Qualidade pós-colheita de frutos de macieira ‘Maxi Gala’ sobre diferentes porta-enxertos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/223811712132022229

Palavras-chave:

Malus domestica, armazenamento, maturação, propriedades funcionais, composição mineral

Resumo

Este estudo analisou o efeito dos porta-enxertos G.213, M.9 e Marubakaido com filtro de M.9 de 30 e 20cm (MB/M.9-30cm e MB/M.9-20cm) sobre a qualidade pós-colheita, composição mineral e propriedades funcionais de maçãs ‘Maxi Gala’. Os experimentos foram conduzidos utilizando frutos provenientes de um pomar comercial localizado em Vacaria, RS, Brasil. Os frutos foram armazenados por 135 e 147 dias nas safras 2014/2015 e 2015/2016, respectivamente, e analisados um dia após a colheita e após armazenamento refrigerado (1,0±0,2°C) seguido por sete dias em condição ambiente. A composição mineral dos frutos apresentou diferenças pequenas e pouco consistentes entre porta-enxertos. O MB/M.9-20cm proporcionou atividade antioxidante total e teores de compostos fenólicos totais mais elevados na casca dos frutos comparativamente ao MB/M.9-30cm. Para a safra 2014/2015, o teor de sólidos solúveis na colheita foi mais elevado nos frutos provenientes de plantas com porta-enxerto G.213, não diferindo apenas do MB/M.9-30cm. Na safra 2015/2016, o G.213 e o M.9 proporcionaram maior teor de sólidos solúveis após a armazenagem em comparação ao MB/M.9-30cm e MB/M.9-20cm. O porta-enxerto G.213 antecipou a maturação dos frutos em comparação ao M.9 na safra 2014/2015. Os demais atributos de qualidade de maçãs ‘Maxi Gala’, na colheita e após o armazenamento, foram similares entre porta-enxertos G.213, M.9, MB/M.9-30cm e MB/M.9-20cm.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMARANTE CVT et al. 2012. Composição mineral de maçãs 'Gala' e 'Fuji' produzidas no Sul do Brasil. Pesquisa Agropecuária Brasileira 47: 550-560.

CARDOSO LS et al. 2012. Disponibilidades climáticas para macieira na região de Vacaria, RS. Ciência Rural 42: 1960-1967.

CORRÊA TR et al. 2012. Composição mineral, qualidade e degenerescência de polpa de maçãs ‘Fuji’ em diferentes porta-enxertos durante armazenamento em atmosfera controlada. Revista Brasileira de Fruticultura 34: 33-40.

DENARDI F et al. 2015a. Desempenho agronômico de porta-enxertos de macieira da série americana ‘Geneva®’ no sul do Brasil. Revista Brasileira de Fruticultura 37: 104-111.

DENARDI F et al. 2015b. Porta-enxertos de macieira: passado, presente e futuro. Agropecuária Catarinense 28: 89-95.

DENARDI F et al. 2016. Performance of new apple rootstocks for Gala variety in Southern Brazil. Crop Breeding and Applied Biotechnology 16: 147-152.

EMBRAPA. 2006. Sistema Brasileiro de Classificação de solos. 2.ed. Rio de Janeiro: Embrapa CNPS. 306p.

FAZIO G et al. 2013. Unique characteristics of Geneva® apple rootstocks. New York Fruit Quarterly 21: 25 28.

FULEKI T & FRANCIS F. 1968. Quantitative methods for anthocyanins. Journal of Food Science 33: 266-274.

KVIKLYS D et al. 2014. Rootstock genotype determines phenol content in apple fruits. Plant Soil and Environment 60: 234–240.

KVITSCHAL MV et al. 2019. Variedades de macieira: cenário Internacional e Nacional. Brazilian Journal of Development 5: 18326-18334.

MACEDO TA. 2018. Validação de porta-enxertos de macieira da série CG nas condições de Vacaria, RS. Tese (Doutorado em Produção Vegetal). Lages: UDESC. 129p.

MACEDO TA et al. 2019. Productivity and quality of 'Fuji Suprema' apple fruit in different rootstocks and growing conditions. Scientia Horticulturae 256: 108651.

MACEDO TA et al. 2018. Chilling requirement and budburst uniformity of cultivar Maxi Gala grafted on different rootstocks. Acta Horticulturae 1228: 241-246.

MARTÍNEZ-BALLESTA CM et al. 2010. Physiological aspects of rootstock–scion interactions. Scientia Horticulturae 127: 112-118.

MILOŠEVIĆ T et al. 2019. Role of rootstock and apple fruit tissue in antioxidant activity. Acta Agriculturae Serbica 24: 97-106.

MIQUELOTO A et al. 2011. Atributos fisiológicos, físico-químicos e minerais associados à ocorrência de “bitter pit” em maçãs. Pesquisa Agropecuária Brasileira 46: 689-696.

NAVA G et al. 2018. Mineral composition of leaves and fruits of apple ‘Fuji’ on different rootstocks in the region of São Joaquim-SC. Revista Brasileira de Fruticultura 40: e685.

PASA MS et al. 2016. Desempenho de macieiras Imperial Gala e Mishima Fuji em diferentes porta enxertos. Pesquisa Agropecuária Brasileira 51: 17-26.

PEREIRA TP et al. 2009. O Clima da Região dos Campos de Cima da Serra, Rio Grande do Sul: condições térmicas e hídricas. Pesquisa Agropecuária Gaúcha 15: 145-157.

PETRI JL & LEITE GB. 2008. Macieira. Revista Brasileira de Fruticultura 30: 857-1166.

REMORINI D et al. 2008. Effect of rootstocks and harvesting time on the nutritional quality of peel and flesh of peach fruits. Food Chemistry 110: 361–367.

ROBINSON TL. 2011. Advances in apple culture worldwide. Revista Brasileira de Fruticultura 33: 37‑47.

ROBINSON TL et al. 2011. Performance of Gevena rootstocks in on-farm trials in New York. Acta Horticulture 903: 249-256.

RUFATO L et al. 2019. Lateral branch induction at nursery with growth regulators in ‘Maxi Gala’ apple trees grafted on four rootstocks. Scientia Horticulturae 253: 349-357.

RUFINO MSM et al. 2007a. Metodologia científica: determinação da atividade antioxidante total em frutas pela captura do radical livre ABTS. Fortaleza: Embrapa Agroindústria Tropical. 4p. (Comunicado Técnico 128).

RUFINO MSM et al. 2007b. Metodologia científica: determinação da atividade antioxidante total em frutas pela captura do radical livre DPPH. Fortaleza: Embrapa Agroindústria Tropical. 4p. (Comunicado Técnico 127).

SCHVEITZER B & SUZUKI A. 2013. Métodos de análises químicas de polpa fresca de maçã. Florianópolis: Epagri. 23p. (Documento 241).

STANGER MC et al. 2017. Phenolic Content and Antioxidant Activity during the Development of ‘Brookfield’ and ‘Mishima’ Apples. Journal of Agricultural and Food Chemistry 65: 3453-3459.

TEDESCO MJ et al. 1995. Análise do solo, planta e outros materiais. 2.ed. Porto Alegre: UFRGS. 174p. (Boletim Técnico de Solos 5).

WEBER A et al. 2013. Atmosfera controlada para o armazenamento da maçã ‘Maxi Gala’. Revista Ciência Agronômica 44: 294-301.

Downloads

Publicado

2022-10-19

Como Citar

MARTIN, M. S. de; MACEDO, T. A. de .; STEFFENS, C. A.; SOETHE, C.; HEINZEN, A. S. .; RUFATO, L. Qualidade pós-colheita de frutos de macieira ‘Maxi Gala’ sobre diferentes porta-enxertos. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v. 21, n. 3, p. 229-237, 2022. DOI: 10.5965/223811712132022229. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/agroveterinaria/article/view/21633. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigo de Pesquisa - Ciência de Plantas e Produtos Derivados