Design de Serviço e Moda:

relações para o desenvolvimento de plataformas colaborativas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1982615x14342021111

Palavras-chave:

desenvolvimento sustentável, inovação, economia criativa

Resumo

O impacto gerado pelo consumo excessivo trouxe, não apenas ao meio ambiente, mas também à sociedade e economia, consequências que questionam a longevidade da espécie humana. Em busca de soluções para tríade da sustentabilidade, percebe-se movimentos pelo mundo, e mais recentemente no Brasil, instigados pelo contexto contemporâneo de inovação e tecnologia, com reflexos para mudança de comportamento do consumidor, de processos produtivos das organizações e, inclusive, de legislação. Na moda, que careceu de identidade nacional por muitas décadas, verifica-se o surgimento de plataformas colaborativas de serviços que são disruptivas para o setor. Assim, objetiva-se compreender a relação do design de serviço no desenvolvimento de plataformas colaborativas para o setor da moda brasileira. Para tanto, procede-se à pesquisa de caráter exploratório, de abordagem qualitativa e, como método de levantamento de dados, a revisão narrativa de literatura. Desse modo, observa-se a potencialidade do mercado de moda brasileiro para inovação, quando abordado pelo design de serviço.

Biografia do Autor

Maicon Douglas Livramento Nishimura, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Bacharel em Administração de Empresas e Moda - Habilitação em Design de Moda, pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC - 2012 e 2018). Mestre em Ergonomia pelo Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC - 2018). Doutorando em Gestão de Design pelo Programa de Pós-graduação em Design da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). 

Ricardo Triska, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Graduado em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC - 1984), mestrado em Ciência da Informação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ - 1993) e doutorado em Engenharia de Produção (Área de concentração Ergonomia) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC - 2001). Professor associado 4 da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), lotado no Departamento de Expressão Gráfica, compõe o quadro de Docentes Permanentes do Programa de Pós-graduação em Design, níveis mestrado e doutorado, e do curso de Bacharelado em Design.

Referências

ABIT - Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção. Conheça o Lab Moda Sustentável, plataforma de colaboração e inovação do setor. 2019. Disponível em:https://www.abit.org.br/noticias/conheca-o-lab-moda-sustentavel-plataforma-de-colaboracao-e-inovacao-do-setor. Acesso em: 11 dez. 2020.

ALVESSON, M.; HARDY, C.; HARLEY, B. Reflecting on reflexivity: reflexive textual practices in organization and management theory. Journal of Management Studies, v. 45, n. 3, p.480-501, abr. 2008. Disponível em: https://doi.org/10.1111/j.1467-6486.2007.00765.x. Acesso em: 11 dez. 2020.

ANTHONY, S. The little black book of innovation: how it works, how to do it. Boston: Harvard Business Review Press, 2012a.

ANTHONY, S. The new corporate garage. Harvard Business Review, v. 90, n. 9, p. 44-53, 2012b.

BARCELLOS, L. Novos modelos de negócio de moda sustentável, estudo de caso da plataforma colaborativa: malha. 2018. Dissertação (Mestrado) - Universidade do Minho, Escola de Engenharia, Programa de Pós-Graduação em Design Têxtil, Guimarães, 2018. Disponível em: http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/60373. Acesso em: 11 dez. 2020.

BAREGHEH, A.; ROWLEY, J.; SAMBROOK, S. Towards a multidisciplinary definition of innovation. Management Decision, v. 47, n. 8, p.1323-1339, set. 2009. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1108/00251740910984578. Acesso em: 11 dez. 2020.

BERLIM, L. Moda e sustentabilidade: uma reflexão necessária. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2016.

BOFF, L. Sustentabilidade: o que é: o que não é. Petrópolis: Vozes, 2017.

BRIEDE, J.; CABELLO, M.; PÉREZ, C.; ARRIAGADA, A. Plataforma colaborativa para la gestión de proyectos de diseño industrial. Formácion Universitaria, v. 9, n. 3, p.61-74, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.4067/s0718-50062016000300008. Acesso em: 11 dez. 2020.

BUENO, B.; BALESTRIN, A. Inovação colaborativa: uma abordagem aberta no desenvolvimento de novos produtos. Revista de Administração de Empresas, v. 52, n. 5, p.517-530, set./out. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rae/v52n5/a04v52n5.pdf. Acesso em: 11 dez. 2020.

CEGLIA, D. Uma análise complexa e rizomática da indústria da moda: em direção a uma economia criativa circular. 2020. 221 p. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Escola de Administração, Programa de Pós-Graduação em Administração, Rio Grande do Sul, 2020. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/207039. Acesso em: 12 jun. 2021.

CHERNS, A. Principles of sociotechnical design revisted. Human Relations, v. 40, n. 3, p.153-161, mar. 1987. Disponível em: https://doi.org/10.1177/001872678704000303. Acesso em: 11 dez. 2020.

CIDREIRA, R. Os sentidos da moda: vestuário, comunicação e cultura. São Paulo: Annablume, 2005.

DORST, K. Design problems and design paradoxes. Design Issues, v. 22, n. 3, p.4-17, jul. 2006. Disponível em: https://doi.org/10.1162/desi.2006.22.3.4. Acesso em: 11 dez. 2020.

ELKINGTON, J. Canibais com garfo e faca. São Paulo: Makron Books, 2001.

FELIPPE, A.; RECH, S.; SILVEIRA, I.; ROSA, L. Fashion lab como fator de inovação no design autoral de moda. ModaPalavra, v. 13, n. 30, p.9-39, out./dez. 2020. Disponível em: https://www.periodicos.udesc.br/index.php/modapalavra/article/view/18768/12047. Acesso em: 23 jun. 2021.

FLETCHER, A. Applying critical realism in qualitative research: methodology meets method. International Journal of Social Research Methodology, v. 20, n. 2, p.181-194, fev. 2016. Disponível em: https://doi.org/10.1080/13645579.2016.1144401. Acesso em: 11 dez. 2020.

FLETCHER, K., GROSE, L. Moda & sustentabilidade: design para mudança. São Paulo: Senac, 2011.

FLETCHER, K. Sustainable fashion and textiles. London: Routledge, 2014.

GIL, A. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GWILT, A. Moda sustentável: um guia prático. São Paulo: Gustavo Gili, 2014.

HELKKULA, A. Characterising the concept of service experience. Journal of Service Management, v. 22, n. 3, p.367-389, jun. 2011. Disponível: https://doi.org/10.1108/09564231111136872. Acesso em: 11 dez. 2020.

HETHORN, J., ULASEWICZ, C. Sustainable fashion: why now? A conversation about issues, practices, and possibilities. New York: Fairchild Books, 2008.

KELLEY, T.; LITTMAN, J. The art of innovation: lessons in creativity from IDEO, America’s leading design firm. New York: Doubleday, 2011.

KOTLER, P.; KELLER, K. L. Administração de marketing. 14. ed. São Paulo: Pearson Education, 2012.

LEE, M. Eco chic: o guia de moda ética para a consumidora consciente. São Paulo: Larousse do Brasil, 2009.

LEIS, H. A modernidade insustentável: as críticas do ambientalismo à sociedade contemporânea. 2 ed. Montevideo: Coscoroba, 2004.

LEITÃO, D. Brasil à moda da casa: imagens da nação na moda brasileira contemporânea. 2007. 373 p. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Rio Grande do Sul, 2007. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/10252. Acesso em: 11 dez. 2020.

LIPOVETSKY, G. O império do efêmero: a moda e seus destinos nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

LIPOVETSKY, G. A sociedade da sedução: democracia e narcisismo na hipermodernidade liberal. Barueri: Manole, 2020.

MALHA. História. 2020. Disponível em:https://www.malha.cc/historia. Acesso em: 11 dez. 2020.

MOZOTA, B.; KLÖPSCH, C.; COSTA, F. Gestão do design: usando o design para construir valor de marca e inovação corporativa. Porto Alegre: Bookman, 2011. 343p.

MYHREN, P.; WITELL, L.; GUSTAFSSON, A.; GEBAUER, H. Incremental and radical open service innovation. Journal of Services Marketing, v. 32, n. 2, p.101-112, abr. 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1108/JSM-04-2016-0161. Acesso em: 11 dez. 2020.

NEIRA, L. A invenção da moda brasileira. Caligrama, v. 4, n. 1, abr. 2008. Disponível em: http://dx.doi.org/10.11606/issn.1808-0820.cali.2008.68123. Acesso em: 11 dez. 2020.

SALCEDO, E. Moda ética para um futuro sustentável. São Paulo: Gustavo Gili, 2014.

SANT`ANNA, M. Teoria de moda: sociedade, imagem e consumo. São Paulo: Estação das Letras, 2007.

SCHUMPETER, J. The explanation of the business cycle. Economica, v. 21, n. 21, p.286-311, dez. 1927.

SCHULTE, N. Reflexões sobre moda ética: contribuições do biocentrismo e do veganismo. Florianópolis: Editora da UDESC, 2015. 160 p.

SCMC - Santa Catarina Moda e Cultura. Página inicial. 2020. Disponível em: https://www.scmc.com.br. Acesso em: 11 dez. 2020.

WILDEN, R.; AKAKA, M.; KARPEN, I.; & HOHBERGER, J. The evolution and prospects of service-dominant logic: an investigation of past, present, and future research. Journal of Service Research, v. 20, n. 4, p.345-361, jul. 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1177/1094670517715121. Acesso em: 11 dez. 2020.

WDO - World Design Organization. Definition of industrial design. 2020. Disponível em: https://wdo.org/about/definition/. Acesso em: 11 dez. 2020.

YU, E.; SANGIORGI, D. Service design as an approach to implement the value cocreation perspective in new service development. Journal of Service Research, v. 21, n. 1, p.40-58, mai. 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1177/1094670517709356. Acesso em: 11 dez. 2020.

UNCTAD - United Nations Conference on Trade and Development. Relatório de economia criativa 2010, 2010. Disponível em: https://unctad.org/pt/docs/ditctab20103_pt.pdf. Acesso em: 11 dez. 2020.

VEIGA, J. Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Garamond, 2010.

VEIGA, J. Para entender desenvolvimento sustentável. São Paulo: Editora 34, 2015.

VERGANTI, R. Design, meanings, and radical innovation: a metamodel and a research agenda. Journal of Product Innovation Management, v. 25, n. 5, p.436-456, set. 2008. Disponível em: https://doi.org/10.1111/j.1540-5885.2008.00313.x. Acesso em: 11 dez. 2020.

VINK, J.; TRONVOLL, B.; EDVARDSSON, B.; WETTER-EDMAN, K.; AGUIRRE, M. Service ecosystem design: doing institutional work through service design. Proceedings of the Naples Forum on Service, p.1-15, 2017.

Downloads

Publicado

2021-09-30

Edição

Seção

Variata