Maria Amélia D’Assumpção: entre retratos e naturezas-mortas, o protagonismo de uma pintora no começo do século XX no Paraná

Autores

  • Claudia Priori Universidade Estadual do Paraná-Campus de Curitiba II

DOI:

https://doi.org/10.5965/19843178182022e0031

Palavras-chave:

Mulheres;, arte;, história;, imagens;, representações.

Resumo

Este artigo tem o objetivo de abordar o protagonismo da pintora Maria Amélia D’Assumpção, no contexto da arte paranaense no começo do século XX, destacando aspectos de sua formação, trajetória, criação e inserção no círculo artístico da cidade de Curitiba, capital do estado. Partimos de uma perspectiva interdisciplinar, dialogando com o campo da história e das artes, para problematizar o contexto sociocultural, assim como as relações de gênero que implicaram na atuação e reconhecimento das mulheres artistas no período estudado, uma vez que nem todos os espaços sociais estavam abertos para elas. Utilizamos para a análise de algumas de suas obras - retratos e naturezas-mortas – os procedimentos metodológicos da análise iconográfica/iconologia de Erwin Panofsky, para compreendermos suas representações sociais, influências artísticas e significados presentes na construção de suas imagens. Desse modo, seu protagonismo é perceptível tanto na profissão de artista quanto na professora do ensino de artes que integraram a vida e história.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, Caroline Farias. Entre os silêncios da história e as representações femininas: retratos de Georgina de Albuquerque e suas contemporâneas. XII EHA – Encontro de História da Arte –Unicamp, 2017, p. 153-164.

ANTONIO, Ricardo Carneiro. Imagem e História: o ensino da arte nas fotografias e pinturas de Alfredo Andersen. Cadernos de História da Educação, v. 14, n. 2, mai./ago. 2015, p.685-700.

ARAÚJO, Adalice. Arte Paranaense moderna e contemporânea: em questão 3.000 mil anos de arte paranaense. Curitiba: UFPR, Tese de Livre Docência, 1974.

BADEP. Panorama da Arte no Paraná. Curitiba, 1975, p. 8.

FREITAS, Danielle Gross de. Entre ofícios e prendas domésticas: a Escola Profissional Feminina de Curitiba (1917-1974). Curitiba, 2011.

HIGONNET, Anne. Mulheres e imagens: aparências, lazer, subsistência. In: DUBY, Georges; PERROT, Michelle. História das Mulheres: O século XIX. Porto: Edições Afrontamento, 1991, p. 297-323.

LOPONTE, Luciana Gruppelli. Gênero, educação e docência nas artes visuais. Educação e Realidade, jul./dez.2005, 30 (2), p. 243-259.

MELLO, Graciele Dellalibera de. As representações de gênero e a educação feminina no Paraná oitocentista (1849-1886). Dissertação de Mestrado (Educação). Curitiba, UFPR, 2018.

PANOFSKY, Erwin. Estudos de Iconologia. Lisboa: Estampa, 1982.

PANOFSKY, Erwin. Significado nas artes visuais. São Paulo: Perspectiva, 1991.

PRATES, Kátia. A imagem rarefeita: entre o vazio e o infinito. Tese (Doutorado em Artes Visuais). Porto Alegre: 2011, UFRGS, p. 38.

SALTURI, Luis Afonso. O Movimento Paranista e a Revista Illustração Paranaense. Temáticas, Campinas, 22, (43): 127-158, fev./jun. 2014, p. 133.

SANTANA, Luciana Wolff Apolloni. Escola de Belas Artes e Indústrias do Paraná: o projeto de ensino de artes e ofícios de Antônio Mariano de Lima, Curitiba, 1886-1902. Dissertação (Mestrado em Educação) – Setor de Educação, Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2004.

SCHNEIDER, Norbert. Still life: still life painting in the early modern period. Koln: Taschen, 2009, p.7.

VANALI, Ana Crhistina; KOMINEK, Andrea Maila Voss. João Pamphilo Velloso D’Assumpção: estudante negro e professor negro na universidade brasileira. Conhecimento Interativo, São José dos Pinhais/PR, v. 14, n. 2, p. 208-219, jul/dez. 2020.

WINKES, Rolf. Natura Morta. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, v. 10, 2000, p. 145-161.

Downloads

Publicado

2022-07-25

Como Citar

PRIORI, C. Maria Amélia D’Assumpção: entre retratos e naturezas-mortas, o protagonismo de uma pintora no começo do século XX no Paraná . Revista Educação, Artes e Inclusão, Florianópolis, v. 18, p. e0031, 2022. DOI: 10.5965/19843178182022e0031. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/19797. Acesso em: 3 dez. 2022.