O trabalho docente e o trabalho do artista: intersecções entre arte, estética e mercado na contemporaneidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234614322022136

Palavras-chave:

Trabalho docente, Ensino de arte, Estética, Mercado de arte

Resumo

O presente artigo correlaciona arte, estética e mercado, investigando como as transformações nesta relação repercutem no ensino de arte e no trabalho docente. O objetivo é evidenciar as estratégias do capitalismo na construção de consenso, sendo uma destas estratégias o apagamento da especificidade da arte, de modo promover sua indissociabilidade com o trabalho humano. A pesquisa reitera a essência das relações e de produção de mais-valor a partir dos fundamentos do materialismo histórico-dialético e assinala a tomada de consciência teórica como pressuposto para a fruição estética, valorizando o conhecimento artístico como fundamental nas realizações humanas. A abordagem metodológica parte da análise de estudos bibliográficos, evidenciando como o desvelamento da correlação entre os campos implica em ganho interpretativo na leitura da realidade e seus desdobramentos.

Biografia do Autor

Priscila Anversa, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Doutoranda em Artes Visuais pelo PPGAV - UDESC, possui Mestrado em Artes Visuais pelo PPGAV - UDESC (2011) e Licenciatura em Educação Artística - habilitação Artes Plásticas (UDESC, 2009). Atua como professora do Mestrado Profissional em Artes (Prof-Artes/UDESC), como professora de Artes do Ensino Médio em Florianópolis e é voluntária na coordenação do Programa de Residência Pedagógica do Ceart/UDESC. Integra o grupo de pesquisa Arte e Formação nos Processos Políticos Contemporâneos. É membro da equipe editorial da Revista Educação, Artes e Inclusão. Quanto aos temas de ensino e pesquisa, sua ênfase é em ensino das artes visuais, família, formação artística, formação de professores, educação infantil e inclusão. Quanto aos projetos, é integrante do Projeto Extensionista Laboratório Interdisciplinar de Formação de Educadores (LIFE), assim como do Grupo de Pesquisa Observatório da Formação de Professores no âmbito do Ensino de Arte: estudos comparados entre Brasil e Argentina. Desenvolve estudos sobre fotografia no projeto Clube de Fotografia, atuando também na Coordenação Pedagógica do Projeto Família no Museu e na formação continuada de professores de Educação Infantil da Rede Municipal de ensino em Florianópolis no projeto Assessoria Pedagógica. 

Giovana Bianca Darolt Hillesheim, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina

Mestra e Doutora em Artes Visuais pela UDESC- área de concentração: Ensino das Artes Visuais. Membro do grupo de pesquisa Arte e Formação nos Processos Contemporâneos - CNPq/UDESCe do Observatório da Formação de Professores no âmbito do Ensino de Arte: estudos comparados entre Brasil e Argentina - (OFPEA/BRA-ARG). Possui licenciatura em Educação Artística - habilitação em Artes Visuais e especialização em Educação: Leitura, Letramento e Literatura. É professora efetiva do Instituto Federal de Santa Catarinarina IFSC/ Campus Xanxerê e do Mestrado Profissional em Artes (PROFARTES) da UDESC. Desenvolve pesquisa na área de formação de professores de artes visuais. Atualmente estuda as repercussões do mercado de arte na formação de professores.

Referências

ADORNO, T.; HORKHEIMER, M. Dialética do Esclarecimento. Tradução de Guido Antonio de Almeida. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1985.

BARBOSA, L. Igualdade e meritocracia: a política do desempenho nas sociedades modernas. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

DEBORD, G. A Sociedade do Espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

FEITOZA, L. A.; CORNELSEN, J. M.; VALENTE, S. M. P. (2007) – Representação do bom professor na perspectiva dos alunos de arquivologia. Perspectivas em Ciência da Informação. Vol. 12, nº 2, p. 158-167.

JAMESON, F. A cultura do dinheiro: ensaios sobre a globalização. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.

JAMESON, F. A virada cultural: reflexões sobreo pós-moderno. Trad. Carolina Araújo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

KHEL, M. R. Fetichismo. In: BUCCI, Eugênio; KHEL, Maria Rita. Videologias. São Paulo: Boitempo, 2004.

KOSIK, K. A dialética do concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

LIPOVETSKY, G.; SERROY, J. O capitalismo estético na era da globalização, Lisboa: Edições 70, 2014.

MARX, K. Teorias da mais valia: história crítica do pensamento econômico (livro 4 de O capital). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

QUEMIN, A. Les stars de l’art contemporain. Paris: CNRS Editions, 2013.

QUEMIN, A.; VILLAS BÔAS, G. Arte e vida social: pesquisas recentes no Brasil e na França. Marceille: Open Edition Press, 2016.

REIS, R. R. Entre a esperança e a realidade sobre a arte e o seu ensino. Sinais Sociais, v.2 nº5, p. 100-127. Rio de Janeiro, 2007. Disponível em: http://www.sesc.com.br/portal/publicacoes/sesc/revistas/sinaissociais/n5/n5. Acesso em 21 jan. 2020.

REIS, R. R.; REQUIÃO, L. Para uma crítica da educação estética no Brasil. 36ª Reunião Nacional da ANPEd, Goiânia, 2013. Disponível em: http://www.anped.org.br/biblioteca/item/para-uma-critica-da-educacao-estetica-no-brasil.

Acesso em 23 out. 2019.

SILVA, F. C. O Conceito de fetichismo da mercadoria cultural de T. W. Adorno e M. Horkheimer: uma aplicação ao fetichismo marxiano. Revista Kínesis Vol. II, n° 03, p. 375 – 384, Abril-2010.

SHIROMA, E. O.; EVANGELISTA, O. O fantasma ronda o professor: a mística da competência.In: MORAES, Maria Célia Marcondes de (Org.).Iluminismo às avessas: produção de conhecimento e políticas de formação docente. Rio de Janeiro:

DP&A, 2003. p. 81-98.

STALLABRASS, J. Arte de elite em uma era de populismo. Trad. Daniela Kern. Revista-Valise, Porto Alegre, v. 4, n. 7, ano 4, julho de 2014.

VAN DEURSEN. Tudo gourmet. Disponível em: https://super.abril.com.br/ideias/tudo-gourmet/. Acesso em 13 set. 2018.

VÁZQUEZ, A. S. As ideias estéticas de Marx. 3. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

Downloads

Publicado

2022-01-03

Como Citar

ANVERSA, P.; HILLESHEIM, G. B. D. O trabalho docente e o trabalho do artista: intersecções entre arte, estética e mercado na contemporaneidade. Palíndromo, Florianópolis, v. 14, n. 32, p. 136-152, 2022. DOI: 10.5965/2175234614322022136. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/21025. Acesso em: 25 jan. 2022.