INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NA INCONTINÊNCIA URINÁRIA FEMININA: Relato de Vivência Prática

Soraia Cristina Tonon da Luz, Alice Henrique Dos Santos, Marília Cavalli de Oliveira, Karla Thayse kaestner, Clarissa Medeiros da Luz, Gesilani Júlia da Silva Honório, Janeisa Frank Virtuoso, Ana Carina Coan, Thaís A M Conceição

Resumo


Incontinência Urinária (IU) é definida como a perda involuntária de urina. Esta ação de extensão busca proporcionar atendimento fisioterapêutico às mulheres incontinentes usuárias do Sistema Único de Saúde. Com o objetivo maior de minimizar e/ou eliminar a sintomatologia da IU, o impacto social, sexual e psicológico gerado à mulher, um protocolo de tratamento individualizado é estabelecido utilizando diversos recursos fisioterapêuticos como: eletroterapia, biofedback perineal, cinesioterapia para o assoalho pélvico, cones vaginais entre outros. Os resultados revelaram que os recursos utilizados para o tratamento fisioterapêutico da IU se constituíram numa alternativa segura, eficaz e não cirúrgica. As mulheres atendidas no projeto obtiveram diminuição ou resolução completa dos episódios de perda urinária quando comparado ao início do tratamento. O grande leque de recursos fisioterapêuticos utilizados para a reabilitação funcional do assoalho pélvico nesta ação de extensão proporcionou estímulo à mulher incontinente na continuidade do tratamento conservador tanto pela ausência de efeitos colaterais quanto pela melhora da qualidade de vida das pacientes.

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2013 Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.