Emancipação feminina e a moda sessentinha dos três visionários: Pierre Cardin, André Courreges e Paco Rabanne

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1982615x16382023065

Palavras-chave:

emancipação feminina, discurso visual, moda - 1960

Resumo

O presente artigo tem como objetivo demonstrar como as produções estéticas dos estilistas intitulados “os três visionários” legitimaram o regime de aparência da década de 1960 enquanto fenômeno de moda, e como eles, em consonância com o contexto histórico da época, atuaram como agentes no processo de emancipação feminina, a  partir do conceito de Discurso Visual de Lopes (2014). Destaca-se a alteração da linha do pudor com o uso da minissaia, por meio da qual a moda suscitou processos emancipatórios das mulheres, ampliando esse aspecto para o entendimento do mesmo como uma luta por uma vontade de verdade Foucault (2013) que empoderou a mulher e o corpo feminino do referido período.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Teresa Lopes Ypiranga, Federal University of Pernambuco

Professora Adjunta do Núcleo de Design e Comunicação e Doutora em Formação do Olhar

Dionísio Tito de Barros Neto, Federal University of Alagoas

Graduado em Design pela Universidade Federal de Pernambuco - Centro Acadêmico do Agreste (2017). Graduando em História pela Universidade de Pernambuco - UPE e mestrando no Programa de Pós-graduação em História (UFAL). Membro Associado no Grupo de Pesquisa NESEM - NÚCLEO ESCRAVIDÃO E SOCIEDADE NA ÉPOCA MODERNA - SÉC. XVI-XIX liderado pelo Professor Gian Carlo de Melo Silva. 

Referências

BAUDOT, François. Moda do século. Editora Cosac Naify, 2002.

BOURDIEU. Pierre. Alta Costura e Alta Cultura. Comunicação feita em Noroit (Arras) em novembro de 1974 e publicada em Noroit, 192, novembro de 1974, dezembro de 1974, janeiro de 1975.

BRAGA, João. Histórias: a alunissagem e a alucinação da moda. dObra [s]–revista da Associação Brasileira de Estudos de Pesquisas em Moda, v. 3, n. 7, p. 30-32, 2009.

CARLEIAL, Aydano Barreto. Uma breve história da conquista espacial. Parcerias Estratégicas, v. 4, n. 7, p. 21-30, 2009.

DARRAS, Bernard. Ensaio de modelização geral das relações humanas com os artefatos Estudo semiótico e sistêmico das interações. Conferência para o Seminário de Pesquisa em design de Informação. UFPE: Recife, outubro/2012.

EDGAR, A., SEDGWICK, P. Teoria Cultural de A a Z: conceitos chaves para entender o mundo contemporâneo; tradução Marcelo Rollemberg. São Paulo: Contexto, 2003.

FOUCAULT, Michael. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 dezembro de 1970/ Michael Foucault; tradução Laura Fraga de Almeida Sampaio. 23 ed. São Paulo: Edições Loyola, 2013.

GARCIA, Carla Cristina. Breve história do feminismo. São Paulo: Claridade, 2011.

HARVEY, David. (1992). A condição pós-moderna. São Paulo: Ed. Loyola.

HOBSBAWM, Eric. Era dos extremos: o breve século XX. Editora Companhia das Letras, 1995.

JOAQUIM, J. T.; MESQUITA, C. Rupturas do vestir: articulações entre moda e feminismo. DAPesquisa, Florianópolis, v. 6, n. 8, p. 643-659, 2018. DOI: 10.5965/1808312906082011643. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/14040. Acesso em: 10 maio. 2021.

JUDT, Tony. Pós-guerra: uma história da Europa desde 1945. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011.

LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia da Letras, 2009.

LOPES, M.T. e De ARAUJO, K.M. Michelle Perrot, capitalização da beleza feminina e a história das mulheres como argumentos para o empoderamento feminino. In: 16° Colóquio de Moda, 2021, Edição On-line. Anais Colóquio de Moda, 2021.

LOPES, M.T., VASCONCELOS, R. N., BARROS, D. T. O ensino da moda como argumento semiótico para a emancipação feminina In: 16o Colóquio de Moda, 2021, Edição On-line. Anais Colóquio de Moda, 2021.

LOPES, M. T. A formação do olhar, o design de moda e a história da moda como argumento para a emancipação feminina. In: SEMINÁRIO MODA DOCUMENTA, S.I., 2016, Curitiba.

LOPES, M.T. Uma formação do olhar: o design da informação como conteúdo formador professores das licenciaturas brasileiras. UFPE, Recife: 2014. Mimeo. p. 499.

PITA, Denise. Pierre Cardin – Morre o “Rei da passarela” aos 98 anos, conheça sua vida e trajetória. [S. l.], 30 dez. 2020. Disponível em: https://www.fashionbubbles.com/historia-da-moda/pierre-cardin-no-brasil-coletiva-de-emprensa-cardin-por-cardin/94615/. Acesso em: 27 abr. 2021.

PERROT, Michelle (2017). Minha história das mulheres. [trad. Angela M.S Correa], – 2 ed. 4 reimpressões – São Paulo: Contexto.

WAGNER, C. Zeitgeist, o Espírito do Tempo – Experiências Estéticas. Revista de Cultura e Extensão USP, [S. l.], v. 12, p. 21-29, 2014. DOI: 10.11606/issn.2316-9060.v12i0p21-29. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rce/article/view/86802. Acesso em: 9 out. 2022.

Publicado

2023-01-01

Como Citar

YPIRANGA, M. T. L.; BARROS NETO, D. T. de. Emancipação feminina e a moda sessentinha dos três visionários: Pierre Cardin, André Courreges e Paco Rabanne. Modapalavra e-periódico, Florianópolis, v. 16, n. 38, p. 65-118, 2023. DOI: 10.5965/1982615x16382023065. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/modapalavra/article/view/22509. Acesso em: 5 fev. 2023.