Reflexões sobre artesanato e divisão de trabalho na produção de vestuário

Autores

  • Manuela Beatriz Pedrosa Correia Universidade Federal de Pernambuco
  • Virginia Pereira Cavalcanti Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.5965/25944630532021052

Palavras-chave:

Produção de vestuário, Artesanato, Divisão do trabalho

Resumo

O fazer manual do artesão possui em si princípios, valores e características singulares que o distinguem do fazer ligado à lógica industrial. A maior dessas características é a integração entre mão e mente, apesar de, historicamente, ter sido entendida como dicotômica, ao considerar que existia uma separação entre o trabalho manual do artesão e seu trabalho intelectual. Tal lógica, fundamentada na divisão moderna do trabalho, é passível de observação também no campo da moda, em que, frequentemente, o trabalho de design e a execução são separados, nos processos, estruturas e formatos. Este artigo tem como objetivo descrever reflexões conceituais preliminares sobre a relação entre artesanato e divisão de trabalho no processo de criação e produção de vestuário de moda autoral. Com uma abordagem metodológica qualitativa, de caráter exploratório, adota a pesquisa bibliográfica como procedimento para analisar e relacionar os fundamentos teóricos.

Biografia do Autor

Manuela Beatriz Pedrosa Correia, Universidade Federal de Pernambuco

http://lattes.cnpq.br/6089589660283507

Bacharel em Design pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2017. Bolsista pelo Ciência Sem Fronteiras na Washington University in St. Louis, de 2015 a 2016. Atualmente é mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Design da Universidade Federal de Pernambuco. Já atuou em projetos junto a órgãos de fomento ao artesanato.

 

Virginia Pereira Cavalcanti, Universidade Federal de Pernambuco

ID Lattes: 2292931009490444

Designer de Produto pela Universidade Federal de Pernambuco. Mestre e doutora em Estruturas Ambientais e Urbanas pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, em 2001. Em 2002 recebeu o diploma Museu da Casa Brasileira na categoria ensaios críticos com sua tese, O Design do Móvel Brasileiro Contemporâneo: da diversidade à especificidade. Professora do Departamento de Design desde 1993, atualmente é coordenadora e membro do programa de Pós-Graduação em Design da UFPE (mestrado e doutorado). Líder do grupo de pesquisa e coordenadora do Laboratório de Design O Imaginário: Design, Tecnologia e Cultura, credenciado pelo CNPq. A frente do Laboratório recebeu diversos prêmios, entre eles o IDEA Brasil na categoria pesquisa. Atua tanto na prática de projeto quanto na pesquisa em design. Desenvolve pesquisas que estudam a relação entre design e cultura material, design e humanidades, design e sustentabilidade, design e inovação social.

Referências

BORGES, A. Design+Craft: The Brazilian Path. São Paulo: Editora Terceiro Nome, 2011.

BRASIL. Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços; Secretaria Especial da Micro e Pequena Empresa. Portaria Nº 1.007-SEI, de 11 de junho de 2018. Institui o Programa do Artesanato Brasileiro, cria a Comissão Nacional do Artesanato e dispõe sobre a base conceitual do artesanato brasileiro. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 01 ago. 2018. p. 34.

CALANCA, D. História Social da Moda. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2008.

CHRISTO, D. C.; SABRÁ, Flávio. A desmistificação do processo criativo de produtos da cadeia têxtil e de confecção. In: [s.l.: s.n.], 2017.

CONTINO, J. M.; CIPINIUK, A. Ideologia, divisão capitalista do trabalho e papel social do designer:um estudo sobre a produção de materialidade no design de moda. ModaPalavra, v. 10, n. 19, p. 040–053, 2016.

FLETCHER, K; GROSE, L. Moda & sustentabilidade: Design para mudança. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2011.

FORTY, Adrian. Objetos de desejo: design e sociedade desde 1750. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

GODART, F. Sociologia da Moda. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2010.

GRANDE, Márcia Mazzeo; PADILHA, Valquíria; PAIN, Bruno Ferrari; et al. Da Tradição à Modernidade: O Savoir-faire do Mestre de Ofício na Produção da Cerveja e da Cachaça Artesanais. Revista Interdisciplinar de Gestão Social, v. 1, n. 3, p. 25–48, 2012.

LIMA, R. G. Objetos: percursos e escritas culturais. São José dos Campos: Centro de Estudos da Cultura Popular; Fundação Cultural Cassiano Ricardo, 2010.

MILLS, C. W. Sobre o artesanato intelectual e outros ensaios. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2009.

SEBRAE. Atuação do Sistema Sebrae no Artesanato. Sebrae, 2010.

SENNETT, R. O Artífice. Rio de Janeiro: Record, 2009.

SENNETT, R. Palestra proferida no Museum für angewandte Kunst, Vienna, 2016. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=nIq4w9brxTk Acesso em: 1 set. 2020.

SOHN, A. P. L.; LASTE, L. N. B.; RIOS, M. A. T. Design autoral: um estudo na região do Vale do Itajaí. In: e-Revista LOGO, v. 6, n. 3, UFSC, 2017. Disponível em: http://incubadora.periodicos.ufsc.br/index.php/eRevistaLOGO/article/view/4922. Acesso em: 25 out. 2020.

Downloads

Publicado

2021-09-08

Como Citar

MANUELA BEATRIZ PEDROSA CORREIA; VIRGINIA PEREIRA CAVALCANTI. Reflexões sobre artesanato e divisão de trabalho na produção de vestuário. Revista de Ensino em Artes, Moda e Design, Florianópolis, v. 5, n. 3, p. 52 - 65, 2021. DOI: 10.5965/25944630532021052. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/20127. Acesso em: 18 set. 2021.