PERCEPÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE SISTEMA DE CUSTOS PARA FISCALIZAÇÃO DE MUNICÍPIOS PELO TCE/SC

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Marcelo da Silva Mafra
Ricardo Suave
Jerónimo Taundi Guilherme
Luiz Alberton

Resumo

A LRF exige a manutenção de sistema de custos pela administração pública. O Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina (TCE/SC) é encarregado da fiscalização dos municípios catarinenses. Investiga-se a percepção dos servidores lotados na área fim da Diretoria de Controle dos Municípios sobre a utilização de sistema de custos para fiscalizar a aplicação dos princípios constitucionais da eficiência e economicidade. A pesquisa é exploratória e a abordagem é qualitativa e quantitativa. Percebe-se a divisão das opiniões acerca de que o sistema de custos poderá ser útil nesta fiscalização. Identifica-se que o assunto ainda é incipiente e necessita de tempo para amadurecer. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Mafra, M. da S., Suave, R., Guilherme, J. T., & Alberton, L. (2013). PERCEPÇÃO DA UTILIZAÇÃO DE SISTEMA DE CUSTOS PARA FISCALIZAÇÃO DE MUNICÍPIOS PELO TCE/SC. Revista Brasileira De Contabilidade E Gestão, 2(4), 38-49. Recuperado de https://revistas.udesc.br/index.php/reavi/article/view/3655
Seção
Artigos

Referências

ALMEIDA, André Graf; BORBA, José Alonso; FLORES, Luiz Carlos da Silva. A utilização das informações de custos na gestão da saúde pública: um estudo preliminar em secretarias municipais de saúde do estado de Santa Catarina. Revista de Administração Pública – RAP – Rio de Janeiro 43(3): 579-607 Maio/Jun. 2009.

ALONSO, Marcos. Custos no serviço público. Revista do Serviço Público, ano 50, n. 1, p. 37- 63, 1999.

BITTI, Eugenio José Silva, et al. Adoção de sistemas de custos no setor público: reflexões sobre a literatura nacional veiculada em periódicos acadêmicos. Revista Universo Contábil. Blumenau, v. 7, n. 3, p. 06-24, jul./set., 2011.

CARDOSO, R. L.; AQUINO, A. C. B.; BITTI, E. J. S. Reflexões para um framework da informação de custos do setor público brasileiro. Revista de Administração Pública, vol. 45, n. 5, p. 1565-1586 Set/Out 2011.

COSTA, José Isidio de Freitas, et al. Atuação dos Tribunais de Contas no combate à corrupção: uma análise dos requisitos para uma ação eficaz na visão do corpo técnico do TCE/PE. V Congresso Anpcont – Vitória, ES, Brasil – 20 a 23 de junho de 2011.

CRUZ, Flávio da; PLATT, Orion Augusto Neto. Contabilidade de custos para entidades estatais: metodologia e casos simulados. Belo Horizonte: Fórum, 2007.

DÍAZ, Daniel Carrasco; CARRILLO, Dionisio Buendía. La normalización de la contabilidad de costes en la administracíon local. Revista Auditoría Pública, n. 59, p. 101-115, abril 2013.

GIL, António. Como Elaborar Projectos de Pesquisa, 4ª ed.,São Paulo: Editora Atlas, 2002.

HANSEN, Don R.; MOWEN, Maryanne M. Gestão de custos – contabilidade e controle. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003.

HOGGETT, Paul. New modes of control in the public service. Public Administration, Vol. 74 Spring 9-32, 1996.

LIMA, Gustavo Massa Ferreira. O princípio constitucional da economicidade e o controle de desempenho pelos Tribunais de Contas. Belo Horizonte: Fórum, 2010.

MAHER, Michael. Contabilidade de custos : criando valor para a administração. Tradução José Evaristo dos Santos - São Paulo : Atlas, 2001.

MARTINS, Eliseu. Contabilidade de custos. 10. Ed. – São Paulo: Atlas, 2010.

PEREIRA, Luiz Carlos Bresser. Crise econômica e reforma do Estado no Brasil: para uma nova interpretação da América Latina. 1ª ed. São Paulo: Editora 34, 1996.

PINTO, Marcos Roberto. Contabilidade de custos e sua aplicação nos Municípios brasileiros: um estudo de caso realizado sobre os Municípios fluminenses que formam a região do Médio Paraíba. Revista de Administração Municipal – Municípios – IBAM, Ano 57 – N. 276, p.32-

Jan./Fev./Mar.

RIBAS JUNIOR, Salomão. Corrupção endêmica: os Tribunais de Contas e o combate à corrupção. Florianópolis: Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina; co-edição Autor, 2000.

RONCALIO, Michele Patrícia et al. Adoção de Controle de Custos pelos Municípios Catarinenses, segundo a Lei de Responsabilidade Fiscal. 6º. CONTECSI – São Paulo, SP, Brasil

– 03 a 05 de junho de 2009.

SANTA CATARINA. Constituição do Estado de Santa Catarina. Promulgada em 05 de outubro de 1989 com o texto consolidado até a Emenda Constitucional n. 59/2011.

SANTA CATARINA. Lei Complementar n. 202, de 15 de dezembro de 2000. Institui a Lei Orgânica do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina e adota outras providências.

Secretaria do Tesouro Nacional – Portaria STN n. 406, de 20 de junho de 2011. Aprova partes da 4ª. Edição do Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público (MCASP). Disponível em:

acesso em 30 de junho de 2012.