Maior carga de gemas da videira resulta em melhora dos índices produtivos e vegetativos da videira ‘Cabernet Franc’ cultivada em região de elevada altitude

Autores

  • Douglas André Würz Instituto Federal de Santa Catarina, Canoinhas, SC, Brasil.
  • Bruno Farias Bonin Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil.
  • Alberto Fontanella Brighenti Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.
  • Adrielen Tamiris Canossa Universidade do Estado de Santa Catarina, Lages, SC, Brasil.
  • Juliana Reinehr Universidade do Estado de Santa Catarina, Lages, SC, Brasil.
  • Ricardo Allebrandt Universidade do Estado de Santa Catarina, Lages, SC, Brasil.
  • Betina Pereira de Bem Universidade do Estado de Santa Catarina, Lages, SC, Brasil
  • Leo Rufato Universidade do Estado de Santa Catarina, Lages, SC, Brasil
  • Aike Anneliese Kretzschmar Universidade do Estado de Santa Catarina, Lages, SC, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811711922020171

Palavras-chave:

Vitis vinifera L., produtividade, equilíbrio vegetativo, poda

Resumo

Buscando alcançar um adequado balanço vegeto-produtivo, este trabalho teve como objetivo avaliar o efeito do aumento da carga de gemas planta-1, no momento da poda, nas características produtivas e equilíbrio vegetativo da videira Cabernet Franc cultivada em região de elevada altitude de Santa Catarina. O presente trabalho foi conduzido durante a safra 2016/2017, em um vinhedo comercial, localizado no munícipio de São Joaquim. Utilizaram-se videiras da cultivar Cabernet Franc enxertadas sobre o porta-enxerto ‘Paulsen 1103’. Os tratamentos consistiram em quatro diferentes níveis de cargas de gemas: 15, 30, 50 e 75 gemas planta-1. Avaliou-se no momento da colheita variáveis produtivas e vegetativas, e ao longo do ciclo da videira, avaliou-se o crescimento de ramos e feminelas. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, com quatro blocos e cinco plantas por parcela. O aumento da carga de gemas planta-1 resultou em aumento do número de ramos e de cachos planta-1, resultando em aumento da produção por planta e da produtividade. As variáveis vegetativas foram influenciadas pelo aumento da gemas planta-1, observando-se redução do crescimento de ramos e de feminelas. O aumento da carga de gemas possibilitou melhor equilíbrio vegeto-produtivo, com redução do peso de poda, e obtenção do Índice de Ravaz mais adequado para a elaboração de vinhos de qualidade. Em vinhedos que apresentam baixa produtividade e excesso de vigor vegetativo, recomenda-se aumentar a carga de gemas planta-1 durante o manejo da poda invernal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Douglas André Würz, Instituto Federal de Santa Catarina, Canoinhas, SC, Brasil.

Engenheiro Agrônomo e Sommelier Internacional, com experiência na área de Viticultura, Enologia e Análise Sensorial de Vinhos. Especialista em Proteção de Plantas pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) e especialista em Agronegócio (Unicesumar). Desempenhou Funções de Engenheiro Agrônomo, Gerente de Campo, Recepção de visitantes e degustações em Vinícola. Atuou também como professor de Viticultura, Fitossanidade e Administração e Economia Rural do Curso Técnico de Viticultura e Enologia, da Escola de Ensino Básico Manoel Cruz, em São Joaquim - Santa Catarina. Possui qualificação WSET Level 1 Award in Wines (QCF), pela The Wine School & Spirit Education Trust Limited e é Sommelier Internacional pela FISAR/UCS. Atualmente é Mestrando em Produção Vegetal da Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC, atuando na área de Viticultura e Enologia. Colunista sobre Vinhos no "Jornal A Tribuna" de São Joaquim - SC, no jornal "Diário de RioMafra" de Mafra - SC e no Jornal "Testo Notícias" de Pomerode - SC, no Jornal "Correio do Contestado" de Papanduva - SC, no Jornal "Perfil" de Rio Negrinho - SC e "Revista Expressiva" de Lages - SC.

Referências

ARCHER E & FOUCHÉ GW. 1987. Effect of bud load and rootstock cultivar on the performance of V. vinifera L. cv. Red Muscadel (Muscat noir). South African Journal for Enology and Viticulture 8: 6-10.

BEM BP et al. 2016. Effect of four training systems on the temporal dynamics of downy mildew in two grapevine cultivarws in southern Brazil. Tropical Plant Pathology 41: 370-379.

BENISMAIL MC et al. 2007. Effect of Bud Load and Canopy Managemant on Growth and Yield Components of Grape cv. ‘Cardinal’ under mild climatic conditions os Agadir Are of Morocco. Acta Horticulturae 754: 197-204.

BRIGHENTI AF et al. 2014. Desempenho vitícola de variedades autóctones italianas em condição de elevada altitude no Sul do Brasil. Pesquisa Agropecuária Brasileira 49: 465-474.

CLINGELEFFER PR. 2009. Influence of canopy management systems on vine productivity and fruit composition. In: Recent Advances in Grapevine Canopy Management. Davis: University of California. p.13-19.

EMBRAPA. 2004. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Solos do Estado de Santa Catarina. Rio de Janeiro: Embrapa Solos. 726p. (Embrapa Solos. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento 46).

GREVEN MM et al. 2014. Influence of retained node number on Sauvignon Blanc grapevine vegetative growth and yield. Australian Journal of Grape and Wine Research 20: 263-271.

GREVEN MM et al. 2015. Influence of retained node number on Sauvignon Blanc grapevine phenology in a cool climate. Australian Journal of Grape and Wine Research 21: 209-301.

HOWELL GS. 2001. Sustainable grape productivity and the growth-yield relationship: A review. American Journal of Enology and Viticulture 52: 165-174.

JACKSON DI et al. 1984. Vine response to increased node numbers. American Journal of Enology and Viticulture 35: 161-163.

JACKSON DI & LOMBARD PB 1993. Environmental and management practices affecting grape composition and wine quality - a review. American Journal of Enology and Viticulture 44: 409-430.

KLIEWER WM & DOKOOZLIAN NK 2005. Leaf area/crop weight ratios of grapevines: Influence on fruit composition and wine quality. American Journal of Enology and Viticulture 56: 170-181.

KURTURAL SK et al. 2006. Effects of pruning and cluster thinning on yield and fruit composition of ‘Chambourcin’ grapevines. HortTechnology 16: 233-240.

MAFRA SHM et al. 2011. Atributos químicos do solo e estado nutricional de videira Cabernet Sauvignon (Vitis vinifera L.) na Serra Catarinense. Revista de Ciências Agroveterinárias 10: 44-53.

MALINOVSKI LI et al. 2016. Viticultural performance of Italian grapevines in high altitude regions of Santa Catarina State, Brazil. Acta Horticulturae 1115: 203-210.

MELLO LMR. 2015. Vitivinicultura Brasileira: Panorama 2014. Bento Gonçalves: Embrapa Uva e Vinho. 6p. (Comunicado Técnico 175).

MIELE A & MANDELLI F. 2012. Manejo do dossel vegetativo e seu efeito nos componentes de produção da videira Merlot. Revista Brasileira de Fruticultura 34: 964-973.

O’DANIEL SB et al. 2012. Effects of balanced pruning severity on Traminette (Vitis spp.) in a warm climate. American Journal of Enology and Viticulture 63: 284-290.

TONIETTO J & CARBONNEAU A 2004. A multicriteria climatic classification system for grape-growing regions worlwide. Agricultural and Forest Meteorology 124: 81-97.

TROUGHT M & BENNETT J 2009. Influence of training system on Sauvignon blanc grapevine performance 2004–2009. Report to New Zealand Winegrowers. Auckland: New Zealand Winegrowers.

WINKLER AJ. 1965. Viticultura. México: Continental. 792p.

WÜRZ DA et al. 2017. Agronomic performance of ‘Cabernet Sauvignon’ with leaf removal management in a high-altitude region of Southern Brazil. Pesquisa Agropecuária Brasileira 52: 869-876.

WÜRZ DA et al. 2018. Época de desfolha e sua influência no desempenho vitícola da uva ‘Sauvignon Blanc’ em região de elevada altitude. Revista de Ciências Agroveterinárias 17: 91-99.

Downloads

Publicado

2020-06-30

Como Citar

WÜRZ, Douglas André; BONIN, Bruno Farias; BRIGHENTI, Alberto Fontanella; CANOSSA, Adrielen Tamiris; REINEHR, Juliana; ALLEBRANDT, Ricardo; DE BEM, Betina Pereira; RUFATO, Leo; KRETZSCHMAR, Aike Anneliese. Maior carga de gemas da videira resulta em melhora dos índices produtivos e vegetativos da videira ‘Cabernet Franc’ cultivada em região de elevada altitude. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 19, n. 2, p. 171–177, 2020. DOI: 10.5965/223811711922020171. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/15717. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>