Memetizando em sala de aula: memes, leitura de imagem e desafios da educação contemporânea

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234616382024e0005

Palavras-chave:

estudos culturais, cultura visual, formação de professores, educação, arte-educação

Resumo

Este artigo tem como objetivo investigar o potencial pedagógico dos memes em contextos escolares e debater sobre os desafios contemporâneo de se ensinar a ler linguagens visuais. Para desenvolvê-lo, elaborou-se uma pesquisa bibliográfica, a partir dos Estudos Culturais e dos Estudos da Cultura Visual, e cujo desenvolvimento foi dividido em dois tópicos. No primeiro, debateu-se sobre as imagens como (trans)formadoras de identidades, inclusive nas salas de aula. No segundo, contextualizamos, histórica e visualmente, a criação dos memes e tematizamos as formas como esse artefato da cultura visual tem sido inserido nas salas de aula, como recurso didático. Nas considerações, refletimos sobre as expectativas e as realidades do acesso à tecnologia nos espaços educacionais contemporâneos articulando pesquisas elaboradas em diferentes momentos históricos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Paulo Baliscei, Universidade Estadual de Maringá

<span>Doutor em Educação (2018) pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Estadual de Maringá com estudos na Facultad de Bellas Artes/ Universitat de Barcelona, Espanha. Mestre em Educação (2014) pela Universidade Estadual de Maringá; Especialista em Arte-Educação (2010) e Educação Especial (2011) pelo Instituto de Estudos Avançados e Pós-Graduação; e Graduado em Artes Visuais pelo Centro Universitário de Maringá (2009). É professor no curso de Artes Visuais na Universidade Estadual de Maringá e coordenador do Grupo de Pesquisa em Arte, Educação e Imagens - ARTEI. Desenvolve pesquisas sobre Educação, Arte/ Ensino de Arte; Estudos Culturais; Estudos da Cultura Visual; Visualidades; Gênero e Masculinidades.

Maria Fernanda Serrilho de Abreu Paulino, Universidade Estadual de Maringá

Graduanda em Artes Visuais, pela Universidade Estadual de Maringá - UEM. Integrante do Grupo de Pesquisa em Arte, Educação e Imagens - ARTEI e realiza pesquisas sobre Educação, Estudos Culturais, Cultura Visual e Memes. Foi bolsista de PIBIC na pesquisa: “Vai virar meme”: A cultura visual contemporânea dos memes em articulação com as (trans)formações identitárias dos sujeitos escolares.

Referências

BAITELLO JÚNIOR, Norval. Podem as imagens devorar os corpos. Sala Preta, v. 7, p. 77-82, 2007.

BORRE, Luciana. As imagens que invadem as salas de aula: Reflexões sobre Cultura Visual. Aparecida, SP: Ideias & Letras, 2010.

CHAGAS, Viktor. Da memética aos estudos sobre memes: uma revisão da literatura concernente ao campo das últimas cinco décadas (1976-2019). In: CHAGAS, Viktor (Org.). A cultura dos memes: aspectos sociológicos e dimensões políticas de um fenômeno do mundo digital, Salvador: EdUFBA, 2020, p. 23-78.

DAVISON, Patrick. A linguagem dos memes de internet: dez anos depois. In: CHAGAS, Viktor (Org.). A cultura dos memes: aspectos sociológicos e dimensões políticas de um fenômeno do mundo digital. Salvador: EdUFBA, 2020, p. 139-155.

DE ABREU, Cíntia Benak. Também com memes se ensina e se aprende história: uma proposta didático-histórica para o Ensino Fundamental II. Palavras ABEHrtas, 2021.

FERREIRA, Helena Maria; VILLARTA-NEDER, Marco Antônio; COE, Geanne dos Santos Cabral. Memes em sala de aula: possibilidades para a leitura das múltiplas semioses. Periferia, v. 11, n. 1, p. 114-139, 2019.

KNOBEL, Michele; LANKSHEAR, Colin. Memes on-line, afinidades e produção cultural. In: CHAGAS, Viktor (Org.). A cultura dos memes: aspectos sociológicos e dimensões políticas de um fenômeno do mundo digital. Salvador: EdUFBA, 2020, p. 85-126.

LEAL, Bruno. Nativos digitais, imigrantes digitais: quinze anos depois. In: BUENO, André. CREMA, Everton. ESTACHESKI, Dulceli (Orgs.). Para um Novo Amanhã: visões sobre aprendizagem histórica. Rio de Janeiro/União da Vitória: Edição LAPHIS/Sobre Ontens, 2016.

MILTNER, Kate. Não há lugar para lulz nos LOLcats”: o papel do gênero midiático, do gênero sexual, e da identidade de grupo na interpretação e no divertimento a partir de um meme de internet. In: CHAGAS, Viktor (Org.). A cultura dos memes: aspectos sociológicos e dimensões políticas de um fenômeno do mundo digital. Salvador: EdUFBA, 2020, p. 367-400.

PRENSKY, Marc. Digital Natives, Digital Immigrants. On the horizon, v. 9, n. 5, p. 1-7, 2001.

SILVA, Tomaz Tadeu da. O projeto educacional moderno: identidade terminal? In: VEIGA-NETO, Alfredo (org.). Crítica Pós-Estruturalista e Educação. Porto Alegre: Sulina, 1995, p. 245-260.

Downloads

Publicado

2024-03-15

Como Citar

BALISCEI, João Paulo; PAULINO, Maria Fernanda Serrilho de Abreu. Memetizando em sala de aula: memes, leitura de imagem e desafios da educação contemporânea. Palíndromo, Florianópolis, v. 16, n. 38, p. 1–22, 2024. DOI: 10.5965/2175234616382024e0005. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/24471. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção temática