Enfrentamentos permanentes em ativismos artísticos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573103362019423

Palavras-chave:

Arte, Artivismo, Política, Dança

Resumo

O presente artigo propõe-se a discutir a importância e urgência das ações artivistas nos tempos atuais, especialmente no que se refere à dança. Para tanto, lançamos mão da categoria “hegemonia” nos termos propostos pelo pensador marxista italiano Antônio Gramsci, além da ideia de política como o diálogo entre o privado e o público, através da negociação da diversidade e em busca da liberdade/emancipação dos sujeitos, o texto traz reflexões sobre as possíveis potências ativistas da arte e, ao mesmo tempo, as alterações que esta pode sofrer pelos direcionamentos ativistas que a atravessam. Nesse caminho, a pesquisa revela um cenário complexo, móvel e frutífero na relação entre arte e política, de fazeres e dizeres diversos, em que a arte, sofrendo rebatimentos e tensionamentos da política, também os produz, criando espaços que potencializam sua natureza contra hegemônica.


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta Pedroni, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Artista da Dança. Mestre no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas (PPGArC) da UFRN.

Marcilio de Souza Vieira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Pós-Doutor em Artes (UNESP “Júlio Mesquita Filho”), Doutor em Educação (FRN), Professor do Curso de Dança da UFRN. Membro pesquisador do Grupo de Pesquisa Corpo, Fenomenologia e Movimento (Grupo Estesia/UFRN) e do Grupo de Pesquisa em Corpo, Dança e Processos de Criação (CIRANDAR); é professor dos Programas de Pós-Graduação em Artes Cênicas (PPGArc) e Pós-Graduação em Ensino de Artes (PROFARTES) da UFRN.

Referências

ADORNO, Theodor W. Commitment. In: BLOCH, Ernest, and others. Aesthetics and

Politics. Trad. Francis McDonagh. London, Verso, 2002.

ALMAZÁN, Yago Aznar; CLAVO, María Iñigo. Arte, política e activismo. Concinnitas, Rio de Janeiro, ano 8, v. 1, n. 10, p. 65-77, jul. 2007.

ALMEIDA, Jorge. Cultura Política e Hegemonia. In: Encontro da Comolítica – Asso- ciação Brasileira de Pesquisadores em Comunicação e Política, 2011, Rio de Janeiro. 2011. Anais. Rio de Janeiro: Compolítica, 2011.

ALVES, Ana Rodrigues Cavalcanti. O conceito de hegemonia: de Gramsci a Laclau e

Mouffe. Lua Nova, São Paulo, n. 80, p. 71-96, 2010.

ANGELI, José Mario. Gramsci, Hegemonia e Cultura: relações entre Sociedade Civil e Política. Revista Espaço Acadêmico, Maringá, n. 122, p. 123-132, jul. 2011.

ARENDT, Hannah. A promessa da política. Rio de janeiro: DIFEL, 2008.

ARRUDA, L. A.; COUTO, M. F. M. Ativismo artístico: engajamento artístico: político e questões de gênero na obra de Barbara Kruger, Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, n. 2, p. 339-402, maio/agosto 2011.

BAUMAN, Zygmunt. Em busca da política. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

CECEÑA, Ana Esther. Hegemonias e emancipações no século XXI. In: . (Org.) He- gemonias e emancipações no século XXI. Buenos Aires: Consejo Lationamericano de Ciencias Sociales- CLACSO, 2005. p. 07-12.

CENTELLA, Visitación Ortega. El artivismo como acción estratégica de nuevas narra- tivas artistico-políticas, Calle14: revista de investigación en el campo del arte, Bogotá, v. 10, n. 15, p. 100-111, jan./abr. 2015.

CHAIA, Miguel. Artivismo – Política e Arte Hoje, Aurora (PUCSP), São Paulo, v. 1, p. 09-11, 2007.

CORREIA, V. S. Dança como campo de ativismo político: O Bicho Caçador. In: IV Se- minário do Programa de Pós-Graduação em Dança /UFBA, 2014, Salvador. Política em dança: O esvaziamento crítico, 2014.

DANTAS JUNIOR, Hamilcar Silveira. Estado, educação e hegemonia: reflexões teóri- co-metodológicas da filosofia da práxis de Antônio Gramsci. Revista Histedbr On-li- ne, campinas, n. 20, p. 28-44, dez. 2005.

FELSHIN, Nina. But it is Art? The spiriti of art as activism. Seattle: Bay Press. 2001.

FICHER, Stela. Por que fazemos performance e ativismo feminista? Arte da Cena, Goiânia, v. 3, n. 1, p. 08-20, Jan-jun/2017. Disponível em: <http://www.revistas.ufg.br/

index.php/artce>. Acesso em 08 ago. 2017.

GARCIA, José Gustavo Sampaio. O processo de criação em artes cênicas como pesquisa: uma narrativa em dois atos. Tessituras e Criação, São Paulo, nº 1, p. 46- 56, maio 2011.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. v. 1. Tradução: Carlos Nelson Coutinho. Rio

de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

GUZZO, Marina. S. L.; SPINK, Mary, J. P. Arte, dança e política(s). Psicologia & Sociedade, Porto Alegre, n. 27, v. 1, p. 3-12, 2015.

HIRATA, Helena. Gênero, classe e raça: interseccionalidade e consubstancialidade das relações sociais. Tempo Social, revista de sociologia da USP, São Paulo, v. 26, n. 1, p. 61-73, jun. 2014.

LEPECKI, André. Coreopolítica e Coreopolícia. Ilha, Florianópolis, v. 13, n. 1, p. 41-60, 2012.

LESSA, Sérgio. Lukács: ética e política, observações aceca dos fundamentos ontológicos da ética e da política. Maceió: Coletivo Veredas, 2016.

LIPPARD, Lucy R. Trojan Horses: Activist Art and Power. In: WALLIS, Brian (Ed.). Art after Modernism: rethinking representation. NewYork: The Museum of Contemporary Art; Boston: Godine, 1984. p. 341-58.

LONGONI, Ana. Arte y política. Políticas visuales del movimiento de derechos huma- nos desde la última dictadura: fotos, siluetas y escraches. (Conferência). Aletheia, v. 1, n. 1, out 2010. Disponível em: <http://www.aletheia.fahce.unlp.edu.ar/numeros/ numero-1/pdfs/Longoni-%20Aletheia%20vol%201.%20n1.pdf>. Acesso em 02 set. 2017.

LÖWY, Michel. Conservadorismo e extrema-direita na Europa e no Brasil. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 124, p. 652-664, out./dez. 2015. Disponível em:

<http://dx.doi.org/10.1590/0101-6628.044>. Acesso em: 28 março 2017.

MARX, Karl. Para a crítica da economia política. Coleção Os Pensadores. São Paulo. Editora Nova Cultural, 1996.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã: crítica da novíssima filosofia alemã em seus representantes Feuebach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus

diferentes profetas, 1845-1846. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

MESQUITA, André. Insurgências poéticas: arte ativista e ação coletiva (1990-2000). Dissertação (Mestrado em História Social). Departamento de História, Universidade de São Paulo, 2008.

MESQUITA, André. Arte-ativismo: interferência, coletivismo e transversalidade, Linguagens, v. 03, junho de 2006.

MORAES, Dênis de. Comunicação, hegemonia e contra-hegemonia: a contribuição

teórica de Gramsci. Revista Debates, Porto Alegre, v. 4, n. 1, p. 54-77, jan./jun. 2010.

MOTTA, Gilson. Arte e Utopia. O Percevejo Online, Rio de Janeiro, v. 4, n. 2, agosto-

-dez 2012.

MOURÃO, Rui. Performances artivistas: incorporação de uma estética de dissensão numa ética de resistência, Cadernos de Arte e Antropologia, v. 4, n. 2, p. 53-69, set. 2015.

NOGUEIRA, M.A. Os direitos de cidadania como causa cívica: o desafio de construir e consolidar direitos no mundo globalizado. In: XI Congresso Brasileiro de Assistentes Sociais. III Encontro Nacional de Serviço Social e Seguridade. Fortaleza, 2004.

OSÓRIO, S. A. Teatro de Dança Galpão: experimentações em dança e práticas de resistência durante a ditadura civil-militar no Brasil. 2015. 182 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais), Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.

PEREIRA JÚNIOR, Vicente Carlos. Teatro e contra-hegemonia: um estudo sobre o campo das artes cênicas no Brasil do século XXI. In: XVII Colóquio do PPGAC/UNIRIO. Anais. Rio de Janeiro: 2017. p. 91-101.

RANCIÈRE, Jacques. Política da Arte (palestra). São Paulo: práticas estéticas, políticas e sociais em debate. São Paulo: abril 2005.

SANDER, Jardel. Dança no Cotidiano das Cidades: poética-política dos corpos em movimento. In: Congresso da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas. Anais. Porto Alegre: ABRACE, 2012.

SCHLESENER, A. H. Gramsci e a cultura de seu tempo: observações sobre arte e literatura. In: BRAGA, Sergio, et al... (Org.). Marxismo & Ciências Humanas: leituras sobre o Capitalismo num contexto de crise: ensaios em comemoração aos 15 anos de Crítica Marxista. 1ed.Curitiba: UFPR, 2011, v. 1, p. 71-83.

SEMERARO, Giovanni. Da libertação à hegemonia: Freire e Gramsci no processo de democratização do país. Revista de Sociologia e Política. Curitiba, n. 29, p. 95-104, nov. 2007.

SETENTA, Jussara Sobreira. O fazer-dizer do corpo: dança e performatividade. Salvador: EDUFBA, 2008.

SETENTA, Jussara Sobreira; ROEL, Renata Santos. Experiência compositiva em dança: posicionamentos artístico-políticos num fazer aprender. In: Encontro Científico da Associação Nacional de Pesquisadores em Dança, IV. Anais. Santa Maria: ANDA, 2015.

SOUZA FILHO, Rodrigo; DURIGUETTO, Maria Lúcia. A questão da política em Gramsci. In: I JOINGG – Jornada Internacional de Estudos e Pesquisa em Antonio Gramsci. Anais. Fortaleza: 2016.

VALÉRY, Paul. Teoría poética y estética. Traducción de Carmen Santos. Madrid: Visor,

Downloads

Publicado

2019-12-13

Como Citar

PEDRONI, R.; VIEIRA, M. de S. Enfrentamentos permanentes em ativismos artísticos. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 36, p. 423-448, 2019. DOI: 10.5965/1414573103362019423. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/14708. Acesso em: 28 set. 2022.