Discursos sobre a formação do ator no século XX: Notas sobre a formação do ator no estado do Maranhão

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573103362019340

Palavras-chave:

Memória, Teatro maranhense, Laborarte, HIstória, Geupo Tema

Resumo

Este artigo trata da formação do ator no século XX no Maranhão, tomando como ponto de partida as entrevistas reunidas no livro Memória do Teatro Maranhense, de Aldo Leite (2007). Utilizo a noção de discursode Michel Foucault (1997), para identificar quem fala, e o que essas falas revelam sobre a formação de atores e atrizes. Com esse objetivo, seleciono o que os entrevistados dizem sobre o ingresso no teatro, as habilidades ou tipos físicos solicitados pelos diretores, os grupos, os locais de ensaios e o período de tempo dedicado ao teatro, compondo um quadro de formação de ator. Por fim, aponto questões complementares ao que não foi revelado no recorte adotado por Aldo Leite, de modo a contribuir com a escrita da memória do teatro maranhense na perspectiva do ator e de sua formação

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Socorro Ramos Braga, Universidade Federal do Maranhão (UFMA)

Professora do Departamento de Artes Cênicas da Universidade Federal do Maranhão

Referências

AZEVEDO, Elizabeth Ribeiro. Preservação de documentos para a história do te- atro brasileiro: teoria e prática. In: Sala Preta, Vol. 17, n. 2, p 152-163, 2017. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/salapreta/article/download/138669/137196/ Aces- so em: 21 ago. 2019.

BORRALHO, Tácito. O Teatro no Maranhão nos anos 1970. IN: LEITE. Aldo de Jesus Muniz. Memória do teatro maranhense. São Luís: EDFUNC, 2007. ( p.69-97)

CAMILOTTI, Camila Paula. Shakespeare na Itália: construção intersemiótica de Rei Lear e La tempesta em Giorgio Strehler. 426 f. 2014. Tese (Doutorado em Estudos da Tradução). Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Ex- pressão, Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução, Florianópolis. 2014. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/>. Acesso em: 22 abr. 2015.

EM SÃO LUÍS, morre o escritor e jornalista Ubiratan Teixeira. G1 MA, 15 jun. 2014.

Disponível em: <http://g1.globo.com/ma/maranhao>. Acesso em: 25 jun. 2015.

FOUCAULT, Michel. Os corpos dóceis. In: FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: história da violência nas prisões. Rio de Janeiro: Vozes, 1975. p. 125-146.

LEITE. Aldo de Jesus Muniz. Memória do teatro maranhense. São Luís: EDFUNC, 2007.

MOSTAÇO, Edélcio. O Balcão. Palco e Plateia. São Paulo, Ano I, n. 4, dez. 1986. p. 49-54.

NELSON Brito (LABORARTE) deixa a cultura maranhense de luto. Portal AZ. 11 jan. 2009. Disponível em: <http://www.portalaz.com.br/>. Acesso em: 10 set. 2015.

PEIXE. LABORARTE: Exercício nº 4. História do teatro maranhense. 11 jan. 2011. Disponível em: <http://historiadoteatromaranhense.blogspot.com.br/>. Acesso em: 11 ago. 2015.

TEIXEIRA, Renato. Blog Averequerte, c2008. Disponível em: < >. Acesso em: 2 jun. 2015.

TEIXEIRA, Ubiratan. Dicionário de Teatro. São Luís: Editora Instituto Geia, 2005.

Downloads

Publicado

2019-12-13

Como Citar

BRAGA, A. S. R. Discursos sobre a formação do ator no século XX: Notas sobre a formação do ator no estado do Maranhão. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 36, p. 340-356, 2019. DOI: 10.5965/1414573103362019340. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/16178. Acesso em: 28 set. 2022.