O conceito de coreografia em transformação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101342019362

Resumo

Principalmente a partir de exemplos do contexto paulistano de dança contemporânea,em diálogo com o Brasil eexterior (especialmente EUA e Europa),aborda-se a atualização do conceito decoreografia, não mais entendida somentecomo sequências fixas de movimentospassíveis de repetição idêntica, mascomo estrutura multidimensional queorganiza corpos vivos e/ou não-vivos,além de experiências e pensamentos (deseres vivos e/ou de inteligência artificial).A integração da dança a museus e galeriasde arte é descrita, teorizando sobre seuafastamento dos parâmetros teatrais emvigor desde o Renascimento e sua aproximaçãodas artes visuais a partir de 1960.Aborda-se a genealogia do conceito paraapontar que hoje coreografia ultrapassaas fronteiras da dança, tornando-se umcampo autônomo deconhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Martins Rodrigues de Moraes, Universidade Estadual de Campinas

Professora e pesquisadora do Departamento de Artes Corporais da UNICAMP. Doutora em Artes e Bacharel em Dança pela UNICAMP. Mestre em Dança pelo Trinity Laban Conservatoire for Music and Dance, em Londres. Bailarina e coreógrafa. www.julianamoraes.art.br

Downloads

Publicado

2019-04-04

Como Citar

MARTINS RODRIGUES DE MORAES, Juliana. O conceito de coreografia em transformação. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 34, p. 362–377, 2019. DOI: 10.5965/1414573101342019362. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101342019362. Acesso em: 24 maio. 2024.