Microaspersão de fosfitos durante a frigoconservação de maçãs cv. Fuji visando o controle de podridões pós-colheita

Autores

  • Auri Brackmann
  • Ricardo Fabiano Hettwer Giehl
  • Ivan Sestari
  • Cristiano André Steffens
  • Ana Cristina Eisermann

Palavras-chave:

Malus domestica Borkh., Penicillium expansum, armazenamento refrigerado.

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiência da microaspersão de fosfitos de potássio, durante o armazenamento refrigerado, sobre o controle de podridões pós-colheita em maçãs cv. Fuji. Os tratamentos foram: [1] água (controle); [2] fosfito de potássio (FP) A 00-40-20; [3] fosfito de potássio B 00- 40-20; [4] fosfito de potássio B 00-30-20; e [5] fosfito de potássio B 00-28-26. Os frutos foram armazenados a –0,5°C e 94 ± 2% de umidade relativa do ar. As microaspersões das soluções no espaço livre da câmara foram realizadas no início do armazenamento e a cada 30 dias durante dois meses. A microaspersão de fosfitos de potássio não controlou podridões póscolheita, após dois e três meses de armazenamento da maçã cv. Fuji.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

BRACKMANN, A.; GIEHL, R. F. H.; SESTARI, I.; STEFFENS, C. A.; EISERMANN, A. C. Microaspersão de fosfitos durante a frigoconservação de maçãs cv. Fuji visando o controle de podridões pós-colheita. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 6, n. 1, p. 7-10, 2007. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/5349. Acesso em: 7 fev. 2023.

Edição

Seção

Nota Científica

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)