Asperger: uma visão geral Autism and Asperger syndrome: na overview. Revista Brasileira de Psiquiatria. V. 28, n. Supl. I, p. S3-11, 2006.

MAZZOTTA, MJS. Fundamentos da educação especial: série caderno de educação. Biblioteca Pioneira de Ciências Sociais, Editora Pioneira, 1982.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa Social. 1994.

NEIHART, Maureen. Gifted children with Asperger’s Syndrome. Gifted child quarterly, v. 44, n.4, p. 222-230, 2000.

NOVAES, Maria Helena. O valor do diagnóstico na educação. Boletim, v. 5, p. 67-80, 1968.

OUROFINO, Vanessa Terezinha Alves Tentes; FLEITH, Denise Souza. A condição underachievement em superdotação: definição e características. Psicologia: teoria e prática, v.13, n. 3, p. 206-222, 2011

PÉREZ, Susana Graciela Pérez Barrera et al. Ser ou não ser, eis a questão. O processo de construção da identidade na pessoa com altas habilidades/superdotação adulta. 2008.

RENZULLI, Joseph S. The three Ring Conception of Giftedness: A Developmental Model for Creative Productivity. 1984.

SABATELLA, Maria Lúcia Prado. Talento e superdotação: Problema ou solução? Editora Ibpex, 2008.

SPINK, Mary Jane P. O conceito de representação social na abordagem psicossocial. Cadernos de Saúde Pública, v. 9, p. 300-308, 1993.

VIEIRA, Nara Joyce Wellausen; SIMON, Karolina. Waechter. Diferenças e semelhanças na dupla necessidade educacional especial: altas habilidades/superdotação x Síndrome de Asperger. Revista Educação Especial, v. 25, n. 43, p. 319-332, 2012.

Downloads

Publicado

2019-01-01