Formação continuada na Educação Infantil a partir da BNCC: percepções docentes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984723825572024227

Palavras-chave:

educação infantil, Base Nacional Comum Curricular, formação continuada

Resumo

As reflexões expressas neste estudo têm como objetivo problematizar as percepções dos professores de Educação Infantil no que tange às possibilidades e desafios da formação continuada a partir da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) no município de Mallet/PR. O estudo toma como referência documentos legitimadores do direito à Educação Infantil construídos historicamente e produções científicas sobre a temática. Para a geração dos dados, foi realizada entrevista semiestruturada com uma amostra de professores, assim como a aplicação de um questionário para todos os docentes da Educação Infantil, que atuavam na localidade no ano de 2021. A pesquisa aponta que as formações continuadas se mostraram como momentos oportunos para que os profissionais pudessem conhecer e discutir conjuntamente as disposições do documento. Dentre as principais possibilidades desencadeadas pela formação, estiveram a compreensão do que dispõe o documento e a sua forma de orientar a prática pedagógica; o entendimento do material como referência para nortear as ações no âmbito escolar; e a oportunidade para reflexão sobre as práticas desenvolvidas a fim de aperfeiçoar o trabalho docente. Quanto aos principais desafios elencados pelos professores, estão o uso dos recursos tecnológicos, a falta de estrutura física das escolas e o distanciamento daquilo que está proposto pelo documento e a realidade vivida pelas instituições de ensino. Ressalta-se a importância de ampliar e diversificar as oportunidades de processos formativos, principalmente no ambiente escolar, a fim de proporcionar aos professores espaço de debate e reflexão acerca dos objetivos e finalidades da Educação Infantil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danieli Bachtchen, Secretaria Municipal de Educação de Mallet

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Centro-Oeste/UNICENTRO.  Pedagoga na rede municipal de Mallet/PR, Brasil.

Aliandra Cristina Mesomo Lira, Universidade Estadual do Centro-Oeste

Pós-doutorado em Educação na Universidade Estadual de Maringá (UEM). Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professora Associada do Departamento de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Centro-Oeste/UNICENTRO, Guarapuava/PR, Brasil.

Referências

ABRAMOWICZ, Anete; CRUZ, Ana Cristina J.; MORUZZI, Andrea Braga. Alguns apontamentos: a quem interessa a base nacional comum curricular para a educação infantil? Debates em Educação, Maceió, v. 8, n. 16, p. 46-65, jul./dez. 2016. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/2385. Acesso em: 19 jun. 2021.

AGOSTINI, Camila Chiodi. As artes de governar o currículo da educação infantil: a Base Nacional Comum Curricular em discussão. 2017. 167 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal da Fronteira Sul, Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas, Erechim, 2017. Disponível em: https://rd.uffs.edu.br/bitstream/prefix/1566/1/AGOSTINI.pdf. Acesso em: 15 abr. 2022.

ANJOS, Cleriston Izidro dos; PEREIRA, Fábio Hoffmann. Educação infantil em tempos de pandemia: outros desafios para os direitos, as políticas e as pedagogias das infâncias. Zero-a-Seis, Florianópolis, v. 23, p. 3-20, jan. 2021. Número especial. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/zeroseis/article/view/79179. Acesso em: 28 abr. 2021.

ARIOSI, Cinthia Magda Fernandes. A Base Nacional Comum Curricular para educação infantil e os campos de experiência: reflexões conceituais entre Brasil. Humanidades e Inovação, Palmas, v. 6, n. 15, p. 241-356, 2019. Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/1486. Acesso em: 07 jan. 2022.

BARBOSA, Raquel Firmino Magalhães; MARTINS, Rodrigo Lema Del Rio; MELLO, André da Silva. A educação infantil na Base Nacional Comum Curricular: avanços e retrocessos. Movimento-Revista de Educação, Niterói, ano 6, n. 10, p. 147-172, jan./jun. 2019. Disponível em: https://periodicos.uff.br/revistamovimento/article/view/32667. Acesso em: 19 jun. 2021.

BARBOSA, Ivone Garcia; SILVEIRA, Telma Aparecida Teles Martins; SOARES, Marcos Antônio. A BNCC da educação infantil e suas contradições: regulação versus autonomia. Retratos da Escola, Brasília, v. 13, n. 25, p. 77-90, jan./maio 2019. Disponível em: http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/article/view/979/pdf. Acesso em: 21 fev. 2022.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: educação infantil e ensino fundamental. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2017. 600 p. Disponível em: http://www.basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 16 mai. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Conselho Nacional da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília, DF, 2010. 40 p. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/diretrizescurriculares_2012.pdf. Acesso em: 16 mai. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Brasília, DF: MEC, 1996. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 16 mai. 2021.

CÂNDIDO, Rita de Kássia; GENTILINI, João Augusto. Base Curricular Nacional: reflexões sobre autonomia escolar e o projeto político-pedagógico. RBPAE, Porto Alegre, v. 33, n. 2, p. 323-336, maio/ago. 2017. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/rbpae/article/view/70269. Acesso em: 21 jan. 2022.

CRUZ, Lilian Moreira; MENEZES, Claudia Celeste Lima Costa; COELHO, Lívia Andrade. Formação continuada de professores/as da educação infantil num contexto pandêmico: reflexões freirianas. Revista Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v. 17, n. 47, p. 1-22, ago. 2021. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/9426. Acesso em: 05 fev. 2022.

D’ÁVILA, Jaqueline Boeno. As influências dos agentes públicos e privados no processo de elaboração da Base Nacional Comum Curricular. 2018. 130 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual do Centro Oeste, Guarapuava, 2018.

FRANGELLA, Rita de Cássia Prazeres; CAMÕES, Maria Clara de Lima Santiago; DRUMMOND, Rosalva de Cássia Rita. Produções curriculares e educação infantil: apostas ou garantias? Eccos - Revista Científica, São Paulo, n. 59, p. 1-19, out./dez. 2021. Disponível em: https://doi.org/10.5585/eccos.n59.13657. Acesso em: 05 fev. 2022.

GUIMARÃES, Celia Maria. A história da atenção à criança e da infância no Brasil e o surgimento da creche e da pré-escola. Linhas, Florianópolis, v. 18, n. 38, p. 80-142, set./dez. 2017. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1984723818382017081. Acesso em: 21 jan. 2022.

LIRA, Aliandra Cristina Mesomo; BACHTCHEN, Danieli; MACHADO, Leandra Souza. Pandemia, Educação Infantil e crianças: um tempo de incertezas. In: CARDOZO, Poliana Fabíola; SANTINELLO, Jamile; SILVA, Jefferson Olivatto da; GEHRKE, Marcos (orgs.). Práticas e saberes pedagógicos: dimensões da educação brasileira. Guarapuava: Apprehendere, 2021. p. 141-150.

MAGALHÃES, Cassiana; LAZARETTI, Lucineia Maria; PASQUALINI, Juliana Campregher. Distanciamento das conquistas históricas da educação infantil: reflexões sobre a atividade pedagógica em tempos de confinamento. Humanidades e Inovação, Palmas, v. 8, n. 34, p. 107-116, 2021. Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/4325. Acesso em: 28 abr. 2022.

MARQUES, Circe Mara; PEGORARO, Ludimar; SILVA, Ezequiel Theodoro da. Do assistencialismo à Base Nacional Comum Curricular (BNCC): movimentos legais e políticos na Educação Infantil. Linhas, Florianópolis, v. 20, n. 42, p. 255-280, jan./abr. 2019. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1984723820422019255. Acesso em: 21 jan. 2022.

NÓVOA, Antonio. Professores imagens do futuro presente. Lisboa: EDUCA, Instituto de Educação, Universidade de Lisboa Alameda da Universidade de Lisboa, 2009.

NUNES, Maria Fernanda.; KRAMER, Sônia. Educação infantil e expansão da escolaridade obrigatória: questões para a política, a formação e a pesquisa. In: KRAMER, Sônia; NUNES, Maria Fernanda.; CARVALHO, Maria Cristina. (orgs.). Educação infantil: formação e responsabilidade. Campinas: Papirus, 2013. p. 31-47.

OLIVEIRA, Poliana Ferreira de. Políticas curriculares para a educação infantil: o caso da BNCC 2015-2017. 2019. 205 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2019.

OSTETTO, Luciana Esmeralda. Planejamento na Educação Infantil: mais que a atividade, a criança em foco! In: OSTETTO, Luciana Esmeralda. (org.). Encontros e encantamentos na educação infantil: partilhando experiências de estágios. Campinas: Papirus, 2000. p. 174-200.

PASQUALINI, Juliana Campregher; MARTINS, Lígia Márcia. Currículo por campos de experiência na Educação Infantil: ainda é possível preservar o ensino desenvolvente? RPGE– Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 24, n. 2, p. 425-447, maio/ago. 2020. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/rpge/article/view/13312. Acesso em: 22 abr. 2022.

RIBEIRO, Josivânia Sousa Costa; PINHO, Maria José de. Formação continuada dos docentes da educação infantil em uma perspectiva complexa e transdisciplinar. Humanidades e Inovação, Palmas, v. 6, n. 10, p. 76-88, 2019. Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/1080. Acesso em: 20 jan. 2022.

SANTIAGO, Flávio; FARIA, Ana Lúcia Goulart de. Currículo é responsabilidade: discussão contemporânea na Itália. Debates em Educação, Maceió, v. 8, n. 16, p. 89-117, jul./dez. 2016. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/2408/2187. Acesso em: 24 mai. 2021.

SANTOS, Humberto Corrêa dos. Professora não é tia: professora é educadora. Revista Estação Científica, Juiz de Fora, n. 13, jan./jun. 2015. Disponível em: https://portal.estacio.br/docs%5Crevista_estacao_cientifica/09-13.pdf. Acesso em: 01 maio 2022.

SILVA, Marcelo Oliveira da; CARVALHO, Rodrigo Saballa de; LOPES, Amanda de Oliveira. Os manuais e a pedagogização da docência na Educação Infantil. Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 29, n. 2, p. 177-191, maio/ago. 2021. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/view/14327. Acesso em: 21 fev. 2022.

SIMIANO, Luciane Padini; SIMÃO, Marcia Buss. Base Nacional Comum Curricular para a educação infantil: entre desafios e possibilidades dos campos de experiência educativa. EccoS Revista Científica, São Paulo, n. 41, p. 77-90, set./dez. 2016. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/eccos/article/view/6799/3422. Acesso em: 15 jan. 2022.

Downloads

Publicado

2024-04-03

Como Citar

BACHTCHEN, Danieli; LIRA, Aliandra Cristina Mesomo. Formação continuada na Educação Infantil a partir da BNCC: percepções docentes. Revista Linhas, Florianópolis, v. 25, n. 57, p. 227–256, 2024. DOI: 10.5965/1984723825572024227. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/linhas/article/view/24139. Acesso em: 18 jul. 2024.