O caso Justa Trama: contexturas entre a economia solidária e as estratégias orientadas para a sustentabilidade no processo de Life Cycle Design

Autores

  • Jucelia S. Giacomini da Silva Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
  • Neide Köhler Schulte Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

DOI:

https://doi.org/10.5965/1982615x07132014046

Palavras-chave:

estratégias em design e sustentabilidade, Life Cycle Design, economia solidária, cooperativas populares

Resumo

Amplas possibilidades para a atuação do design tem se concentrado na tarefa de mediar a produção material e suas relações de produção e consumo e, entre estas variadas perspectivas, reside o desafio de auxiliar no desenvolvimento de benefícios efetivos e duráveis para os indivíduos e grupos sociais em seus territórios. A partir deste enfoque, estratégias em design orientadas para a promoção de melhorias socioambientais e econômicas têm sido congregadas a iniciativas de produção e consumo, fundamentadas nos preceitos da Economia solidária (ES). Deste modo, a implantação destas estratégias tem se configurado como um dos fatoreschave na busca por alternativas factíveis para a ampliação das condições de desenvolvimento local. De acordo com estes pressupostos, o presente artigo analisa o caso da associação Justa Trama, pois este empreendimento tem suas ações fundamentadas nas contexturas da economia solidária, em busca de benefícios socioambientais e econômicos para os seus associados e para a sociedade como um todo. Como resultados observados durante a análise do caso, verificou-se
que a Justa Trama congrega diversas estratégias orientadas à sustentabilidade social, ambiental e econômica, visto que estas estratégias já se encontram inseridas de modo intrínseco no Life Cycle Design (LCD) dos produtos desenvolvidos pela associação. A partir
de um modelo organizacional fundamentado em valores solidários, a Justa Trama tem obtido êxito em seus propósitos de prover autonomia aos cooperados nas diferentes etapas produtivas, ao mesmo tempo em que consegue manter um alinhamento com seus fundamentos
centrais também nas etapas de distribuição e consumo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADS/CUT. Agência de Desenvolvimento Solidário. Disponível em < www.ads.org.br> Acesso em novembro de 2013.

AGRICULTURA SUSTENTÁVEL. Efeitos dos agroquímicos. Disponível em http://www.agrisustentavel.com/toxicos/efeitos.htm Acesso em: 14 de agosto de 2013.

ALBUQUERQUE, F.; BATISTA, M.; OLIVEIRA, R.; TAVARES, M. Análise energética do cultivo do algodão orgânico consorciado com culturas alimentares. IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB – 2010. Disponível em: http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/18351/1/ECP-16.pdfAcesso em: 20 de set. de 2013.

ANCOSOL. Associação Nacional do Cooperativismo de Crédito de Economia Familiar e Solidária. Disponível em <http://www.ancosol.org.br>. Acesso em julho de 2012.

BARBOSA, R. N. de C. A economia solidária como política pública: uma tendência de geração de renda e ressignificação do trabalho no Brasil. São Paulo: Cortez, 2007. 317p.

BALESTER, Letícia da Silva. Relações Públicas, Assessora da Justa Trama. Atividades: comunicação, comercial, exportação, relacionamento com cliente, produção, execução de projetos e outras demandas. Entrevista realizada em em 30 de setembro de 2013.

BERLIM, Lilyan. Moda e Sustentabilidade: uma reflexão necessária. São Paulo: Estação das Letras e Cores Editora, 2012.

BERTUCCI, Ademar; SILVA, Roberto Marinho. 20 anos de Economia Popular Solidária. 1ªEdição. Brasília: Cáritas Brasileira, 2003.

BOITO Jr., Armando. Política Neoliberal e Sindicalismo no Brasil. São Paulo: Xamã, 1999.

BONSIEPE, Gui. Some virtues of design. In: Symposium Design Beyond Design. Maastricht, Jan Van Eyck Academy, 1998. Disponível em <http://www.guibonsiepe.com/> Acesso em: 15 Ago. 2012.

CÁRITAS. Diretriz geral de ação. Disponível em < http://caritas.org.br/novo/diretriz-geral-de-acao> Acesso em ago. 2012.

CARVALHO, Mariana C. Autogestão, Economia solidária e Cooperativismo: uma análise da experiência política da Associação Nacional de Trabalhadores e Empresas de Autogestão. 2012. 119 p. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Serviço Social) – Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF. Juiz de Fora, MG. 2012.

CASTRO, B. G. A economia solidaria de Paul Singer: a construção de um projeto político. Dissertação. Universidade Estadual de Campinas – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Campinas, SP. 2009.

CORNELIAN, A. R. A concepção de “Economia solidária” em Paul Singer: descompassos, contradições e perspectivas. Dissertação de Mestrado. 99p. Programa de Pós-Graduação em Sociologia. Universidade Estadual Paulista (UNESP), 2006. p.7.

FAIRTRADE FOUNDATION. What is Fairtrade? Disponível em <http://www.fairtrade.org.uk/what_is_fairtrade/default.aspx> Acesso em Outubro de 2013.

FARIA, José Henrique de. As organizações coletivistas de produção associada e a autogestão social. Disponível em <http://eppeo.org.br/wp-content/uploads/2011 /10/FARIA-As-OCPA-e-a-Autogest%C3%A3o.pdf > Acesso em 09 abr. 2012.

FBES. Fórum Brasileiro de Economia solidária. Disponível em < http://www.fbes.org.br> Acesso em julho de 2012.

FIDIC - International Federation of Consulting Engineers. Disponível em < http://fidic.org> Acesso em julho de 2013.

FLETCHER, Kate; GROSE, Lynda. Moda & Sustentabilidade: design para mudança. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2011.

KRUCKEN, L. Design e território: valorização de identidades e produtos locais. São Paulo: Studio Nobel, 2009. P.17.

LECHAT, Noelle Marie P. Trajetórias intelectuais e o campo da Economia solidária no Brasil. 2004. 392 p. Tese. (Instituto de Filosofia e Ciências Humanas) – Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. Campinas, SP. 2004.

LEE,Matilda.ECO CHIC:O guia de moda ética para a consumidora consciente.1. ed. SãoPaulo: Larousse, 2009.

MANZINI, E. Design research for sustainable social innovation. Disponível em:<http://www.sustainable-everyday.net/manzini/>. Acesso em: 25 jul. 2009.

MANZINI, Ezio; VEZZOLI, Carlo. O desenvolvimento de produtos sustentáveis. São Paulo: Editora da Universidade, 2002.

MATTOSO, J. A desordem no trabalho. São Paulo: Ed. Página Aberta, 1995.

MENDONÇA, Bruno. Dragão Fashion Brasil e Economia solidária Brasil. IBModa. Disponível em: http://www.alemdamoda.com.br/gestao/dragao-fashion-brasil-aposta-na-economia-solidaria/ Acesso em: 10 de agosto de 2013.

MENDONÇA, Bruno. Dragão Fashion Brasil e Economia solidária Brasil. IBModa. Disponível em: http://www.alemdamoda.com.br/gestao/dragao-fashion-brasil-aposta-na-economia-solidaria/ Acesso em: 10 de agosto de 2013.

MENEZES, Maria Thereza C. G. Economia solidária: elementos para uma crítica marxista. Rio de Janeiro, Gramma, 2007.

MONTEIRO, B. G.; WAGNER, R. Design e Inovação Social. In: Revista Estudos em Design, Rio de Janeiro, p. 57 - 72, 11 mar. 2010. P.60.

MTE – Ministério do Trabalho e Emprego/ SENAES – Secretaria Nacional de Economia solidária. O que é Economia solidária? <http://portal.mte.gov.br/eco solidaria/o-que-e-economia-solidaria.htm> Acesso em setembro de 2013.

PEREIRA, Clara M. G. M. Economia solidária: uma investigação sobre suas iniciativas. 2011. 195 p. Dissertação. (Instituto de Economia) – Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP.Campinas, SP. 2011.

QUEIROZ, Camila. Projeto da Economia solidária produz moda com peças artesanais. Disponível em: http://www.adital.com.br/hotsite_economia/noticia.asp? lang=PT&cod=55642> Acesso em: 20 de agosto de 2013.

QUEIROZ, Camila. Projeto da Economia solidária produz moda com peças artesanais. Disponível em: http://www.adital.com.br/hotsite_economia/noticia.asp?lang=PT&cod =55642. Acesso em: 20 de agosto de 2013.

ROY, Robin. The evolution of ecodesign. Technovation. Volume 14, Issue 6. Pages 363-380. Elsevier Science. 1994.

SACHS, I. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Garamond, 2000. Estratégias de transição para o século XXI. São Paulo: Studio Nobel: Fundação do desenvolvimento administrativo, 1993.

SANDERS, E. B., & STAPPERS, P. J. Co-creation and the new landscapes of design. CoDesign: International Journal of CoCreation in Design and the Arts, 4, 1, 5-18. 2008.

SCHMIDHEINY, S. Mudando o rumo: uma perspectiva empresarial global sobre desenvolvimento e meio ambiente. Rio de Janeiro: Ed. FGV. 1992.

SILVA, Jucelia S. Giacomini et al. Implicações dos princípios do design sustentável na gestão do desenvolvimento de produtos. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 29., 2009, Salvador. Anais... Salvador: Abepro, 2009. 1 CD-ROM.

SILVA, Jucelia S. Giacomini. Diretrizes para o design de Sistema Produto-Serviço voltado ao trabalho remote. Dissertação (Mestrado em Design) Programa de Pós-Graduação em Design, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2010.

SINGER, P. A SENAES no Ministério do Trabalho e Emprego. Mimeo, S/D.

UNEP.Guidelines for Social Life Cycle Assessment of Products. Disponível em:<http://lcinitiative.unep.fr/default.asp?site=lcinit&page_id=A8992620-AAAD-4B81-9BAC-A72AEA 281CB9>. Acesso em: 10 ago. 2009.

UNISOL Brasil. Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários. Disponível em < http://www.unisolbrasil.org.br/>. Acesso em julho de 2012.

VEZZOLI, C. System design for sustainability. Theory, methods and tools for a sustainable “satisfaction-system” design. Maggioli Edtore. Milano, Italy, 2007.

VIEIRA, Fabiano Mourão. Coerência e aderência da economia solidária: um estudo de caso dos coletivos de produção do MST em Mato Grosso do Sul. Tese de Doutoramento, USP/São Paulo, 2006.

ZANCHETI, S. M. Desenvolvimento Sustentável Urbano. Pernambuco: UFPE/GECI: Gestão do Patrimônio Cultural, 2004.

Downloads

Publicado

2014-01-01

Como Citar

SILVA, Jucelia S. Giacomini da; SCHULTE, Neide Köhler. O caso Justa Trama: contexturas entre a economia solidária e as estratégias orientadas para a sustentabilidade no processo de Life Cycle Design. Modapalavra e-periódico, Florianópolis, v. 7, n. 13, p. 46–84, 2014. DOI: 10.5965/1982615x07132014046. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/modapalavra/article/view/5712. Acesso em: 15 jul. 2024.