Ensino remoto na Universidade Federal do Pará: condições de estudo no campus universitário do Marajó-Breves

Autores

  • André Rodrigues Guimarães
  • Cleide Carvalho de Matos
  • Maria da Conceição Rosa Cabral

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984723822492021050

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar as condições de estudo no âmbito do Ensino Remoto Emergencial no Campus Universitário Marajó-Breves, da Universidade Federal do Pará. Trata-se de pesquisa com abordagem quali-quantitativa que envolveu análise documental e aplicação de questionário on-line. Evidencia-se como a adoção do ensino remoto, no contexto da pandemia de Covid-19, impulsionada por ações do governo federal, atende aos interesses hegemônicos do capital, com consequências negativas para a educação pública. No caso da Universidade Federal do Pará, particularmente no Campus Universitário Marajó-Breves, o processo de implementação do ensino remoto não foi acompanhado da garantia das condições necessárias para a participação de toda comunidade estudantil. Grande parcela dos estudantes não possuía sequer equipamentos e acesso à internet adequados, utilizando-se predominantemente de aparelho celular e conexão de dados móveis para participar das atividades letivas remotas. Em suma, o ensino remoto, para além de favorecer interesses privado-mercantis, implica na precarização da educação pública e na ampliação da exclusão educacional.

Downloads

Publicado

2021-07-21

Como Citar

GUIMARÃES, A. R.; MATOS, C. C. de; CABRAL, M. da C. R. Ensino remoto na Universidade Federal do Pará: condições de estudo no campus universitário do Marajó-Breves. Revista Linhas, Florianópolis, v. 22, n. 49, p. 50 - 81, 2021. DOI: 10.5965/1984723822492021050. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/linhas/article/view/20675. Acesso em: 18 set. 2021.