Balanço da produção cientifica sobre arte e educação especial (2003-2017)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/19843178172021e0014

Palavras-chave:

Ensino de Arte, Educação Especial, Produção do conhecimento, Pessoa com deficiência

Resumo

O presente texto analisa as produções científicas acadêmicas sobre a Arte e Educação Especial disponibilizadas na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações do IBICT. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, de cunho quantitativa, que contou com os recursos da análise bibliométrica para coletar, tratar e analisar todo o material. O resultado da pesquisa apresenta o corpus final de 16 artigos, produzidos por 16 diferentes autores, em sua maioria por mulheres, entre 2003 e 2017, com maior predominância no quadriênio 2009 a 2012. Os estudos concentram-se na Região Sudeste e nas instituições de ensino superior como a UDESC, USP, UFU, UFRN. Predominaram as pesquisas defendidas nos Programas de Pós-Graduação em Artes e, geralmente, com ênfase na modalidade de Artes Visuais. Os temas das 16 produções concentram-se na discussão da inclusão na e pela Arte, seguido do ensino de Arte. Os objetivos dos trabalhos versavam sobre a importância de compreender o papel da Arte na inclusão social e escolar das pessoas com deficiência, bem como entender a relevância da Arte na educação formal e não-formal. Os resultados dos estudos sinalizam que a Arte traz muitos benefícios relacionados à qualidade de vida e promoção da inclusão, porém, poucos enfatizam os aspectos pedagógicos e formativos da Arte. Conclui-se que a produção científica sobre Arte e Educação Especial é relevante, mas requer repensar a discussão da apropriação do conhecimento artístico pelas pessoas com deficiência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Taís da Silva Lins, Universidade Paulista/Licenciada em Pedagogia

Licenciada em Pedagogia pela Universidade Paulista, campus Sorocaba.

Joao Henrique da Silva, Universidade Federal de Roraima, Professor visitante do Programa de Pós-Graduação em Educação

Professor visitante do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Roraima. Editor Adjunto da Revista Educação, Pesquisa e Inclusão da mesma universidade. Doutor em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos. Filósofo e pedagogo.

Referências

ALMEIDA, Renata Mara Fonseca de. Não ver e ser visto em dança: análise comparativa entre o Potlach Grupo de Dança e a Associação / Cia. de Ballet de Cegos. 2012. 104f. Dissertação (Mestrado em Artes) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2012.

ANVERSA, Priscila et al. O que pensam as famílias sobre a formação artística dos filhos com deficiência? com a palavra, as mães. 2011. 195f. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

BALLESTERO-ÁLVAREZ, Jose Alfonso. Multissensorialidade no ensino de desenho a cegos. 2003. 120f. Dissertação (Mestrado em Artes) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

BEZERRA, Edibergon Varela. Música e deficiência visual: os processos de aprendizagem musical no Projeto Esperança Viva. 2016. 124f. Dissertação (Mestrado em Música) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.

BRASIL. Decreto nº 7.611/2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7611.htm#art11>. Acesso em: 26 nov. 2017.

BRASIL. Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007. Brasília, DF: Presidência da República, 2009.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília, DF: MEC/SEESP, 2008.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: arte / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1997.

CHRISTOFOLETTI, Rafael. Ensaio-fílmico: cinema, loucura e resistência. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2013.

FABRETTI, Lydiane Regina Pereira. A frente e o verso da trama: grupos vivenciais junguianos com mulheres que cuidam, esperam e criam nas rodas de artesanato. 2011. 240f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

FERREIRA, Francisco Romão. Ciência e arte: investigações sobre identidades, diferenças e diálogos. Educ. Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 1, p. 261-280, abril de 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022010000100005&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 05 mar. 2020.

FERREIRA, Nathalia Botura de Paula; DUARTE, Newton. As artes na educação integral: uma apreciação histórico-crítica. Revista Ibero-americana de estudos em educação, Araraquara, v. 6, n. 3, p. 115-126. 2011. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/5006/4155. Acesso em: 07 mar. 2020.

FERRI, Márcia Barcellos. Ensino de artes para crianças: caminho para a autonomia ou adaptação? Revista online de Política e Gestão Educacional, Araraquara, n. 7, 2017. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/9256. Acesso em: 09 mar. 2020.

HAYASHI, Maria Cristina; HAYASHI, Carlos Roberto; MARTINEZ, Claudia Maria. Estudos sobre jovens e juventude: diferentes percursos refletidos na produção científica brasileira. Educação, Sociedade & Culturas, Universidade do Porto, v. 27, p. 131-154, 2008. Disponível em: https://www.fpce.up.pt/ciie/revistaesc/ESC27/27_cristina.pdf. Acesso em: 09 mar. 2020.

KIRST, Adriane Cristine. As aprendizagens do público com deficiência visual: uma experiência de diálogo com a arte contemporânea. 2010. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

LUDWIG, Ana Paula. A arte no desenvolvimento da criança: contribuições da teoria histórico-cultural. 2018. 52 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2018.

MINAYO, Maria Cecilia de S.; SANCHES, Odécio. Quantitativo-qualitativo: oposição ou complementaridade? Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 9, p. 237-248, 1993. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v9n3/02.pdf. Acesso em: 09 mar. 2020.

MORAES, Marcela Cristina de. Mediação pedagógica, inserção escolar de alunos com deficiência mental e arte: um olhar sobre o projeto espaço criativo. 2007.152f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2007.

MYCZKOWSKI, Rafael Schultz. Apagamentos retratos da privação. 2015. 154f. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

PALAIA, Alessandra Rachel Antonelli. Oficina de cerâmica: o ensino da arte para alunos com necessidades educacionais especiais. 2009. 113. Dissertação (Mestrado em Artes) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

NEVES, Libéria Rodrigues. Contribuições da Arte ao Atendimento Educacional Especializado e à Inclusão Escolar. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 23, n. 4, p. 489-504, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-65382017000400489. Acesso em: 09 mar. 2020.

PIEKAS, Mari Inês. A desconstrução do esquema gráfico aplicado ao ensino de desenho para crianças cegas. 2010. 230f. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

PITOMBO, Paulo Fernando Dias de Toledo. Prática Artística para Todos: as artes plásticas no cenário da inclusão social na cidade de São Paulo. 2007. 182f. Dissertação (Mestrado em Artes) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

PIZZANI, Luciana et al. A arte da pesquisa bibliográfica na busca do conhecimento. RDBCI - Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 10, n. 1, p. 53-66, 2012. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/1896. Acesso em: 09 mar. 2020.

POSCA, Luís Muller. Criação de material de apoio para o ensino básico de artes visuais para alunos deficientes visuais. 2017. 63f. Dissertação (Mestrado em Artes) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2017.

REILY, Lucia. O ensino de artes visuais na escola no contexto da inclusão. Cadernos Cedes, Campinas, vol. 30, n. 80, p. 84-102, jan./abr. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v30n80/v30n80a07.pdf. Acesso em: 09 mar. 2020.

RIBEIRO, Ione Rossi. Arte na Educação Especial. Disponível em: <http://www.nupea.fafcs.ufu.br/atividades/1-ERRAE-e-4-SRAEA/MESAS/1-ERRAE-e-4-SRAEA-MESA.pdf>. Acesso em: 10 nov. 2017.

ROMÃO, Telma Sampaio. Ampliação de movimentos na dança circular com pessoas com deficiência visual. 2011. 139f. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.

SILVA, João Henrique da; HAYASHI, Maria Cristina Piumbato Innocentini. Estudo bibliométrico da produção científica sobre a associação de pais e amigos dos excepcionais. Revista Educação Especial, v. 31, n. 60, p. 65-80, jan./mar. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/18170. Acesso em: 20 jul. 2020.

SILVA, Márcia Regina; HAYASHI, Carlos Roberto Massao; HAYASHI, Maria Cristina Piumbato Innocentini. Análise bibliométrica e cientométrica: desafios para especialistas que atuam no campo. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, São Paulo, v. 2, n. 1, p. 110-129, 2011. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/incid/article/view/42337.Acesso em: 09 mar. 2020.

SOARES, Ivana de Souza. Processos de criação em artes visuais: o tempo tecendo encontros. 2013. 90f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

TOMAZ, Marina Vargas. Além da visão: mediações na experiência estética. 2016. 136. Dissertação (Mestrado em Artes) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.

Downloads

Publicado

2021-12-02

Como Citar

LINS, T. da S.; SILVA, J. H. da. Balanço da produção cientifica sobre arte e educação especial (2003-2017). Revista Educação, Artes e Inclusão, Florianópolis, v. 17, p. e0014, 2021. DOI: 10.5965/19843178172021e0014. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/17134. Acesso em: 24 maio. 2022.