O RPG de palco: uma proposta de linguagem teatral baseada no RPG de mesa, teatro e formas animadas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2595034702272022192

Palavras-chave:

RPG, Teatro, jogo, formas animadas, máscaras

Resumo

Este artigo busca embasar a proposta do RPG de palco: um tipo de RPG e de encenação jogado no palco teatral de forma espetacular, a partir do RPG de mesa, do teatro convencional e do teatro de formas animadas. A motivação dessa pesquisa funda-se em dúvidas que se instalaram em mim durante a graduação e continuam a processar-se durante a pós-graduação. Seu embasamento teórico parte do estudo do jogo como proposto por Huizinga, sendo o ato de jogar a origem de todas as atividades arquetípicas da cultura humana, incluindo o jogo (e por sua vez, o RPG) e o teatro. O RPG de palco busca utilizar as formas animadas como dispositivos para a conexão dos dois universos (real e lúdico) para demonstrar em cena o personagem-jogador e personagem-fantástico, com o uso das máscaras pelos atores-jogadores e com bonecos, objetos e sombras pelo mestre de palco.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Vinícius de Carvalho Delgado, Federal University of Maranhão

Mestrando em Artes Cênicas e Licenciado em Teatro pela Universidade Federal do Maranhão. Ator, diretor, bailarino, mestre de RPG e professor de teatro. Membro pesquisador do Grupo de Pesquisa Casemiro Coco e do Grupo CENACORPO. Membro colaborador do Grupo Teatral Improviso e Companhia Oficina de Teatro.

Tácito Freire Borralho, Federal University of Maranhão

Doutor em Artes Cênicas pela Universidade de São Paulo. Professor, diretor, dramaturgo e mestre titeriteiro. Membro fundador do LABORARTE, da Companhia Oficina de Teatro (COTEATRO) e do Núcleo de Estudos em Formas Animadas Casemiro Coco. Professor titular da Universidade Federal do Maranhão pelo Departamento de Artes Cênicas.

Referências

AMARAL, Ana Maria. Teatro de Formas Animadas: Máscaras, Bonecos, Objetos. 3 ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1996.

AMARAL, A. M. O inverso das coisas. Móin-Móin - Revista de Estudos sobre Teatro de Formas Animadas, Florianópolis, v. 1, n. 1, p. 12-024, 2018. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/moin/article/view/1059652595034701012005012. Acesso em: 6 mar. 2023.

CAILLOIS, Roger. Os Jogos e os Homens: A máscara e a vertigem. Lisboa: Cotovia, 1990.

COURTNEY, Richard. Jogo, Teatro e Pensamento: As bases intelectuais do teatro na educação. São Paulo: Perspectiva, 2010.

DARLINGTON, Steve. A history of Role-Playing. 1998. Disponível em: http://www.ptgptb.org/0001/history1.html. Acesso em: 01 dez. 2022

DESGRANGES, Flávio. Pedagogia do teatro: provocação e dialogismo. São Paulo: HUCITEC, 2006.

HUIZINGA, Johan. Homo ludens: O jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva, 2000.

SARTURI, André. Quando os dados (não) rolam: jogo, teatralidade e performatividade na interação entre o roleplaying game e o process drama. 2012. 152 Dissertação (Mestrado) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Centro de Artes, Mestrado em Teatro, Florianópolis, 2012. Disponível em: https://sistemabu.udesc.br/pergamumweb/vinculos/00006d/00006dc6.pdf. Acesso em: 6 mar. 2023.

Downloads

Publicado

2023-03-03

Como Citar

DELGADO, Ricardo Vinícius de Carvalho; BORRALHO, Tácito Freire. O RPG de palco: uma proposta de linguagem teatral baseada no RPG de mesa, teatro e formas animadas. Móin-Móin - Revista de Estudos sobre Teatro de Formas Animadas, Florianópolis, v. 2, n. 27, p. 192–210, 2023. DOI: 10.5965/2595034702272022192. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/moin/article/view/23104. Acesso em: 21 fev. 2024.