O fio transversal da animação

Autores

  • Paulo Balardim Grupo Caixa do Elefante Teatro de Bonecos – Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.5965/2595034701062009151

Resumo

Neste artigo, o Teatro de Animação é pensado sob o ponto de vista da possibilidade de consolidação de uma pedagogia para a elaboração de conhecimentos necessários à expressão dessa linguagem. Uma pedagogia que faça o ator explorar empiricamente os processos de animação e que o torne capaz de transmitir efi cazmente sua arte e os caminhos utilizados para o seu aprimoramento. Como recorte, o autor analisa sua própria experiência e a utiliza para refl etir acerca de uma metodologia que aborde a técnica de bonecos de luva. Para essa abordagem metodológica, a compreensão das especifi cidades da animação, em especial seus processos de retórica, e o trabalho corporal do ator para a composição e domínio do movimento são citados como principais procedimentos para a efetiva aprendizagem. 

Palavras-chave: Teatro de animação; formação artística; teatro de bonecos.

Biografia do Autor

Paulo Balardim, Grupo Caixa do Elefante Teatro de Bonecos – Rio Grande do Sul

Ator, cenógrafo e diretor, integra o Grupo Caixa do Elefante Teatro de Bonecos desde 199_. Graduado em Letras e Literatura Portuguesa, Mestre em Artes Cênicas — UFRGS e Doutorando em Artes Cênicas — UDESC.

Downloads

Publicado

2018-04-06

Como Citar

Balardim, P. (2018). O fio transversal da animação. Móin-Móin - Revista De Estudos Sobre Teatro De Formas Animadas, 1(06), 151-163. https://doi.org/10.5965/2595034701062009151

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>