As mulheres cheirosas do Pará: notas sobre a visualidade do modo de vestir da Vendedora de Cheiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1982615x16382023119

Palavras-chave:

Vendedora de cheiro, cultura visual, mulheres negras, Amazônidas, modo de vestir

Resumo

Neste artigo discute-se a construção visual da Vendedora de Cheiro (1947) a partir da obra da artista Antonieta Feio. Analisa-se o seu modo de vestir e de adornar-se, cotejando-o com algumas fontes visuais e narrativas históricas de tal construção. A metodologia, de abordagem predominantemente qualitativa, é constituída de observação e análise visual de obras selecionadas, tratadas como documentos e fontes de pesquisa relevantes para o estudo das artes, das visualidades e do vestuário. Conclui-se que produções artísticas são importantes instrumentos da produção de sentido de tais aparências do corpo, presentes ainda hoje no imaginário popular de uma identidade local apoiada na visualidade de uma “Mulher Paraense”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Gatinho Teixeira, Universidade Federal de Goiás

Doutoranda em Arte e Cultura Visual pela Universidade federal de Goiás (UFG), atuando na linha de pesquisa: Imagem, Cultura e Produção Artística. Mestra em Antropologia pela Universidade Federal do Pará (PPGA/UFPA), pela linha de pesquisa: Paisagem, Memória e Gênero. Membro do Grupo de pesquisa INDUMENTA - Dress and textiles studies in Brazil (CNPq/UFG) e do Grupo de Estudos Culturais na Amazônia (CNPq/UFPA). É pós-graduada em Design, Computação Gráfica e Multimídia pelo Instituto de Estudos Superiores da Amazônia (2013). Possui graduação em Artes pela Universidade Federal do Pará (2010). É técnica em Design Industrial pelo Centro Federal Tecnológico do Pará (2007).

Rita Morais de Andrade, Universidade Federal de Goiás

Professora Associada da Universidade Federal de Goiás. Realizou estágio pós-doutoral no Programa Avançado de Cultura Contemporânea - PACC/UFRJ com o tema "Indumentária em museus no Brasil" e realiza atualmente o segundo pós-doutorado, agora na Universitè de Liége, Bélgica, investigando aproximações contemporâneas entre Museologia e Moda. Líder do Grupo de Pesquisa Indumenta: dress and textiles studies in Brazil (UFG/CNPq). Pesquisa história dos tecidos, do vestuário e dos muitos modos de vestir no Brasil. 

 

Referências

AFFONSO, João. 1976. A Mulata Paraense, desenhada por João Affonso em 1916, a partir do desenho de David O. Widhopff de 1895 e registro ao natural de Affonso de 1885.

AFFONSO, João. Três séculos de modas. Belém: Conselho Estadual de Cultura, 1976.

ALBUQUERQUE, Lucílio de. Doceira baiana (1925). Disponível em: https://www.guiadasartes.com.br/lucilio-de-albuquerque/quem-foi. Acesso em: 18 jul. 2022. Imagem obtida mediante download de arquivo.

ALLUM, Nicholas.; BAUER, Martin; GASKELL, George. Qualidade, quantidade e interesses do conhecimento; evitando confusões. In: BAUER, Martin; GASKELL, George. (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Petrópolis: Vozes, 2002. pp.17-36.

ANDRADE, Rita. Boué Soeurs RG 7091: a biografia cultural de um vestido. Tese (Doutorado em história) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.

BAENA, Antônio Ladislau Monteiro. Ensaio corográfico sobre a província do Pará. Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, 2004.

BURKE, Peter. Testemunha ocular: história e imagem. São Paulo: Edusc, 2004.

DEBRET, Jean Baptiste. Negra tatuada vendendo caju (1827). Disponível em: https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Debret_negra_vendendo_caju.jpg Acesso em: 18 jul. 2022.

DENZIN, Norman; LINCOLN, Yvonna. O planejamento da pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2006.

EDWARDS, William Henry. A voyage up the river amazon including a residence at Pará. London: John Murray, 1847.

FEIO, Antonieta. Vendedora de Cheiro (1947). Fonte: Acervo museu de arte de Belém (2021).

FIDANZA, Felipe Augusto. Vendedora de frutas no Pará (1869).

FIDANZA, Felipe Augusto. Cafusa (1869-1875). WISSENSBANK, 2020. Fotocomposição de TEIXEIRA com detalhes da pequena cruz e do pé descalço. Disponível em: https://ifl.wissensbank.com/esearcha/browse.tt.html. Acesso em: 20 fev. 2020.

GARCIA, Kárita.; ANDRADE, Rita. Cultura Visual e as Imagens: Contribuições a uma pesquisa. In: Anais do V Seminário Nacional de Pesquisa em Arte e Cultura Visual, Goiânia, 2012. Disponível em:https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/778/o/2012-23_A_cultura_Visual.pdf Acesso em: 16 jul. 2022.

GOMBRICH, Ernst Hans. A História da Arte. Rio de Janeiro: LTC, 2009.

HAGE, Fernando. João Affonso: O homem que escreveu o primeiro livro de história da moda no Brasil. In: Anais do 6º Colóquio de Moda. São Paulo, 2010. Disponível em:

http://www.coloquiomoda.com.br/anais/Coloquio%20de%20Moda%20-%202010/71890_Joao_Affonso_-_O_Homem_Que_Escreveu_o_Primeiro_Livro_d.pdf Acesso em: 13 jul. 2022.

IMADA, Heloísa Leite. Moda: desfile literário. Campinas: Unicamp /IEL/Setor de Publicações, 2019.

KAWAMURA, Yuniya, Fashion-ology : an introduction to fashio studies. Berg, 2005.

LAMPERT, Jociele. A imagem da moda e a cultura visual como proposições para a docência em artes visuais. In: Anais do 17° Encontro Nacional da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas. Florianópolis, 2008. Disponível em: http://anpap.org.br/anais/2008/artigos/106.pdf Acesso em: 13 jul. 2022.

LODY, Raul. Jóias de Axé: fios-de-contas e outros adornos: a joalheria afro-brasileira. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

MARTINS, Raimundo. Porque e como falamos da cultura visual? Visualidades, v.4, n.1, p. 64-79, jan-dez 2006. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/17999/10727

Acesso em: 18 jul. 2022.

MARTINS, Raimundo. Hipervisualização e territorialização: questões da Cultura Visual. Educação & Linguagem, v. 13, n.22, p.19-31, jul-dez., 2010. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/EL/article/view/2437

Acesso em: 14 jul. 2022.

MONTEIRO, Juliana; FERREIRA, Luzia Gomes; FREITAS, Joseania Miranda. As roupas de crioula no século XIX, e o traje de beca na contemporaneidade: uma análise museológica. Cadernos do CEOM, ano 19, n.24, p. 287-308, 2006.

MONTEIRO, Aline Oliveira Temerloglou. Para além do “Traje de Crioula”: um estudo sobre materialidade e visualidade de saias estampadas da Bahia oitocentista. Dissertação (Mestrado em Arte e Cultura Visual) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2012.

OLIVEIRA NETO. A penca e o barangandan: as vestimentas das mulatas e crioulas bahianas. In: Cadernos Antonio Vianna: Salvador (Comissão Baiana de Folclore), p.13-19. 1968.

PAES, Francisco Augusto Lima. Vestígios do sagrado: a obra de arte como possibilidade de mediação entre religião e cultura na pintura de Antonieta Santos Feio. Revista Eletrônica Correlatio, v. 15, n.2, p.123- 150, dez. 2016. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-metodista/index.php/COR/article/view/7037 Acesso em: 18 jul. 2022.

PEGORARO, Éverly. Estudos Visuais: principais autores e questionamentos de um campo emergente. Domínios da Imagem, ano IV, n. 8, p. 41-52, mai. 2011. Disponível em: https://www.uel.br/revistas/uel/index.php/dominiosdaimagem/article/view/23351 Acesso em: 16 jul. 2022.

RAINHO, Maria do Carmo Teixeira. As imagens da moda e a moda das imagens. DOBRAS – Revista da Associação Brasileira de Estudos de Pesquisas em Moda, v. 2, n. 4, p. 76–83, Disponível em: https://dobras.emnuvens.com.br/dobras/article/view/337 Acesso em: 15 jul. 2022.

SALLES, Vicente. O negro na formação da sociedade paraense. Belém: Paka-Tatu, 2004.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Lendo e agenciando imagens: o rei, a natureza e seus belos naturais. Sociologia & Antropologia, v.4, n.2, p. 391-431, dec.2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/sant/a/XSKfP5J5QypfvMqdfssR6Jg/abstract/?lang=pt Acesso em: 15 jul. 2022.

SILVA, Emanuela Francisca Ferreira. Estampa chita e cesura: Linguagem não-verbal e suas diversas interfaces comunicacionais. Revista Encontros de Vista, v.5, n.1, p. 96-107, 2010. Disponível em:http://www.journals.ufrpe.br/index.php/encontrosdevista/article/view/4404. Acesso em: 18 jul. 2022.

TEIXEIRA, Amanda Gatinho. No estúdio fotográfico de Fidanza: a construção da imagem das mulheres escravizadas na cidade de Belém (1869-1875). DOBRAS – Revista da Associação Brasileira de Estudos de Pesquisas em Moda, v. 15, n. 30, p. 157-180, 2020. Disponível em: https://dobras.emnuvens.com.br/dobras/article/view/1239 Acesso em: 17 jul. 2022.

TORRES, Heloisa. Alguns aspectos da indumentária da crioula baiana. Cadernos Pagu, v. 23, p.413-467, jul-dez, 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cpa/a/BWn36FWrSP6t5nL7z5TQL9w/?lang=pt. Acesso em: 15 jul. 2022.

WISSENSBANK, 2020. Fotocomposição da autora com detalhe do cachimbo. Disponível em: https://ifl.wissensbank.com/esearcha/browse.tt.html. Acesso em: 20 fev. 2020.

Publicado

2023-01-01

Como Citar

TEIXEIRA, A. G.; ANDRADE, R. M. de. As mulheres cheirosas do Pará: notas sobre a visualidade do modo de vestir da Vendedora de Cheiro . Modapalavra e-periódico, Florianópolis, v. 16, n. 38, p. 119-170, 2023. DOI: 10.5965/1982615x16382023119. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/modapalavra/article/view/22746. Acesso em: 5 fev. 2023.