Adubação potássica na qualidade de frutos de pessegueiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711942020420

Palavras-chave:

físico-químicas, fitoquimicos, Prunus persica, nutrição mineral

Resumo

Para pessegueiros produzidos na região sul do Brasil ainda são escassas as informações sobre a influência da adubação potássica sobre a qualidade dos frutos. Deste modo, o presente trabalho teve como objetivo avaliar os atributos físico-químicos e compostos bioativos dos frutos de pessegueiros submetidos a diferentes doses de potássio aplicadas no solo por três safras consecutivas. O experimento foi realizado estudando a cultivar Sensação em um pomar comercial no município de Morro Redondo, RS – Brasil, durante as safras de 2016, 2017 e 2018. Os pessegueiros da cultivar Sensação foram adubados com potássio (K) nas doses de 0, 40, 80, 120 e 160 kg ha-1 de K2O na forma de cloreto de potássio, aplicadas na superfície do solo. Após a colheita foram determinados os teores de sólidos solúveis (SS), acidez titulável (AT), relação SS/AT, pH, coloração da polpa, firmeza da epiderme e da polpa, teor de carotenoides totais, compostos fenólicos totais e atividade antioxidante. A firmeza da epiderme, a relação SS/AT e a concentração de carotenoides dos pêssegos responderam à adubação potássica, mas apenas em alguns ciclos de produção. Os parâmetros de coloração, firmeza da polpa, sólidos solúveis, pH do suco, fenóis totais e atividade antioxidante dos pêssegos não alteraram em decorrência da aplicação de potássio ao solo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALCOBENDAS R et al. 2013. Effects of irrigation and fruit position on size, colour, firmness and sugar contents of fruits in a mid-late maturing peach cultivar. Scientia Horticulturae 164: 340-347.

ALVARES CA et al. 2013. Köppen's climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift 22: 711-728.

BARRETO CF et al. 2017. Agronomic performance of the Maciel peach with different rootstocks. Semina: Ciências Agrárias 38: 1217-1228.

BRAND-WILLIANS W et al. 1995. Use of a free radical method to evaluate antioxidant activity. Lebensmittel-Wissenschaft and Technologie 28: 25-30.

BRUNETTO G et al. 2015. The pear tree response to phosphorus and potassium fertilization. Revista Brasileira de Fruticultura 37: 507- 516.

CHATZITHEODOROU IT et al. 2004. Effect of nitrogen, phosphorus, potassium fertilization and manure on fruit yield and fruit quality of the peach cultivars ‘Spring Time’ and ‘Red Haven’. Agronomy Research 2: 135-143.

CQFS-RS/SC. 2016. Comissão de Química e Fertilidade do Solo. Manual de adubação e calagem para os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. 11.ed. Porto Alegre: SBCS. 376p.

CUQUEL FL et al. 2011. Nitrogen and potassium fertilization affecting the plum postharvest quality. Revista Brasileira de Fruticultura 33: 328-336.

DELGADO R et al. 2004. Changes in the phenolic composition of grape berries during ripening in relation vineyard nitrogen and potassium fertilization. Journal of the Science of Food and Agriculture 84: 623-630.

FANASCA S et al. 2006. Changes in antioxidant content of tomato fruits in response to cultivar and nutrient solution composition. Journal of Agricultural and Food Chemistry 54: 4319-4325.

FERREIRA DF. 2014. Sisvar: a Guide for its Bootstrap procedures in multiple comparisons. Ciência e Agrotecnologia 38: 109-112.

FERREIRA LV et al. 2016. Qualidade de pêssegos submetidos à adubação nitrogenada. Revista Iberoamericana de Tecnología Postcosecha 17: 231-240.

FERREIRA LV et al. 2018. Nitrogen fertilization in consecutive cycles and its impact on high-density peach crops. Pesquisa Agropecuária Brasileira 53: 172-181.

GAZOLLA-NETO A et al. 2007. Qualidade do pêssego, cv. Maciel em função da adição de base mais foliar. Scientia Agraria 8: 233-237.

GANESHAMURTHY AN et al. 2011. Potassium nutrition on yield and quality of fruit crops with special emphasis on banana and grapes. Karnataka Journal of Agricultural Sciences 24: 29-38.

GONÇALVES MA et al. 2014. Qualidade de fruto e produtividade de pessegueiros submetidos a diferentes épocas de poda. Ciência Rural 44: 1334-1340.

JAWANDHA SK et al. 2017. Effect of potassium nitrate on fruit yield, quality and leaf nutrients content of plum. Vegetos - An International Journal of Plant Research 30: 325-328.

JIFON JL & LESTER GE. 2009. Foliar potassium fertilization improves fruit quality of field-grown muskmelon on calcareous soils in south Texas. Journal of the Science of Food and Agriculture 89: 2452-2460.

LESTER GE et al. 2010. Impact of potassium nutrition on postharvest fruit quality: Melon (Cucumis melo L.) case study. Plant Soil 335: 117-131.

MAYER NA et al. 2008. Qualidade pós-colheita de pêssegos de cultivares e seleções produzidos na microrregião de Jaboticabal-SP. Revista Brasileira de Fruticultura 30: 616-621.

MAYER NA et al. 2019. Pêssego, nectarina e ameixa: o produtor pergunta, a Embrapa responde. Brasília: Embrapa. 296p.

NAVA G et al. 2008. Nitrogen and potassium fertilization affect apple fruit quality in southern Brazil. Communications Soil and Plant Analysis 39: 96-107.

ROMBOLÀ AD et al. 2012. Nutrição e manejo do solo em fruteiras de caroço em regiões de clima temperado. Semina: Ciências Agrárias 33: 639-654.

SANTOS CM dos et al. 2013. Atividade antioxidante de frutos de quatro cultivares de pessegueiro. Revista Brasileira de Fruticultura 35: 339-344.

SOLHJOO S et al. 2017. Calcium and Potassium Foliar Sprays Affect Fruit Skin Color, Quality Attributes, and Mineral Nutrient Concentrations of ‘Red Delicious’ Apples. International Journal of Fruit Science 17: 358-373.

SWAIN T & HILLIS WE. 1959. The phenolic constituents of Prunus domestica. The quantitative analysis of phenolic constituents. Journal of the Science of Food and Agriculture 10: 63-68.

TAIZ L et al. 2017. Fisiologia e desenvolvimento vegetal. 6.ed. Porto Alegre: Artmed. 888p.

TALCOTT TS & HOWARD RL. 1999. Phenolic autoxidation is responsible for color degradation in processed carrot puree. Journal of Agriculture and Food Chemistry 47: 2109-2115.

TREVISAN R et al. 2006. Uso de poda verde, plásticos refletivos, antitranspirante e potássio na produção de pêssegos. Pesquisa Agropecuária Brasileira 41: 1485-1490.

TREVISAN R et al. 2010. Perfil e preferências do consumidor de pêssego (Prunus persica) em diferentes regiões produtoras no Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Fruticultura 32: 90-100.

Downloads

Publicado

2020-12-14

Como Citar

BARRETO, Caroline Farias; FERREIRA, Letícia Vanni; NAVROSKI, Renan; BENATI, Jorge Atílio; CANTILLANO, Rufino Fernando Flores; VIZZOTTO, Marcia; NAVA, Gilberto; ANTUNES, Luis Eduardo Correa. Adubação potássica na qualidade de frutos de pessegueiro. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 19, n. 4, p. 420–427, 2020. DOI: 10.5965/223811711942020420. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/17391. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)