A trajetória dos egressos de um curso de Moda: reflexões curriculares e campo de atuação

Emanuella Scoz, Marcia Regina Selpa Heinzle, Gabriela Poltronieri Lenzi

Resumo


Esta pesquisa objetivou compreender a trajetória dos egressos da primeira turma do curso de moda de uma universidade pública. Com essa finalidade, analisamos as relações curriculares da formação inicial e os campos de atuação dos egressos a partir do percurso formativo. Foram analisados documentos do Projeto de Viabilidade do Curso (1996) e os questionários de egressos (2001) a partir da análise temática de Bardin (2016). Os resultados demonstram características técnicas do currículo devidas ao contexto prático vestuarista fabril regional. O percurso formativo dos egressos demonstrou atualização ao mercado de Moda com atuação em campos de trabalho intelectualizado entre o ramo de serviços, indústria e MEI.

Palavras-chave


currículo de moda; campos de atuação; egressos

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, Ricardo. Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1995.

ANTUNES, Ricardo. Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 16. ed. São Paulo: Cortez, 2015.

BONADIO, Maria Claudia; MARINHO, Maria Gabriela, WAJNMAN, Solange. Apresentação - Dossiê Moda e conhecimento: interfaces com as ciências humanas e a comunicação. Iara, v. 3, n. 3, 2010. Disponível em: http://www1.sp.senac.br/hotsites/blogs/revistaiara/index.php/vol-3-no3-ano-2010/. Acesso em: 17 dez. 2019.

BRASIL. Presidência da República, Casa Civil. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 20 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9394.htm. Acesso em: 16 dez. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. CNE. Resolução n. 5, de 8 de março de 2004. Brasília, 8 mar. 2004. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces05_04.pdf. Acesso em: 09 set. 2019.

BRASIL. Ministério da Cultura. Programa Cultural para o Desenvolvimento do Brasil. Brasília: MinC, 2006. Disponível em: http://rubi.casaruibarbosa.gov.br/bitstream/20.500.11997/6837/1/119.pdf. Acesso em: 17 dez. 2019.

BRASIL. Ministério da Cultura. Plano Cultural da Moda. Brasília: Ismália Afonso, SPC/MinC, 2013. Disponível em: https://bit.ly/2PdCzkh. Acesso em: 17 dez. 2019.

CHRISTO, Deborah Chagas. CIPINIUK, Alberto. Estilista? Designer de Moda...ou um Designer de objetos do vestuário? Dobras, v. 7, n. 15, p. 13-22, 2014. Disponível em: https://dobras.emnuvens.com.br/dobras/article/view/69/69. Acesso em: 17 dez. 2019.

GUIMARÃES, Maria Eduarda Araújo. Moda, Cultura e identidades. In: ENECULT- ENCONTRO DE ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES EM CULTURA, 4, 2008, Salvador. Anais [...]. UFBA: Salvador, 2008. Disponível em: http://www.cult.ufba.br/enecult2008/14326.pdf. Acesso em: 17 dez. 2019.

LENZI, Cristiano Luís. O “Modelo Catarinense” de desenvolvimento: uma ideia em mutação? Blumenau: Edifurb, 2000.

MATTOS, Maria de Fátima da Silva Costa Garcia. (Org.) Pesquisa e formação em Moda. São Paulo: Estação das Cores e Letras, 2015.

SACRISTÁN, José Gimeno. O currículo. Uma reflexão sobre a prática. Tradução de Ernani F. da Fonseca Rosa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SANCHES, Lucinéia. Os moldes da moda: um estudo sobre o estado dos cursos de formação em Moda no Brasil. 2006. 121 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, 2006.

SANT’ANNA, Mara Rúbia. Teoria da Moda - Sociedade, Imagem e Consumo. 2. ed. São Paulo: Estação das letras e cores, 2016.

SILVA, Barbará Cravo da. NASCIMENTO, Luís Cláudio Portugal. Apontamentos acerca da integração entre conteúdos de Design e de Moda no percurso de implementação do Design de Moda. Projética, Londrina, v. 3, n. 1, p. 110-118, 2012. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/projetica/article/view/12266/11334. Acesso em: 17 dez. 2019.

TREVISOL NETO, Orestes. A institucionalização científica do campo da Moda no Brasil: estudo baseado nas instituições, produtores e produtos científicos. 2015. 191 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/135394/334677.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 17 dez. 2019.




DOI: https://doi.org/10.5965/1982615x13272020233

Direitos autorais Emanuella Scoz, Marcia Regina Selpa Heinzle, Gabriela Poltronieri Lenzi

Licença Creative Commons

      http://www.revistas.udesc.br/public/site/images/rocha1/ceart1.png