Histórias e pesquisas das mulheres bonequeiras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2595034702232020014

Resumo

Apresentação do número 23 da Móin-Móin Revista de Estudos sobre Teatro de Formas Animadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Balardim, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Professor Adjunto na área de Prática Teatral - Teatro de Animação, no Departamento de Artes Cênicas e no Programa de Pós-Graduação em Teatro do Centro de Artes - CEART da Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Doutor em Artes Cênicas (PPGT / UDESC), Mestre em Artes Cênicas (PPGAC / UFRGS), licenciado em Letras - Língua Portuguesa e Literatura Brasileira (ULBRA) Diretor, ator e cenógrafo da companhia teatral Caixa do Elefante Teatro de Bonecos (1991-2016). Foi Presidente da AGTB - Associação Gaúcha de Teatro de Bonecos nos anos de 2002 e 2003. Experiência na área de Artes, com ênfase em Teatro, atuando principalmente nos seguintes temas: Artes Cênicas, Comunicação, Programas Televisivos e Teatro de Animação.

Fabiana Lazzari de Oliveira, Universidade de Brasília (UnB)

Atriz, Sombrista, Arte-educadora, Produtora Cultural, Educadora-física e Professora Adjunta do Departamento de Artes Cênicas da Universidade de Brasília - UnB. Doutora e Mestre em Teatro pelo Programa de Pós- Graduação em Teatro - PPGT, da Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Licenciada em Educação Artística - Habilitação em Artes Cênicas pela UDESC (2012). Bacharel em Educação Física pela UDESC (1998). Editora da Móin-Móin - Revista de estudos sobre Teatro de Formas Animadas - PPGT/UDESC, integrante da Associação Brasileira de Teatro de Bonecos/União Internacional da Marionete - ABTB/UNIMA, da Federação Catarinense de Teatro - FECATE, do Ateliê Sul de Atuação - ASA, do Corredor Latino Americano de Teatro - CLT, como produtora internacional e fundadora da entreAberta Cia Teatral e do Skia- Espaço da Sombra. Pesquisa a praxis e a poiésis nas linguagens do Teatro de Animação (Teatro de Máscaras, Teatro de Bonecos, Teatro de Objetos e Teatro de Sombras), com especialidade em teatro de sombras (parte dos estudos desenvolvidos com o Teatro Gioco Vita, na Itália); pesquisa a formação da atriz e do ator a partir do trabalho corporal energético e a atuação no teatro e no cinema; estuda a pedagogia do teatro; e gestão e produção teatral.

Liliana Perez Recio, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Diretora Teatral, atriz Licenciada em Teatro pelo Instituto Superior de Arte (2000) de Havana, Cuba. Integrou o elenco do Teatro Nacional de Guiñol durante nove anos. Trabalhou como atriz no cinema, rádio e televisão em Cuba. Diretora fundadora de El Arca – Teatro Museu de Títeres em Havana. Em 2017 ingressa no Programa de Pós-graduação da Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC com doutorado em curso.

Referências

FEDERICI, Sílvia. Calibã e a Bruxa: Mulheres, corpo e acumulação primitiva. São Paulo: Ed. Elefante, 2017.

Downloads

Publicado

2020-12-18

Como Citar

BALARDIM, P.; LAZZARI DE OLIVEIRA, F. .; PEREZ RECIO, L. Histórias e pesquisas das mulheres bonequeiras. Móin-Móin - Revista de Estudos sobre Teatro de Formas Animadas, Florianópolis, v. 2, n. 23, p. 014-021, 2020. DOI: 10.5965/2595034702232020014. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/moin/article/view/19294. Acesso em: 1 out. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>