BRINCA VOCÊ, BRINCAMOS NÓS: IMAGINAÇÃO INFANTIL E ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL

Autores

  • GRAZIELLE ELOÍSA BALDUINO PPGED/FACED/UFU bolsista
  • Myrtes Dias da Cunha faced/ufu

Palavras-chave:

crianças, culturas infantis, imaginação, brinquedos e cotidiano escolar.

Resumo

As relações entre crianças e crianças, crianças e adultos são fundamentais na brincadeira, são tão importantes quanto o próprio brinquedo. Brincar é mais do que manipular um brinquedo, envolve (re)criações e relações. Apresentamos aqui uma atividade escolar que envolveu assistir um filme, roda de conversa sobre aspectos do filme e a criação de objetos imaginados; tal atividade realizou-se com 15 crianças e jovens de 10 a 14 anos de um 3 ano do Ensino Fundamental, no âmbito de um projeto de pesquisa em andamento numa escola municipal de Uberlândia. O objetivo central dessa atividade foi conhecer significados e sentidos da imaginação e as possibilidades imaginativas e criativas desse grupo de estudantes ao construírem brinquedos imaginados por eles com material reciclável. A partir do envolvimento dos estudantes com as atividades propostas pudemos verificar que as conversas entre o grupo, a construção dos objetos imaginados e as brincadeiras realizadas permitiram ao sujeito refletir sobre informações e conhecimentos com os quais convivem a todo o momento, por exemplo, o lugar da tecnologia em nossas vidas e, nesse processo, destacou-se para nós como muito importante, o relacionamento dos estudantes entre si durante a construção dos brinquedos, num movimento de aprender com os colegas, de fazer junto com o(s) outro(s) e também realizar construções próprias. Constatamos que a escola, em geral, e os professores, em específico, desconhecem e não levam em consideração tais movimentos e produções dos estudantes, além de conferir pouco valor para o trabalho conjunto que eles realizam e para significados e sentidos que caracterizam as produções infantis. Para nós, os comportamentos desses meninos e meninas, em todas as ações realizadas, demonstraram um jeito próprio de ser e agir e a importância do outro no processo de imaginar e construir objetos, denotando culturas da infância que se apresentam no cotidiano escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

23-12-2013

Como Citar

BALDUINO, GRAZIELLE ELOÍSA; CUNHA, Myrtes Dias da. BRINCA VOCÊ, BRINCAMOS NÓS: IMAGINAÇÃO INFANTIL E ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL. Revista Educação, Artes e Inclusão, Florianópolis, v. 8, n. 2, p. 1–17, 2013. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/4118. Acesso em: 27 fev. 2024.