Ensino de Arte & Escola Bilíngue: relato sobre experiência com a Proposta Triangular na Educação de surdos sob a perspectiva de Vygotsky

Autores

  • Sandra Maria Silva Oliveira Universidade de Taubaté
  • Suelene Regina Donola Mendonça Universidade de Taubaté

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984317813022017179

Palavras-chave:

Ensino de Arte, Proposta Triangular, Vygotsky, Educação Inclusiva,

Resumo

Este artigo é o relato de experiência sobre uma proposta artística realizada numa escola bilíngue para surdos no interior do estado do Rio de Janeiro. Tem o objetivo de demonstrar a importância do ensino da arte, baseado na proposta Triangular de Ana Mae Barbosa, cujo tema foi impressionismo sob a perspectiva de Vygotsky. A relevância desta proposta de caráter qualitativo, descritivo e explicativo se dá ao oportunizar e ampliar o conhecimento do movimento artístico na escola bilíngue. Discute-se a comunicação, que deve ocorrer em Libras – Língua Brasileira de Sinais. Os resultados apontam que apesar da dificuldade imposta pela comunicação, nem sempre satisfatória, há troca e produção de conhecimento. Espera-se que esse trabalho possa contribuir para futuras discussões sobre o ensino da arte para alunos surdos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Maria Silva Oliveira, Universidade de Taubaté

Cursa atualmente MESTRADO em EDUCAÇÃO - UNITAU/SP (2015-2017); Possui Licenciatura em Artes Visuais - UBM - CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BARRA MANSA (2008); ESPECIALIZAÇÃO em ENSINO DE ARTE - UCAM (2014); ESPECIALIZAÇÃO em METODOLOGIA DO ENSINO DE ARTE - FACINTER (2011); Atualmente é Professora DOC IV da Prefeitura Municipal de Resende e Professora DOC I - Artes - Secretaria Estadual de Educação. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Arte-educação, atuando principalmente nos seguintes temas: artes visuais, teatro, educação, educação bilíngue e língua brasileira de sinais.

Suelene Regina Donola Mendonça, Universidade de Taubaté

Possui graduação em Pedagogia com Habilitação em Deficientes da Audio Comunicação pela Universidade de Taubaté (1981), Mestrado em Educação: Psicologia da Educação - Ponticífia Universidade Católica de São Paulo (2002) e Doutorado em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2007). Professora da Educação Básica II - Educação Especial (Def. Auditivos). Secretaria da Educação do Estado de Sao Paulo (1982-2012) .Professora Colaboradora da Universidade de Taubaté (1998-2009). Assistente III da Universidade de Taubaté (2010), lotada no Departamento de Pedagogia, concursada na disciplina de Didática, com atuação na graduação, extensao e pós-graduação. Psicopedagoga do Programa de Atendimentos aos Alunos com Necessidades Educacionais Especiais da Universidade de Taubaté (2010-2013). Participou do corpo docente do curso de Mestrado em Desenvolvimento Humano : Formação, Políticas e Práticas Sociais da Universidade de Taubaté (2011/2013). Atualmente participa do corpo docente do Mestrado Profissional em Educação da mesma instituição.Atua na coordenação de área de subprojeto da licenciatura em Pedagogia do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (PIBID)da CAPES.Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Didática, Políticas e Praticas Inclusivas, atuando principalmente nas seguintes áreas: educação especial, educação inclusiva, educação de surdos, desenvolvimento, ensino e aprendizagem.

Referências

ALZUGARAY, Domingo; CARTA, Luis & FASANO, Fabrizio. Biblioteca de Arte – Os Impressionistas. São Paulo: Três, 1973.

BARBOSA, Ana Mae. A imagem no ensino da arte. São Paulo: Perspectiva, 1999.

BUENO, Luciana Estevam Barone. Linguagem das Artes Visuais. Curitiba: Ibpex, 2008.

BUORO, Ana Amélia Bueno. Olhos que pintam: A leitura da imagem no ensino da arte. 2ª ed. São Paulo: Educ/Cortez, 2003.

CAMPELLO, Ana Regina; Rezende, P. L. F. Em defesa da escola bilíngue para surdos: a história de lutas do movimento surdo brasileiro. Educar em Revista, n. 2 Curitiba: UFPR, 2014, p. 71-92.

CORTELAZZO, Patrícia Rita. A História da Arte por meio da Leitura de Imagens. Curitiba: Ibpex, 2008.

DEWEY, John. Arte como Experiência. Tradução Vera Ribeiro. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

DONDIS, A. Dondis. Sintaxe da Linguagem Visual. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

IMBROISI, Margaret H.; MARTINS, Simone R. História da Arte – Linha do Tempo – Impressionismo. Apresenta reproduções virtuais de obras de artistas dos movimentos estéticos na história da arte. 1998. Disponível: http://www.historiadaarte.com.br/linha/impressionismo.html

SILVA, Maria Cristina Rosa Fonseca.(Org.) A inclusão na fala do professor de arte: recortes da cultura escolar. In: Educação Arte e Inclusão: Trajetórias de Pesquisa. Florianópolis: UFSC, 2009.

PUPPI, Alberto. Comunicação e semiótica. Curitiba: Ibpex, 2009.

SANTOS, R. A.; MENDONÇA, S. R. D.; OLIVEIRA, M. C. A instituição especializada em tempos de inclusão. Revista Educação Especial. Santa Maria. v. 27, n. 48, p. 41-52, jan. abr. 2014. Disponível: http://www.ufsm.br/revistaeducacaoespecial. Acesso em 11 de janeiro de 2016.

SKLIAR, Carlos. Bilingüismo e Biculturalismo. Uma análise sobre as narrativas tradicionais na educação dos surdos. Caxambu: ANPED, 1998.

VYGOTSKY, L. S. Diagnóstico do desenvolvimento e clínica pedológica da infância difícil. [Esquema de investigação pedológica]. Tradução das partes 5 e 6 de: VIGOTSKI, L. S. Diagnóstico del desarollo y clínica paidológica de la infancia difícil. In:_______. Obras Escogidas. Tomo 5 – fundamentos de defectología. Madrid: Visor y Ministério de Educación y Ciencia, 1997. p. 275-338. Disponível: www.4shared.com/file/55971081/d96ff395/Vigotski

VYGOTSKY, L. S. Psicologia da Arte. Tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

ZABALZA, M. Diários de Aula: um instrumento de pesquisa e desenvolvimento profissional. Porto Alegre: ARTMED, 2004.

Downloads

Publicado

01-08-2017

Como Citar

SILVA OLIVEIRA, Sandra Maria; DONOLA MENDONÇA, Suelene Regina. Ensino de Arte & Escola Bilíngue: relato sobre experiência com a Proposta Triangular na Educação de surdos sob a perspectiva de Vygotsky. Revista Educação, Artes e Inclusão, Florianópolis, v. 13, n. 2, p. 179–198, 2017. DOI: 10.5965/1984317813022017179. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/8886. Acesso em: 29 maio. 2024.