Trabalho teatral latino-americano: pedagogias dissonantes em dois tempos históricos

Autores

  • Rafael Litvin Villas Bôas Universidade de Brasília (UnB) https://orcid.org/0000-0003-1814-710X
  • Douglas Estevam Coletivo Nacional de Cultura do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e Brigada Nacional de Teatro do MST Patativa do Assaré.

DOI:

https://doi.org/10.5965/14145731023820200039

Palavras-chave:

Trabalho teatral, Pedagogias do teatro, Organização em rede, Criação colaborativa

Resumo

O artigo tem como objetivo sistematizar quais os eixos estruturantes da pedagogia teatral presente em alguns dos grupos que integraram Frente de Trabalhadores da Cultura Nuestra America, por meio de textos de dramaturgos e diretores e da experiência dos grupos. O intuito é identificar as características comuns nas formas organizativas e nos processos de resistência.  Para isso a pesquisa recupera a história da articulação dos trabalhadores da Cultura nos anos 1960 e 1970 na América Latina, analisa o processo de composição da rede que surge inspirada nos debates, ações e propostas estéticas daquele período, a Rede de Teatro e Vídeo Político- Popular de Nuestra América.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Litvin Villas Bôas, Universidade de Brasília (UnB)

Professor do programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas e do Mestrado Profissional em Artes da Universidade de Brasília (UnB) e do Mestrado em Desenvolvimento Territorial da América Latina e Caribe da Unesp e Escola Nacional Florestan Fernandes.

Douglas Estevam, Coletivo Nacional de Cultura do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e Brigada Nacional de Teatro do MST Patativa do Assaré.

Historiador graduado na Universidade Federal Fronteira Sul. Coordenador da Brigada Nacional de Teatro do MST.

Referências

BOAL, Augusto. Técnicas Latinoamericanas de Teatro Popular (Uma revolución Copernicana al revés). Buenos Aires: Ediciones Corregidor, 1975.

BOAL, Augusto. Teatro do Oprimido e outras poéticas políticas. São Paulo: Cosac Naify, 2013.

BOAL, Augusto. Técnicas latinoamericanas de teatro popular: una revolución copernicana al revés. 2 ed. Buenos Aires: Corregidor, 2014.

CARDOSO, Fernando Henrique; FALETTO, Enzo. Dependência e desenvolvimento na América Latina: ensaio de interpretação sociológica. 6 edição. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1981.

COSTA, Iná Camargo. A hora do teatro épico no Brasil. Rio de Janeiro: Graal, 1996.

Documento sobre o teatro popular, 1968, Manizales. In: PIANCA, Marina. El Teatro de Nuestra America: un proyecto continental, 1959-1989. Minneapolis: Institute for the Study of Ideologies and Literature, 1990, p. 335-340.

ESTEVAM; Douglas. Augusto Boal and the Nuestra America theatre. In: HOWE; Kelly; BOAL; Julian; SOEIRO; José (orgs). The Routledge companion to Theatre of the Oppressed. Abingdon, Oxon; New York: Routledge, 2019.

GARCIA, Santiago. Teoria e prática do teatro. São Paulo: Hucitec, 1988.

Relatório da delegação brasileira na reunião da Rede Internacional Teatro e Sociedade ocorrida em Buenos Aires. Dezembro de 2016.

GUTIÉRREZ, Sônia. Teatro Popular y cambio social en America Latina: panorama de una experiencia. Costa Rica: Editorial Universitaria Centroamericana, 1979.

LEAL, Rino. Teatro Escambray. La Habana: Editorial Letras Cubanas, 1978.

LIMA, Eduardo Campos. Coisas de Jornal no Teatro. São Paulo: Expressão Popular, 2014.

MARINI, Ruy Mauro. “Dialética da dependência”. In: SADER, Emir. Dialética da Dependência. Petrópolis: Vozes, 2000.

MST, Coletivo de Comunicação do. MST realiza Escola Popular de Teatro e Vídeo de São Paulo. Link: http://www.mst.org.br/2019/07/25/mst-realiza-escola-popular-de-teatro-e-video-de-sao-paulo.html. Acesso em: 30 jul. 2019.

PIANCA, Marina. El Teatro de Nuestra America: un proyecto continental, 1959-1989. Minneapolis: Institute for the Study of Ideologies and Literature, 1990.

RIZK, Beatriz J. El Nuevo Teatro Latinoamericano: uma lectura histórica. Minneapolis: Prisma Institute, 1987.

ROPA, Eugenia Casini. A dança e o agit-prop: os teatros não teatrais na cultura alemã do início do século XX. São Paulo: Perspectiva, 2014.

VILLAS BÔAS, Rafael Litvin. Teatro político e questão agrária, 1955-1965: contradições, avanços e impasses de um momento decisivo. Brasília, 2009. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Literaturas, Universidade de Brasília.

VILLAS BÔAS, Rafael Litvin. Invisible Theatre: from origins to current uses. In: HOWE; Kelly; BOAL; Julian; SOEIRO; José (orgs). The Routledge companion to Theatre of the Oppressed. Abingdon, Oxon; New York: Routledge, 2019.

VILLAS BÔAS, Rafael Litvin; PINTO, Viviane Cristina; ROSA, Simone Menezes. A Escola de Teatro Político e Vídeo Popular do Distrito Federal: formação pela práxis. In: Urdimento, Florianópolis, v.1, nº 34, p. 36-47, 2019. Disponível no link:

http://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101342019036/9956

Downloads

Publicado

2020-09-24

Como Citar

VILLAS BÔAS, Rafael Litvin; ESTEVAM, Douglas. Trabalho teatral latino-americano: pedagogias dissonantes em dois tempos históricos. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 38, p. 1–24, 2020. DOI: 10.5965/14145731023820200039. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/18169. Acesso em: 18 maio. 2024.