Fricções e aproximações do ensino da arte na educação infantil: formação docente e arte contemporânea

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234614322022238

Palavras-chave:

Formação de professoras/es, Educação infantil, Ensino de arte, Arte contemporânea

Resumo

O artigo analisa, a partir da perspectiva histórico-cultural, questões pertinentes à formação inicial das/os professoras/es do Curso de Licenciatura em Artes Visuais – Integral (versão 2006), da Universidade Federal do Espírito Santo – UFES, e como essa formação reverbera nos modos de ensinar arte contemporânea na Educação Infantil que, em tempos de avanços tecnológicos significativos, tem redimensionado a forma das crianças produzirem e consumirem arte. Para tanto, realiza um estudo de caso a partir de entrevistas e diálogos com professoras desse segmento da educação básica. Fundamenta-se em Vigotski (2007) para abordar a perspectiva histórico-cultural no campo da psicologia, em Bakhtin (2010)), no campo da linguagem, e em Benjamin (2007) para pensar a criança. No campo do ensino da arte, apoia-se em Barbosa (2005) e em Cocchiarale (2006) e, para a formação de professores, em Fonseca da Silva (2019), em Foerste e Camargo (2019) e em Nóvoa (2009). Finaliza propondo uma aproximação entre a formação de professoras/es e a arte contemporânea, apresentando propostas educativas a partir de um ensino contemporâneo da arte para crianças pequenas.

Biografia do Autor

Margarete Sacht Góes, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Professora da Universidade Federal do Espírito Santo, no Centro de Educação. Integrante do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Alfabetização Leitura e Escrita do Espírito Santo(Nepales/Ufes). Vice-Coordenadora do Núcleo de Artes Visuais e Educação do Espírito Santo (Navees/Ufes).  Doutora em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo, na linha de pesquisa Educação e Linguagens.

Angélica Vago Soares, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Graduada em Educação Artística pela Universidade Federal do Espírito Santo (2004) e em Pedagogia. Mestre e Doutora em Educação na área de Linguagens Verbal e Visual (UFES), orientada pela professora Gerda Margit Schütz-Foerste na (PPGE-UFES). Participa dos Grupos de Pesquisa: Imagens, Tecnologias e Infâncias (PPGE-UFES) e do Núcleo de Pesquisa, Ensino e Extensão em Experiência do Sensível (NUPEEES-UFBA). Professora do Ensino Superior, da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), no Centro de Educação - Departamento de Cultura, Linguagens e Educação.

Referências

BARBOSA, A. M. Uma introdução à Arte/Educação contemporânea. BARBOSA, A. M. In: Arte/educação contemporânea: consonâncias internacionais. São Paulo: Cortez, 2005.

BAKHTIN, M. Problemas da poética de Dostoiévski. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

BENJAMIN, W. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação, 34. ed. São Paulo: Duas Cidades, 2007.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC, 2017). Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf. Acesso em 24 de

julho de 2017, às 16h. p. 31-51.

BRASIL. Resolução CNE/CP 2/2019. Diário Oficial da União, Brasília, 15 de abril de 2020, Seção 1, pp. 46-49.

COCCHIARALE, F. Quem tem medo da arte contemporânea. Recife: Massangana, 2006.

COCCHIARALE, F. O espaço da arte contemporânea. 2009. Disponível em: https://pt.scribd.com/doc/13092951/O-espaco-da-arte-contemporanea-FernandoCocchiarale. Acesso em: 25 Agosto 2021.

FOERSTE, G. M. S.; CAMARGO, F. M. B. A formação de professores no estado do Espírito Santo: mediações na licenciatura em artes visuais. Revista Espaço do Currículo (online). João Pessoa, v.12, n.3, p. 304-321, set/dez. 2019.

FONSECA DA SILVA, M. C. Políticas e currículo na licenciatura em artes visuais: pesquisas do Observatório da Formação de Professores no âmbito do Ensino de Arte (OFPEA/BRARG). Revista Espaço do Currículo (online), João Pessoa, v.12, n.3,

p. 233-251, set/dez. 2019.

GÓES. M. S. Rupturas e resistências para um ensino contemporâneo da arte. Anais do VII Colóquio de arte e pesquisa dos alunos do Programa de Pós-graduação em artes da Universidade Federal do Espírito Santo - COLARTES: há um lugar

para a arte? Centro de Artes – UFES | Vitória/ES, 2019.

NÓVOA, A. Professores: Imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009.

ROCHA, J. Ensino (contemporâneo) da arte contemporânea – Similitudes e enfrentamentos entre metodologia e conteúdo. In: Anais do 27º Encontro da Associação Nacional dos Pesquisadores em Artes plásticas. São Paulo, 2018. Disponível em: http://anpap.org.br/anais/2018/content/PDF/27encontroROCHA_Julia.pdf. Acesso em: 01 de abr. 2021.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

Downloads

Publicado

2022-01-03

Como Citar

GÓES, M. S.; SOARES, M. A. V. Fricções e aproximações do ensino da arte na educação infantil: formação docente e arte contemporânea. Palíndromo, Florianópolis, v. 14, n. 32, p. 238-255, 2022. DOI: 10.5965/2175234614322022238. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/20935. Acesso em: 25 jan. 2022.