Experiências cênicas: fissuras criativas na escola com crianças e adolescentes

Autores

  • Paulo Merisio Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) https://orcid.org/0000-0002-1541-7701
  • Getulio Góis de Araujo Escola de Educação Básica - ESEBA / Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
  • Ligia da Cruz Silva Escola Municipal Escritor Millôr Fernandes – Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro/RJ - SME

DOI:

https://doi.org/10.5965/414573103362019181

Palavras-chave:

Fissuras criativas, Artistas-estudantes, Pedagogia do teatro, Autonomia

Resumo

Os três autores deste trabalho possuem aspectos comuns em suas trajetórias, que reverberam em seus campos de pesquisa. Docentes que possuem forte ligação com o campo da pedagogia do teatro e que articulam seus universos de pesquisa à prática cênica. Este artigo analisa duas experiências que buscam criar fissuras nas estruturas escolares por meio de experiências criativas, investindo nos desejos dos próprios artistas-estudantes – a primeira com crianças numa escola da cidade do Rio de Janeiro/RJ e a segunda com adolescentes em um Colégio de Aplicação em Uberlândia/MG. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Merisio, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Doutor em Artes Cênicas - UNIRIO. Professor Associado - UNIRIO (Departamento do Ensino de Teatro; PPGAC; PPGEAC). Bolsista de Produtividade em Pesquisa - PQ2 - CNPq.

Getulio Góis de Araujo, Escola de Educação Básica - ESEBA / Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Doutor em Artes Cênicas - UNIRIO. Professor da Escola de Educação Básica - ESEBA / Universidade Federal de Uberlândia.

Ligia da Cruz Silva, Escola Municipal Escritor Millôr Fernandes – Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro/RJ - SME

Mestranda em Ensino de Artes Cênicas - UNIRIO. Professora na Escola Municipal Escritor Millôr Fernandes – Rio de Janeiro/RJ

Referências

ACASO, María. Desplazando la semiótica hacia la pedagogía: hacia una semiótica de acto pedagógico. In: ACASO, María(Org.). Pedagogías invisibles. El espacio del aula como discurso. Madrid: Catarata, 2012.

ALVES, Rubem. A alegria de ensinar. Campinas: Papirus, 2012a.

ALVES, Rubem. A escola com que sempre sonhei sem imaginar que pudesse existir. Campinas: Papirus, 2012b.

DONOSO, Edgardo. La semiótica es caótica, analítica y neurótica. In: ACASO, María (Org.). Pedagogías invisibles. El espacio del aula como discurso. Madrid: Catarata, 2012.

DUVIGNAUD, Jean. Sociologia do comediante. Rio de Janeiro: Zahar, 1972. GUÉNOUN, Denis. O teatro é necessário? São Paulo: Perspectiva, 2004.

HARVEY, David. Cidades Rebeldes: do direito à cidade à revolução urbana. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

HOLLOWAY, John. Fissurar o capitalismo. Partes I e II. São Paulo: Publisher, 2013.

LAKOFF, George; JOHNSON, Mark. Metáforas da vida cotidiana. Coordenação de Tradução Mara Sophia Zanotto. Campinas/São Paulo: Mercado de Letras/Educ, 2002.

LAROSSA, Jorge. Tremores: escritos sobre experiência. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

MARQUES, Isabel. O artista/docente: ou o que a arte pode aprender com a educação.

Revista Ouvirouver. Uberlândia, v. 10, n. 2, p. 230-239, jul./dez. 2014. Disponível em:

. Acesso em: 18 set. 2015.

MOSÉ, Viviane (Org.). A escola e os desafios contemporâneos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

MOSTAÇO, Edélcio. Fazendo cena: a performatividade. In: MOSTAÇO, Edélcio; ORO- FINO, Isabel; BAUMGARTEL, Stephan; COLLAÇO, Vera (Orgs.). Sobre performatividade. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2009.

PRENTKI, Tim. Contranarrativa. Ser ou não ser: Esta é a questão. In: NOGUEIRA, Mar- cia Pompeo (Org.). Teatro na comunidade, interações, dilemas e possibilidades. Florianópolis: Ed. Udesc, 2009, p.13-36.

RANCIÈRE, Jacques. O mestre ignorante − cinco lições sobre a emancipação intelectual. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. Rio de Janeiro: Editora 34, 2018.

RYNGAERT, Jean-Pierre. Jogar, representar. São Paulo: Cosac &Naif, 2009. SLADE, Peter. O jogo dramático infantil. São Paulo: Summus, 1978.

SPOLIN, Viola. Improvisação para o teatro. São Paulo: Perspectiva, 1982.

STRAZZACAPPA, Marcia. Imersões poéticas como processo de formação do artista-docente. Art Research Journal, [S.l.], v. 1, n. 2, p. 96-111, ago. 2014. Disponível em: <https://periodicos.ufrn.br/artresearchjournal/article/view/5368>. Acesso em:

ago. 2015.

Downloads

Publicado

2019-12-13

Como Citar

MERISIO, P.; ARAUJO, G. G. de; SILVA, L. da C. Experiências cênicas: fissuras criativas na escola com crianças e adolescentes. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 36, p. 181-203, 2019. DOI: 10.5965/414573103362019181. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/15731. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático - Pedagogia do Teatro: vozes da América Latina