Memória e performance - dispositivos de captura e hibridismo entre arte e jornalismo cultural

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101282017180

Resumo

Aproximação entre a escrita de uma jornalista e um artista visual, o presente estudo, carrega o desejo de reter o vivido como um exercício de rememoração. Vasculha anotações de um presente que já é passado e de um passado que se mescla ao presente, numa fixação que se dá por meio da escritura.Os recursos adotados são as lembranças, as anotações feitas durante e logo após o acompanhamento da agenda, em especial as apresentações de performances e uma performance ritual e, em outros momentos, na observação de fotografias, de documentos audiovisuais e das conversas analíticas sobre o que foi visto e pensado. Qual é o melhor modo de estabelecer uma narrativa sobre o passado em se tratando de um conjunto de trabalhos de difícil definição, reunidos sob uma agenda que se chama Semana Performática? Quais seriam os melhores dispositivos de captura dessas ações? Como abarcar a experiência, como entrecruzar dois olhares, como constituir memória a partir da escrita?

Biografia do Autor

Carlos Alberto Franzoi, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial- Senai

Franzoi (1969), natural de Taió, reside Joinville SC desde 1988. Arte-educador, artista visual, ator, curador, diretor teatral e performer. Graduado Educação Artística Univille. Pós-Graduado A Prática Social da Arte USP/Univille. Na educação atua no ensino fundamental, médio, técnico, graduação e pós-graduação desde 1992 nas disciplinas de estética, história da arte, performance, produção cultural, semiótica e teatro. No teatro atuou enquanto ator em 36 peças, figurinista 52 peças, cenógrafo 67 peças e diretor 61 peças e 2 óperas.  Curador Mapeamento Rumos Artes Visuais Itaú Cultural 2011 a 2013 e mais 50 curadorias individuais e coletivas de 2006 a 2015. Artista selecionado projeto Rumos Artes Visuais do Itaú Cultural de 1999 a 2000; Prêmio III Concurso do Projeto Poesia em Trânsito, Univille, Joinville, 1998. Prêmio Aquisição VI Salão Municipal dos Novos Joinville em 1993. Menção Honrosa II Salão AAPLAJ Joinville em 1989. Realizou 18 exposições individuais, 109 coletivas e 51 performances individuais de 1989 a 2017. Fundou e integrou Grupo Performance Papirus com 54 performances realizadas de 1988 a 2005. Na AAPLAJ é membro desde 1992, foi Vice-Presidente em 1993, Presidente em 1994 e membro do Conselho Consultivo em 5 gestões. É membro fundador do Instituto Schwanke e foi Diretor Cultural de 2004 a 2009 e Membro Conselho Consultivo de 2009 a 2017. Membro Conselho Consultivo do MAJ gestão 2000/2001. Coordenou Casa da Cultura Joinville e a Galeria Municipal de Artes Victor Kursancew gestão 1997 a 2000 e Museu de Arte Joinville gestão 2009 a 2012. Presidente Conselho Consultivo MAJ de 2009 a 2012. Membro do Conselho Consultivo da Galeria Municipal Artes Victor Kursancew de 2010 a 2014. Membro Conselho Consultivo FAAPSC desde 2011. Membro do Conselho Estadual de Cultura desde 2013 onde preside a Câmara de Artes Visuais. Membro ACLA – Associação Catarinense de Letras e Artes e Conselho Estadual de Cultura desde 2013.

Néri Pedroso

Néri Pedroso - Vive e trabalha em Florianópolis (SC). Jornalista, diretora da NProduções, microempresa voltada para projetos no campo da cultura. Experiência em jornalismo cultural e na implantação de projetos jornalísticos, como cadernos e suplementos especiais. Edita o caderno “Anexo”, do jornal “A Notícia” (1989/1993 e 2000/2005); cria e implanta o caderno Plural” do jornal Notícias do Dia (2008- 2011). Entre outras atividades, escreve a coluna “Mosaico” no jornal Notícias do Dia. É autora do livro “Hassis” e “Coletiva de Artistas de Joinville: Construção Mínima de Memória”. Integra a Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA). Assina artigos em livros, como “Tubo de Ensaio – Composição [Interseções + Intervenções]”, “Construtores das Artes Visuais – Cinco Séculos de Arte em Santa Catarina Vol. 1” (Tempo Editorial), “Percurso do Círculo – Schwanke séries, múltiplos e reflexões” (Contraponto), entre outros. Assessora projetos no campo das artes visuais e de dança contemporânea selecionados por diferentes programas e editais de estímulo à cultura na esfera municipal, estadual e federal. Integra desde 2013, a equipe técnica do Múltipla Dança – Festival Internacional de Dança Contemporânea. Pesquisa e escreve sobre arte e dança contemporânea. Em 2016, assina o artigo “Conexões de saberes, o encontro como plano compositivo”, no livro "Tubo de Ensaio". Em 2017 está na equipe técnica da Companhia de Dança Lápis de Seda, que faz dança inclusiva e turnê nacional do espetáculo “Convite ao Olhar” em cinco capitais brasileiras. No campo das artes visuais, como assessora de imprensa, já atendeu artistas visuais, como Lucila Vilela, Janor Vasconcelos, Roberta Tassinari, Laércio, Pita Camargo, Sergio Adriano H., entre outros. 

Downloads

Publicado

2017-07-02

Como Citar

Franzoi, C. A., & Pedroso, N. (2017). Memória e performance - dispositivos de captura e hibridismo entre arte e jornalismo cultural. Urdimento - Revista De Estudos Em Artes Cênicas, 1(28), 180-201. https://doi.org/10.5965/1414573101282017180