EXPERIÊNCIA DOS ESTUDANTES DE SEMIOLOGIA E SEMIOTÉCNICA EM AULAS PRÁTICAS COM O PACIENTE À BEIRA DO LEITO

Thais de Rezende Bessa Guerra, Camila Aguiar Machado, Eliseu Magalhães Reis, Thiago Barbosa, Tatiana Aparecida dos Anjos da Cruz

Resumo


Introdução: A formação de profissionais enfermeiros requer um ensino de qualidade, que lhe confira competência na realização de atividades assistenciais, gerenciais, de ensino e pesquisa. Nessa perspectiva, a disciplina de Semiologia e Semiotécnica visa formar enfermeiros capazes de realizar o processo de enfermagem. Objetivo: fazer um relato dos estudantes de semiologia e semiotécnica em aulas práticas com o paciente à beira do leito. Métodos: Este estudo consiste em um relato de experiência de alunos que já cumpriram a disciplina de Semiologia a Semiotécnica com o intuito de socializar as experiências. Resultados: Os alunos relataram individualmente, mas foi realizado um debate entre cinco alunos que vivenciaram a disciplina de Semiologia e Semiotécnica, e entre as falas foi evidenciado que o primeiro contato à beira do leito com o paciente é um momento desafiador, com sentimentos de insegurança ou medo. No entanto, entendemos que é nesse momento que começamos construir a relação ética da relação como enfermeiro-paciente. Ficou evidente para os alunos a importância que é na semiologia que começamos construir o raciocínio clínico para as disciplinas de Enfermagem, como Clínica Médica e Cirúrgica. Conclusão: Considerando as experiências vivenciadas durante a disciplina, o aluno relata que entende a dimensão que consiste o cuidar e que essa disciplina constrói um alicerce possibilitando o agir, o saber e o fazer em Enfermagem.

Palavras-chave


Semiologia; Enfermagem; Ensino.

Texto completo:

PDF PDF

Referências


Castro CV. Os Temores na Formação e Prática da Medicina: Aspectos Psicológicos. Rev Bras Educ Med. 2004;28(1):38- 45.

Sayd JD, Silva DA, Pinheiro MPD. O Aprendizado de Semiologia em um Currículo Tradicional. Rev Bras Educ Med. 2003;7(2):104-13.

Araújo D, Peixinho, A. L. Qualitative evaluation in medicine: an experiment in medical propaedeutics at UFBA, 2003. Rev Bras Educ Med. 2006;30(2):20-30.

Quintana AM, Arpini DM. A atitude diante da morte e seu efeito no profissional de saúde: Uma lacuna da formação? Rev Psicologia Argumento. 2002;19(30):45-50.

Lind G. Moral regression in medical students and their learning environment. Rev Bras Educ Med. 2000;24(3):24-33.

Brandon B, Spevak TA, Kassapedis E. Impact of Bedside Teaching Rounds on Patient Perception of Care. New York Medical Journal. 2008;1(2):45-51.

Marques KS, Santana L; Ramalho RF; Alves WA; Nascimento AAF. A Importância do exame físico, para a prática de enfermagem: Uma revisão sistemática. Conacis/ Cajazeiras- mar.2014.

Schmitt MD, Ribeiro MC, Adamy EK, Brum MLB, Zanotelli SS. Contribuições da monitoria em semiologia e semiotécnica para a formação do enfermeiro: relato de experiência. Cidadania em ação, v. 7, n.1, jan.jun., 2013.






Direitos autorais 2019 Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.