Ensino de artes, relações de gênero, sexualidade e diversidade sexual: narrativas de estudantes gays

Autores

  • Pedro Paulo Souza Rios Universidade Federal de Sergipe
  • Alfrancio Ferreira Dias Universidade Federal de Sergipe
  • Andre Ricardo Lucas Vieira Universidade do Estado da Bahia

Palavras-chave:

Ensino de Artes, Relações de Gênero, Narrativas Gays

Resumo

O presente estudo tem por objetivo analisar as intersecções a partir das aulas do componente curricular Ensino de Artes e as relações de gênero, diversidade sexual e sexualidade, vivenciadas por três estudantes gays, do primeiro ano do Ensino Médio, do Colégio Modelo Luiz Eduardo Magalhães em Senhor do Bonfim – Bahia. Para tanto, utilizamos a perspectiva teórica pós-crítica, a partir das narrativas (auto)biográficas. O estudo sinalizou que o componente Ensino de Artes se constitui enquanto espaço educativo agregador da diversidade sexual e de gênero. Contudo, foi possível perceber que a matriz curricular da escola não consegue abarcar questões presentes na contemporaneidade, negligenciando temáticas como gênero, diversidade sexual e sexualidade. Assim, as narrativas evidenciam uma intrínseca relação entre o Ensino de Artes e as questões de gênero dentro da escola.  Compreender o Ensino de Arte enquanto componente curricular obrigatório no contexto escolar faz-se necessário, no entanto, compreendê-lo na perspectiva interdisciplinar, torna-se imprescindível, uma vez que a escola se configura enquanto espaço legítimo de interação das experiências dos sujeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Paulo Souza Rios, Universidade Federal de Sergipe

Doutorando em Educação pela Universidade Federal de Sergipe; Mestre em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos, pela Universidade do Estado da Bahia; Especialização em Filosofia Contemporâne e Ensino de Artes; Graduado em Filosofia e Pedagogia; Professor na Universidade do Estado da Bahia - UNEB, Campus VII

Alfrancio Ferreira Dias, Universidade Federal de Sergipe

Doutor em Sociologia (UFS). Professor Adjunto do Departamento de Educação - DEDI e do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGED da Universidade Federal da Sergipe. Vice-líder do Grupo de Pesquisa: Educação, Formação, Processo de Trabalho e Relações de Gênero - CNPq. Pesquisador do Núcleo de Estudos e Pesquisas Interdisciplinares sobre a Mulher e Relações Sociais de Gênero (NEPIMG/UFS). Editor da Revista Tempos e Espaços em Educação. Desenvolve pesquisa e extensão nos seguintes temas: Gênero e educação; Formação docente e diversidade sexual; Sociologia do corpo; Estudos Queer e Educação.

Andre Ricardo Lucas Vieira, Universidade do Estado da Bahia

Mestrado em Educação de Jovens e Adultos pelo MPEJA - UNEB/BA, com especialização em Educação de Jovens e Adultos (2016), Matemática Financeira e Estatística (2015), ambas pela Universidade Candido Mendes, Gestão Escolar (2008) pela Faculdade de Ciências e Tecnologia e licenciatura em Matemática pela Universidade Nove de Julho (2000). Atualmente é professor substituto da Universidade do Estado da Bahia - UNEB, lotado no campus VII em Senhor do Bonfim. Coordena o Curso de Pós Graduação (Lato Sensu) em Matemática Aplicada oferecido pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB) - campus VII - Senhor do Bonfim e o Núcleo de Educação Matemática - NEMAT. Atuou como coordenador na PARFOR/UNEB no curso de Matemática do campus XVI - Irecê. Leciona ainda na Faculdade Nobre de Feira de Santana - FAN e na Unidade de Ensino Superior de Feira de Santana - UNEF, nos cursos de Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Engenharia Civil, Engenharia Química e Arquitetura e Urbanismo nas disciplinas de Cálculo Diferencial e Integral, Estatística, Geometria Analítica e Matemática Aplicada. Tem experiência na área de Educação, atuando como professor nos seguintes temas: Formação do Educador, Identidade Docente, Educação Matemática, Teorias Psicológicas da Aprendizagem, Metodologia do Ensino de Matemática e Estágio Curricular Supervisionado em Matemátic

Referências

ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. Pesquisa (auto)biográfica: teoria e empiria. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

ARROYO, Miguel Gonzales. Currículo, Território em Disputa. Rio de Janeiro: Vozes, 2011.

AZEVEDO JUNIOR, José Garcia de. Apostila de Arte – Artes Visuais. São Luís: Imagética Comunicação e Design, 2007.

BUTLER, Judith. Corpos que ainda importam. Sapere Aude – Belo Horizonte, v.6 - n.11, p.12-16 – 1º sem. 2015. ISSN: 2177-6342

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Tradução: Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

BARBOSA, Ana Mae. Inquietações e mudanças no ensino de arte. São Paulo: Cortez, 2002.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: primeiro e segundo ciclos do ensino fundamental (Tema Transversal Sexualidade). Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Ensino de Artes. Brasília: MEC/SEF, 1997.

Brasil. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Ministério da Educação. Secretária de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. – Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

BRASIL. LDB: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. – Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2017.

FISCHER, Ernst. A Necessidade da Arte. Rio de Janeiro: Zahar, 1983.

BAUER, Martin Wien; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro, DP&A, 2006.

JOSSO, MARIE-CHRISTINE. Experiências de vida e formação. São Paulo, Cortez, 2006.

LOURO, Guacira Lopes. (Org.). O corpo educado. Belo Horizonte: Autêntica, 1996.

LOURO, Guacira Lopes. Currículo, Género e Sexualidade. Porto Editora. Porto: Portugal, 2001.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: Uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis – RJ: Vozes. 2007.

MEYER, Dagmar Estermann. Gênero e educação: teoria e pratica. Em G. L. Louro;J.F. Neckel & S. V. Goellner 9Orgs.), Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação (pp.9-27). Petrópolis: Vozes, 2003

NÓVOA, Antonio. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, António (Org.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1993.

NÓVOA, Antonio. Os professores e as histórias da sua vida. In: NÓVOA, António (Org.) Vidas de professores. Porto: Porto, 2000.

SAVIANI, Dermeval. As concepções pedagógicas na história da educação brasileira. Campinas: Histedbr, 2006.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

SOUZA, Elizeu Clementino. A arte de contar e trocar experiências: reflexões teórico-metodológicas sobre história de vida em formação. Revista Educação em Questão, Natal, v.25, n. 11, p. 22 – 39, jan./abr., 2006a.

SOUZA, Elizeu Clementino. O Conhecimento de si – Estágio e narrativas de formação de professores. Salvador, BA, UNEB, 2006b.

VAN GOGH, V. Cartas a Théo. 2. ed. Porto Alegre: L&PM, 2008.

Downloads

Publicado

01-01-2019

Como Citar

RIOS, Pedro Paulo Souza; DIAS, Alfrancio Ferreira; VIEIRA, Andre Ricardo Lucas. Ensino de artes, relações de gênero, sexualidade e diversidade sexual: narrativas de estudantes gays. Revista Educação, Artes e Inclusão, Florianópolis, v. 15, n. 1, p. 098–118, 2019. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/10170. Acesso em: 21 fev. 2024.