A utilização dos métodos ativos na educação musical especial com deficientes intelectuais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/19843178172021e0003

Palavras-chave:

Educação Musical; Deficiência Intelectual; Métodos ativos;

Resumo

Descrevemos uma investigação na área da educação musical especial com a utilização dos métodos ativos para alunos com deficiência intelectual (DI). O trabalho mostra possíveis benefícios proporcionados pela utilização de ações inspiradas nos métodos ativos para o desenvolvimento geral dos educandos, incluindo aspectos relacionados à cognição, motricidade e interação social. O objetivo da pesquisa foi compreender a aplicabilidade dos métodos ativos nas aulas de música com alunos deficientes intelectuais. A metodologia utilizada foi a autoetnografia, que descreve uma vivência pessoal e busca revelar o conhecimento de dentro de um fenômeno, mostrando aspectos que nem sempre podem ser acessados na pesquisa convencional. Realizamos a descrição de três modelos de aulas aplicadas em três turmas diferentes e analisamos os objetivos das aulas, os métodos utilizados e os resultados. Consideramos a utilização dos métodos ativos com deficientes intelectuais como um recurso viável que beneficia o desenvolvimento de habilidades musicais e extramusicais que podem auxiliar na melhoria da qualidade de vida dos alunos.

Biografia do Autor

Eliton Perpetuo Rosa Pereira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás.

Doutor em Ciências da Educação (Universidade de Santiago de Compostela - Espanha). Mestre em Música (EMAC-UFG). Especialista em Tecnologias em Educação (PUC-RJ). Licenciado em Música (EMAC-UFG). No IFG/Brasil atua na Licenciatura em Música - Campus Goiânia. Tem experiência em Educação Musical, Canto Coral, Metodologia Científica e Formação de Professores.

Diana da Silva Teixeira, Associação dos Funcionários do Fisco de Goiás.

Mestre em Ciências da Saúde, Bacharel em Musicoterapia.

Claudia Caetano de Oliveira Costa, ITEGO - Basileu França / APAE - Associação de Pais e Amigos dos Especiais.

Bacharel em Musicoterapia, Licenciada em Música.

Referências

BARBA, Fernando; Núcleo Educacional Barbatuques. O corpo do som: experiências do Barbatuques. Música na Educação Básica. Brasília: 2013.

BIRKENSHAW-FLEMING, Lois. Music for all: teaching music to people with special needs. Toronto: Gordon Thompson Music, 1993.

BRASIL, Ano Internacional das Pessoas Deficientes. Rio de Janeiro: Comissão Nacional Relatório de Atividades Brasil, 1981. Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=28678>. Acesso em: 22 jul. 2017.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/tvescola/leis/lein9394.pdf.> Acesso em: 04 jul. 2016.

BRASIL. Decreto nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004. Regulamenta as Leis 10.048, de 8 de novembro de 2000, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Brasília, DF, 2004. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2004/decreto-5296-2-dezembro-2004-534980-normaatualizada-pe.pdf>. Acesso em: 04 jul. 2016.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Grupo de Trabalho da Política Nacional de Educação Especial. Secretaria de Educação Especial. Brasília: MEC/SEESP, 2008. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/revinclusao5.pdf>. Acesso em: 20 set. 2016.

BRASIL. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. 4ª ed., rev. e atual. Brasília: Secretaria de Direitos Humanos, Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, 2011. Disponível em: <https://sisapidoso.icict.fiocruz.br/sites/sisapidoso.icict.fiocruz.br/files/convencaopessoascomdeficiencia.pdf>. Acesso em: 26 jun. 2017.

BRASIL. Lei nº 12.796, de 4 de abril de 2013. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências. Brasília, DF, 2013. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12796.htm> Acesso em: 26 jun. 2017.

BRASIL. Legislação Brasileira sobre pessoas com deficiência. 7ª edição. Série Legislação. Biblioteca Digital da Câmera. Brasília, 2013. Disponível em: <http://www.portaldeacessibilidade.rs.gov.br/uploads/1411648989legislacao_portadora_deficiencia_7ed.pdf>. Acesso em: 10 jul. 2017.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, DF, 2015. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm> Acesso em: 26 jun. 2017.

BOSSLE, Fabiano. O “eu do nós”: o professor de educação física e a construção do trabalho coletivo na rede Municipal de ensino de Porto Alegre. Tese Doutorado em Ciências do Movimento, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre 2008. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/14944>. Acesso em: 14 jan. 2018.

BRUSCIA, Kenneth E. Definindo Musicoterapia. 3ª ed. Rio de Janeiro: Ed. Enelivros, 2016.

BUNDCHEN, Denise B. S. A relação ritmo-movimento no fazer musical criativo: uma abordagem construtivista na prática de canto-coral. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/5808/000520868.pdf>. Acesso em: 08 ago. 2017.

CARMO, Eric G. do. O ensino do ritmo musical e a prática musical coletiva na escola: uma proposta metodológica. Revista: LENPES-PIBID de Ciências Sociais - UEL. v. 5, n. 1, p.1-6, 2015. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/lenpes-pibid/> Acesso em: 08 abr. 2017.

CARVALHO, Daniela T. de. Brincadeiras musicais na sala de aula. Coord. Tizuko Morchida Kishimoto. São Paulo: EUSP/FAFE/LABRIMP, 2009.

CIL, Luciana R.; GONÇALVES, Taísa G. G. L. Educação musical e educação especial na produção científica de dissertações e teses. Revista Música Hodie, Goiânia, v. 18, n. 2, p. 327-342, 2018. Doi: https://doi.org/10.5216/mh.v18i2.49262

COBB, Henry V.; MITTLER, Peter. Diferenças significativas entre deficiência e doença mental. Folhetos SNR nº 54. Editor: Secretariado Nacional para a reabilitação e Integração das Pessoas com deficiência. Lisboa, 2005.

FONSECA, Vitor da. Manual de Observação Psicomotora: significação psiconeurológica dos fatores psicomotores. 2ª ed. Porto Alegre: Wak editora, 2012.

FONTERRADA, Marisa T. de O. De tramas e fios: um ensaio sobre música e educação. 2ª ed. São Paulo: Editora UNESP, 2008.

GAINZA, Violeta Hemsy. Estudo de psicopedagogia musical. São Paulo: Ed. Summus, 1988.

GONÇALVES, Martha A. Educação Musical e inclusão escolar: uma aproximação teórica. Monografia de Graduação em Música - UNIRIO, Rio de Janeiro, 2006. Disponível em: <https://musicaeinclusao.files.wordpress.com/2016/06/gonc3a7alves-martha-educac3a7c3a3o-musical-e-inclusc3a3o-escolar_uma-aproximac3a7c3a3o-tec3b3rica.pdf>. Acesso em: 30 jul. 2017.

GOULART, Diana. Dalcroze, Orff, Kodály, Suzuki - Semelhanças, diferenças, especificidades. 2000. 22p. Disponível em <http://www.dianagoulart. com/Canto_Popular/Educadores.html>. Acesso em: 08 ago. 2017.

JOLY, Liza Z.; SEVERINO, Natália B. Processos educativos e práticas sociais em música: um olhar para educação humanizadora. Curitiba: Editora CRV, 2016.

KATER, Carlos. Por que música na escola? Algumas reflexões. A música na escola. Ed. Allucci e Associados comunicações, São Paulo, 2012. Disponível em: <http://www.amusicanaescola. com.br/pdf/Carlos_Kater.pdf>. Acesso em: 17 dez. 2017.

LEONART, Ana P. de S. A inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho. Revista Direitos Fundamentais e Democracia, nº 2, UNIBRASIL, 2007. Disponível em: <https://livros-e-revistas.vlex.com.br/vid/pessoa-com-ncia-mercado-trabalho-75745238>. Acesso em: 22 jul. 2017.

LOURO, Viviane. Fundamentos da Aprendizagem Musical da pessoa com deficiência. São Paulo: Ed. Som, 2012.

MARTINEZ, Albertina M., TACCA, Maria C. V. R. Possibilidades de aprendizagem: ações pedagógicas para alunos com dificuldades e deficiência. Campinas – SP: Alínea, 2011.

MATEIRO, Tereza; ILARI, Beatriz (Orgs.). Pedagogias em educação musical. Curitiba: Editora Intersaberes, 2012.

MEC. Direito à Educação Subsídios para a Gestão dos Sistemas Educacionais: orientações gerais e marcos legais. 2ª Ed. MEC - Secretaria de Educação Básica, Brasília, 2006. Disponível em: . Acesso em: 16 jul. 2017.

MEC. Deficiência Mental - Atendimento Educacional Especializado. GOMES, Adriana L., FERNANDES, Anna C., BATISTA, Cristina A. M., SALUSTIANO, Dorivaldo A., MANTOAN, Teresa E. e FIGUEIREDO, Rita V. de. (Orgs.). Brasília - DF, 2007. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/aee_dm.pdf>. Acesso em: 15 jul. 2017.

OLIVEIRA, Jonathan de; SILVA, Fabiana B. A educação musical especial: um universo a ser explorado na cidade de João Pessoa. In: XV ENCONTRO ANUAL DA ABEM, 2006. Anais... João Pessoa: ABEM, 2006. p. 36-42.

OMS. Organização Mundial da Saúde. Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde – CID-10, 2007. Disponível em: <http://www.datasus.gov.br/cid10/V2008/WebHelp/f70_f79.htm> Acesso em: 20 jul. 2016.

OMS. Organização Mundial da Saúde. Relatório mundial sobre deficiência. Traduzido por Lexicus Serviços Linguísticos, São Paulo, 2012. Disponível em: <http://www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/usr/share/documents/RELATORIO_MUNDIAL_COMPLETO.pdf>. Acesso em: 01 jul. 2017.

PENNA, Maura. Música(s) e seus ensino. Porto Alegre: Ed. Sulina, 2012.

PINTO, Renato M. Gesto musicalizados: uma relação entre educação física e música. Belo Horizonte: Ed. Inédita, 1997.

PLANO 01. Planejamento de aulas de música para turmas ASI I, ASI II, ASI III. Centro Integrado de Educação e trabalho... (identidade preservada). Goiânia, 2013. Documento não publicado.

PLANO 02. Planejamento de aulas de música para turmas ASI I, ASI II, ASI III. Centro Integrado de Educação e trabalho... (identidade preservada). Goiânia, 2014. Documento não publicado.

PLANO 03. Planejamento de aulas de música para turmas ASI I, ASI II, ASI III. Centro Integrado de Educação e trabalho... (identidade preservada). Goiânia, 2015. Documento não publicado.

RODRIGUES, Lisiane S., GONZÁLEZ, Fernando J. Autoetnografia na pesquisa em educação histórica um desafio autonarrado. Revista História e Ensino, v. 21, n. 2, p. 342-361, jul/dez. Londrina, 2015.

RAVAGNANI, Anahi. A Educação Musical de crianças com síndrome de Down em um contexto de interação social. Dissertação de Mestrado em Música. Departamento de Artes, do Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2009. 122p. Disponível em: <https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/19801/DISSERTACAO.pdf?sequence=1&isAllowed=y> Acesso em: 03 abr. 2018.

SANTOS, Scarlat S. B. Para além do som: Relato de uma experiência pedagógico-musical com surdos. In: XVII ENCONTRO REGIONAL SUL DA ABEM - DIVERSIDADE HUMANA, RESPONSABILIDADE SOCIAL E CURRÍCULOS: INTERAÇÕES NA EDUCAÇÃO MUSICAL. Curitiba, 13 a 15 de outubro de 2016. Anais... Curitiba, 2016. p.1-8. Disponível em:<http://abemeducacaomusical.com.br/conferencias/index.php/xviiregsul/regs2016/paper/viewFile/1941/847> Acesso em: 02 mar. 2018.

SANTOS, Silvio M. A. O método da autoetnografia na pesquisa sociológica: atores, perspectivas e desafios. PLURAL, Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da USP, São Paulo, v. 24.1, p. 214-241, 2017.

SCRIBANO, Adrián.; DE SENA, Angelica. Construcción de conocimiento en Latinoamérica: algunas reflexiones desde la auto-etnografía como estrategia de investigación. Cinta moebio, n. 34, p.1-15, 2009. Doi: 10.4067/S0717-554X2009000100001

VICTÓRIO, Márcia. O bê-a-ba do dó-ré-mi: reflexões e práticas sobre educação musical nas escolas de ensino básico. Rio de Janeiro: Editora Wak, 2011.

Downloads

Publicado

2021-06-17