Influência do ambiente térmico no comportamento e desempenho zootécnico de suínos

Tatiany Carvalho dos Santos, Cinara da Cunha Siqueira Carvalho, Geruza Cardoso da Silva, Thamara Amaral Diniz, Thaís Emanuele Soares, Sóstenes de Jesus Magalhães Moreira, Paulo Roberto Cecon

Resumo


Os modificadores ambientais, como o uso da lâmina d’água, são frequentemente utilizados na produção de suínos, com intuito de melhorar as condições de bem-estar e consequentemente, a produção. Diante dessa consideração, buscou-se avaliar o efeito do ambiente climático sobre o ganho de peso e o comportamento de suínos em fase de terminação em baias com e sem acesso à lâmina d’água. O trabalho foi conduzido em uma granja suinícola localizada na cidade de Nova Porteirinha, localizada na região semiárida de Minas Gerais. Para avaliar o conforto térmico dos animais utilizou-se o Índice de Temperatura de Globo Negro e Umidade (ITGU) e para análise do comportamento dos suínos observou-se o número de animais realizando a atividade, por período avaliado, bem como, o ganho de peso. No terceiro bloco os valores de índice de temperatura de globo negro e umidade foram maiores havendo menor ganho de peso médio diário. Os tratamentos resultam em diferentes respostas comportamentais, sendo o comportamento na lâmina d’água mais expressivo no período da tarde. O período de avaliação mostrou influenciar na temperatura superficial e em temperaturas elevadas os animais apresentam menor ganho de peso médio diário. A lâmina d’água não influenciou no ganho de peso dos animais, entretanto, proporcionou melhores condições de bem-estar.

Palavras-chave


ambiência, bem-estar, ganho de peso, lâmina d’água, suinocultura.

Texto completo:

PDF

Referências


BERTON MP. 2013. Ambiente controlado e não controlado no desempenho, comportamento e características da carcaça de suínos. Dissertação (Mestrado em Zootecnia). Jaboticabal: UNESP. 53p.

BIAZZI HM et al. 2014. Behavioral, thermoregulatory, and operational aspects of shallow pool pens used in gilts production. Semina: Ciências Agrárias 35: 3439-3448.

BROWN-BRANDL TM et al. 2012. Determining Heat Tolerance in Finishing Pigs Using Thermal Imaging. In: INTERNATIONAL LIVESTOCK ENVIRONMENT SYMPOSIUM, 9. Proceedings... Valencia: ASABE. p. 1-8.

BUFFINGTON SC et al. 1981. Black-Globe-Humidity Index (BGHI) as comfort equations for dairy cows. Transactions of the ASAE 24: 711-714.

CARVALHO LE et al. 2004. Utilização da nebulização e ventilação forçada sobre o desempenho e a temperatura da pele de suínos na fase de terminação. Revista Brasileira de Zootecnia 33: 1486-1494.

DIAS AC et al. 2011. Manual brasileiro de boas práticas agropecuárias na produção de suínos. Concórdia: Embrapa Suínos e Aves. 140p.

DIAS CP et al. 2015. Efeitos do alojamento no bem-estar de suínos em fase de crescimento e terminação. Ciência Animal 25: 76-92.

FOPPA L et al. 2014. Enriquecimento ambiental e comportamento de suínos: revisão. Brazilian Journal of Biosystems Engineering 8: 1-7.

GONÇALVES RG & PALMEIRA EM 2006. Suinocultura Brasileira. Observatorio de la Economía Latinoamericana. Revista Académica de Economia, nº. 71. Disponível em: . Acesso em: 19 fev. 2014.

HUYNH TTT et al. 2005. Effects of increasing temperatures on physiological changes in pigs at different relative humidities. Journal of Animal Science 83: 1385-1396.

JÄÄSKELÄINEN T et al. 2014. Relationships between pig welfare, productivity and farmer disposition. Animal Welfare 23: 435-443.

KIEFER C et al. 2009. Resposta de suínos em crescimento mantidos em diferentes temperaturas. Archivos de Zootecnia 58: 55-64.

KIEFER C et al. 2010. Respostas de suínos em terminação mantidos em diferentes ambientes térmicos. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal 11: 496-504.

LEAL RS et al. 2015. Desempenho e rendimento de carcaça de suínos na fase de terminação, recebendo dietas com diferentes níveis de ractopamina. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal 16: 582-590.

MASSARI JM et al. 2015. Características comportamentais de suínos em crescimento e terminação em sistema “Wean to finish”. Engenharia Agrícola 35: 646-656.

MEDEIROS BBL et al. 2014. Uso da geoestatística na avaliação de variáveis ambientais em galpão de suínos criados em sistema “wean to finish” na fase de terminação. Engenharia Agrícola 34: 800-811.

MOREIRA I et al. 2003. Desempenho e características de carcaça de suínos (33 - 84 kg) criados em baias de piso compacto ou com lâmina d‘água. Revista Brasileira de Zootecnia 32: 132-139.

NATIONAL FARM ANIMAL CARE COUNCIL. 2014. Code of practice for the care and handling of pigs. Code of practice. 78 p.

PAIANO D et al. 2007. Comportamento de suínos alojados em baias de piso parcialmente ripado ou com lâmina d’água. Acta Scientiarum. Animal Sciences 29: 345-351.

PANDORFI H et al. 2008. Conforto térmico para matrizes suínas em fase de gestação, alojadas em baias individuais e coletivas. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 12: 326-332.

RENAUDEAU D et al. 2011. A meta-analysis of the effects of high ambient temperature on growth performance of growing-finishing pigs. Journal of Animal Science 89: 2220-2230.

RODRIGUES NEB et al. 2010. Adaptações fisiológicas de Suínos sob estresse térmico. Revista Eletrônica Nutritime 7:

-1211.

SALES FAL et al. 2011. Monitoramento ambiental do perfil horizontal de um galpão para suínos, na fase de gestação, utilizando zootecnia de precisão. Revista Científica Produção Animal 13: 7-12.

SILVA IJO. 1999. Qualidade do ambiente e instalações na produção industrial de suínos. In: Seminário internacional de suinocultura, 4. Anais... Piracicaba: ESALQ. p. 108-121.

SOUZA BB et al. 2010. Efeito do ambiente sobre as respostas fisiológicas de caprinos saanen e mestiços ½ saanen + ½ boer no semiárido Paraibano. Agropecuária Científica no Semiárido 6: 47-51.

SPOOLDER HAM et al. 2012. Effect of increasing temperature on space requirements of group housed finishing pigs. Applied Animal Behaviour Science 138: 229-239.

SAEG. 2007. Sistema para Análises Estatísticas, Versão 9.1: Fundação Arthur Bernardes - UFV - Viçosa.

VICARI JUNIOR D et al. 2016. Melhoria de índices zootécnicos em suínos com imunocastração. Unoesc & Ciência - ACET 7: 89-94.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/223811711722018241

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171