https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/issue/feed Revista de Ensino em Artes, Moda e Design 2021-02-01T00:00:00-03:00 Mara Rúbia Sant'Anna modaesociedade@gmail.com Open Journal Systems <p style="margin: 0cm; margin-bottom: .0001pt;">Periódico de iniciativa interinstitucional de programas de pós-graduação da Udesc, UFC, UFRPE e UFPE e da ABEPEM. Publica discussões do ensino no âmbito das Artes, da Moda e do Design, especificamente nas questões da formação e ensino superior destas áreas de conhecimento.</p> <p style="margin: 0cm; margin-bottom: .0001pt;"><strong>Periodicidade</strong>: quadrimestral</p> <p style="margin: 0cm; margin-bottom: .0001pt;"><strong>Ano de criação</strong>: 2017</p> <p style="margin: 0cm; margin-bottom: .0001pt;"> </p> https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/19476 Dossiê 8. Práticas internacionais na construção de práticas docentes 2021-01-22T22:17:17-03:00 Marcelo Machado Martins machadomartins@yahoo.com.br Ana Claudia Mei Alves de Oliveira anaclaudiamei@hotmail.com <p>Texto de apresentação dos trabalhos do Dossiê 8. </p> <p> </p> 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Marcelo Machado Martins, Ana Claudia Mei Alves de OLIVEIRA https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/18020 Um olhar sobre formas e composições no design de interiores sob a ótica da arte 2020-08-30T15:31:00-03:00 Ana Beatriz Alonso de Oliveira arq.anabeatrizalonso@gmail.com Luciene Contiero Felipe luciene.toysvilla@gmail.com Marcus Vinicius Pereira mvpereira@anhembi.br <p>Este artigo objetiva comunicar uma monografia de pós-graduação. Trata- se de uma análise do livro “Universos da Arte” da Fayga Ostrower e sua relação com o design de interiores. Para tanto, utilizou-se como base o experimento mostrado no livro, onde a autora aborda sobre as aulas que ministrou para operários de fábrica sobre conceitos de composição e forma com o objetivo de auxiliá-los a compreender obras de arte. No primeiro momento da pesquisa contextualiza-se como foi feito este experimento e quais são esses conceitos, para em seguida demonstrar sua aplicabilidade no design de interiores. Esta pode ser observada através da análise feita entre a correlação dos projetos da arquiteta e designer Patricia Urquiola com a aplicação sob a ótica central do tema.</p> 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Ana Beatriz Alonso de Oliveira, Luciene Contiero Felipe, Marcus Vinicius Pereira https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/18608 Arte e moda 2020-09-20T00:15:58-03:00 Ediel Andrade Moura edielbdamoura@gmail.com <p>Partindo da compreensão da Abordagem Triangular como caminho para elaboração de mundos por meio de interpretações de imagens, objetos artísticos e contextos, serão apresentados neste artigo alguns procedimentos arte/educativos desenvolvidos durante o curso de férias da Escolinha de Arte do Recife (EAR) no ano de 2020. A fim de registrar como a instituição vem atuando, primeiramente faremos uma breve contextualização histórica do surgimento da instituição e de suas perspectivas pedagógicas na contemporaneidade, para em seguida observarmos a atividade artística de estamparia com materiais alternativos. Apresentaremos como ocorreu o processo de formação estética e ética de crianças na EAR, como elas ampliaram suas percepções sobre as temáticas: Sustentabilidade, desigualdade social e Cultura local. No final, como será visto, guiado pelas técnicas de estamparia utilizadas por alguns artistas, o arte/educador promoveu experiências artísticas que prepararam previamente as crianças para a experiência do encontro presencial com a artista Iza do Amparo.</p> 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 EDIEL ANDRADE MOURA https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/18311 Subversão em performance na escola pública e diálogos com as políticas culturais 2020-09-24T12:15:21-03:00 Thiago Camacho Teixeira thiagocamacho@usp.br Neste artigo, busquei relações entre a subversão em artes, na transgressão como elemento da performance, com aspectos das economias locais em cultura, no espaço da escola pública, onde sou professor. No percurso de meu doutorado, construo paralelos com alguns conceitos de política cultural no sistema econômico e político vigente, chamando a atenção crítica para a arte formatada nos ambientes de educação apenas como um produto restrito a dissimular ausências e carências, a falta de acesso às ampliações de percepções estéticas, que evocam para mim um embate contra a simples reprodutibilidade de sistemas artísticos. Benhamou, no texto A economia da cultura, fala em política cultural e pública de forma que estas possam construir pontes entre a arte, tomada como uma imanência completa e total do indivíduo e sua idiossincrasia – utopias pessoais, realidades internas, ontológicas e subjetivas –, e o sistema do qual o mercado faz parte, com seus efeitos monopolistas. Desse modo, podemos mostrar um pouco sobre como estabelecer essas relações entre arte crítica subversiva, de confronto ideológico, moral, institucional, burocrático, com as políticas culturais que podem revitalizar espaços, gerar economias locais, sociais, e a geração de receitas em contato com o aspecto de mercado, sem que este absorva totalmente o ato criativo, transformandoo num produto sem história, sem vida, “sem alma”, a não ser que esse seja o objetivo da produção artística em questão. 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Thiago Camacho Teixeira https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/19470 Ensino da Arte 2021-01-22T17:27:09-03:00 Anamelia Buoro anameliab@gmail.com <p>Este artigo apresenta algumas reflexões sobre o ensino de arte, pautando-as no processo construção de materiais didáticos e paradidáticos que foram concebidos a partir da teoria semiótica de linha francesa – individualmente ou de modo coletivo pela autora. A partir da conjectura das duas disciplinas, arte e semiótica, foram estabelecidos parâmetros para a produção dos referidos materiais, sempre com o objetivo de propor um aprofundamento na compreensão da arte, por parte dos alunos, bem como ampliar o modo de aprender e ensinar arte, por parte dos professores. Assim, a leitura de imagem orientada pelo arcabouço teórico e metodológico da semiótica francesa, conforme será apresentada no artigo, foi o ponto de partida para a produção dos materiais discutidos neste trabalho: arte br, a coleção O leitor de imagens, Eco Arte, Todo passado dentro do presente e o Arte na Escola.</p> 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Anamelia Buoro https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/18031 O editorial de moda a partir da arte relacional 2020-08-30T16:28:00-03:00 Vanilson Luis de Melo Coimbra vcoimbra@officeim.com.br Jose Ronaldo Mathias jrmathiasbr@yahoo.com.br <div class="page" title="Page 1"><div class="layoutArea"><div class="column"><p><span>A pesquisa estuda o editorial de moda como narrativa fotográfica e analisa os conceitos de arte relacional, comparando no tempo o posicionamento e a liberdade criativa das editorias de moda com os seus colaboradores. Cada vez mais a arte vem construindo um campo que valoriza a imagem como o lugar das experiências, no qual o espectador é convidado a ser participante da obra e a assumir a mesma importância do artista. A obra só é completa com o fruto dessa relação. Os autores estudados são Nicolas Bourriaud, Anne Cauquelin e Vilém Flusser. Faz uso da pesquisa descritiva com foco nos editoriais de moda, onde observa-se a relação das editorias, dos colaboradores e de seus espectadores. Por fim, busca-se compreender de que maneira um editorial de moda, fruto do diálogo entre a inspiração e as relações compartilhadas durante o processo artístico, pode ser considerado uma forma relacional. </span></p></div></div></div> 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 vanilson luis de melo coimbra https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/18162 Moda e consumo periférico 2020-08-30T18:57:34-03:00 Danilo Souza Moura mouradanilos82@gmail.com Anderson Gurgel Campos andersongurgel@hotmail.com <p>Este estudo analisa como a moda está atrelada à construção de identidade social e cultural nas periferias de São Paulo. Para isso, foi realizada uma revisão bibliográfica sobre sociedade, consumo e moda que permitiu definir como nosso objeto de pesquisa a instituição social Periferia Inventando Moda que, com ações educacionais e sociais, desenvolve importante papel junto ao comportamento de moda do jovem periférico. Ao analisar a atuação dessa entidade foi possível entender com mais clareza o consumo, mas também a produção de moda e sua relação com a promoção do sentido de pertencimento e ressignificação de um espaço geográfico reconhecido pela pobreza e falta de oportunidades. </p> <p> </p> 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Danilo Souza Moura, Anderson Gurgel Campos https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/18924 A moda como dispositivo da memória no espaço museológico 2020-10-22T21:28:38-03:00 Diêgo Jorge Lobato Ferreira diego.ferreira@ifma.edu.br Priscila Almeida Cunha Arantes priscila.a.c.arantes@gmail.com <p> O presente artigo tem por objetivo estabelecer relações entre moda, memória e museu, tendo em vista a compreensão do fenômeno da moda que sai do lugar comum e adentra os espaços museológicos. Assim, dedicamo-nos, também a examinar como a moda e o museu, enquanto campos de produção cultural, se estruturam. O referencial teórico compreende os seguintes autores: Le Goof (2013), Nora (1993), Crane (2008), Lipovetsky (2009), Sant'Anna (2010), Norogrando (2015), Andrade (2008). Este trabalho foi desenvolvido a partir do resultado de pesquisa exploratória adotando as seguintes etapas metodológicas: revisão de literatura, pesquisa documental e estudos de caso que pautaram as análises e sínteses apresentadas.</p> 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 DIÊGO JORGE LOBATO FERREIRA, Priscila Arantes https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/19104 Turbante e identidade negra 2021-01-06T16:40:52-03:00 Isaac Matheus Batista isaacmsbatista@gmail.com <p>O presente artigo teve como objetivo compreender a participação do vestuário na construção da identidade negra/africana na contemporaneidade. Para tal, utilizamos a semiótica discursiva, que foi aplicada a um post do Facebook de uma mulher negra, no qual ela usava o turbante e falava sobre ele. A análise efetuada nos permitiu compreender que o uso do turbante implica uma questão identitária, na qual a construção da identidade negra/africana se dá numa oposição à identidade branca/europeia, e ocorre dentro de uma narrativa em que, no presente, repete-se performaticamente uma prática vestimentária considerada originada pela ancestralidade africana. O uso do turbante apresenta-se, no post, como uma forma de conceder uma valorização eufórica à identidade negra/africana. De modo geral, o discurso constrói um tema de libertação, pois o uso do turbante enquanto algo eufórico se manifesta como uma maneira de se libertar do padrão de beleza e da visão de mundo eurocêntrica que constrói o turbante como símbolo do outro e manipula os negros e negras a erradicarem-no do uso cotidiano em prol de uma tentativa de entrar em conjunção com a alteridade branca/europeia.</p> 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Isaac Matheus Batista https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/18713 A experiência docente de Mário de Andrade no Instituto de Artes da Universidade do Distrito Federal ― RJ (1938-1939) 2020-10-19T18:55:07-03:00 José Roberto Pereira Peres jose.roberto.peres@gmail.com <p class="western" align="justify"><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, sans-serif;">Este artigo traz uma reflexão sobre a experiência docente de Mário de Andrade, quando o renomado poeta assumiu a cadeira de Filosofia e História da Arte no Instituto de Artes da Universidade do Distrito Federal (RJ) ― IA/UDF. A referida universidade foi criada por Anísio Teixeira em 1935 na Cidade do Rio de Janeiro, à época Capital Federal. A UDF era uma instituição diferenciada porque tinha como carro chefe a formação de professores para diferentes áreas do conhecimento. Muitos foram os embates enfrentados por esta instituição que teve curta existência (1935 a 1939). Nessa instituição, além de Mário de Andrade, também atuaram como professores figuras eminentes da arte modernista brasileira. Dessa forma, o objetivo central desta pesquisa é compreender quais foram as contribuições de Mário de Andrade como professor no Instituto de Artes da UDF para formação de professores de Artes (Desenho e Pintura) da referida instituição. O referencial teórico que norteia as reflexões desta pesquisa baseia-se nos trabalhos dos seguintes autoras: Bomeny (2012), Coutinho (2002), Lopes (2006, 2009) e Mendonça (2002). A metodologia consistiu-se em análise documental dos acervos das seguintes instituições: Programa de Estudos e Documentação Educação e Sociedade da UFRJ; Projeto Portinari da PUC-Rio e Hemeroteca Digital da Biblioteca Nacional. A análise das fontes permitiu confirmar o caráter modernista do ensino do Instituto de Artes da UDF, além de que Mário de Andrade intencionava despertar em seus alunos uma consciência artística a partir do desenvolvimento de uma técnica pessoal, sem limitar o artista a padrões estabelecidos rigidamente. </span></span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-family: Arial, sans-serif;"><strong>Palavras-chaves: </strong></span><span style="font-family: Arial, sans-serif;">Mário de Andrade; Formação de professores; Arte Moderna. </span></p> 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 José Roberto Pereira Peres https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/18783 Interação professor e aluno em tempos de pandemia 2020-12-22T19:30:20-03:00 Gisely Andressa Pires giselypires@utfpr.edu.br Lívia Marsari Pereira liviamarsari@utfpr.edu.br Raquel Rabelo Andrade raquelandrade@utfpr.edu.br <p>Em razão da pandemia causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) e sua rápida dispersão geográfica responsável pela propagação da doença COVID-19, a adoção de estratégias de prevenção e contenção de riscos foram estabelecidas. O distanciamento social foi uma dessas medidas, que resultou em grandes impactos no sistema educacional, ocasionando a suspenção das aulas presenciais por período indeterminado. Considerando esse cenário, as instituições e os docentes buscaram estratégias de atividades educacionais remotas como uma alternativa para manter os alunos ativos e próximos. Esse estudo contextualiza o Ensino Remoto Emergencial e analisa as práticas didáticas, bem como os resultados de um curso livre online sobre ilustração de moda criativa. O tipo de pesquisa utilizada foi a descritiva, e como método de coleta de dados, o estudo de caso. Os resultados expõem a experiência com o ensino remoto, procedimentos, recursos e os conteúdos que compuseram o curso.</p> 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Gisely Andressa Pires, Lívia Marsari Pereira, Raquel Rabelo Andrade https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/19480 Educação, semiótica e o espírito do tempo 2021-01-24T19:38:45-03:00 Fabiane Marroni fabianemarroni@gmail.com João Batista Ciaco jciaco@uol.com.br <p>Este artigo tem por objetivo compreender e analisar, de forma breve, os desafios enfrentados pela educação no Brasil neste atual momento pandêmico. A proposta é trabalhar caminhos metodológicos que possam endereçar tais desafios frente às questões tecnológicas que a educação, em ambientes digitais, cria e estabelece, tanto para os professores quanto para os alunos e, eventualmente, suas famílias. As novas formas de interação, professor-aluno-tecnologia, devem seguir em direção a uma metodologia minimamente consistente para enfrentar as adversidades oriundas do <em>espírito do tempo, </em>com reflexos, também, na educação tecnológica superior. Assim pensando, estabeleceu-se, como base, o diálogo entre a <em>Pedagogia da Autonomia</em>, do educador Paulo Freire, defensor de uma pedagogia fundada na ética, no respeito, na dignidade e na autonomia do educando, e os regimes de interação – e mesmo de sentido – da sociossemiótica de Eric Landowski, procurando compreender as novas práticas do ensino que se estabelecem, às vezes, na presença mediada de professor e aluno, outras em presenças virtualizadas, de maneira assíncrona, em um caminho que, neste instante, coloca-se como necessário. Assim, torna-se imprescindível promover ações de inclusão social para a transformação e respeito pela coletividade, neste momento singular. Com essa finalidade, surgiu o Instituto <strong>OFÉ</strong>, criado para proporcionar educação profissional tecnológica superior, alicerçada na inovação e na justiça social, de forma a promover o desenvolvimento local e regional por meio de metodologia humana, sensível e acolhedora, valorizando o percurso do sujeito a partir de um ensino híbrido com acolhimento, que será apresentado neste trabalho.</p> 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Fabiane Marroni Marroni https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/19477 Expediente 2021-01-23T00:17:46-03:00 Ivis Aguiar Souza ivis.souza@ufv.br 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 IVIS AGUIAR SOUZA https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/18634 A semiótica de Greimas na pesquisa brasileira em Design e Moda 2020-10-06T21:40:30-03:00 Marc Barreto Bogo marcbbogo@gmail.com Mariana Braga Clemente maribraga.c@gmail.com <p>A Semiótica de linha francesa desenvolvida por A. J. Greimas e seus colaboradores tem como um de seus princípios colocar-se a serviço das outras ciências sociais e humanas. O objetivo deste trabalho é realizar um levantamento e entender como a arquitetura conceitual da teoria semiótica de Greimas é usada nas pesquisas das áreas de Design e Moda no Brasil. Nosso <em>corpus</em> de pesquisa são as teses e dissertações defendidas até o ano de 2019 em 25 programas de pós-graduação dessas áreas, filtradas segundo o uso ou menção de autores do campo da teoria semiótica francesa. O problema foi compreender se e como a Semiótica de Greimas apresenta-se em interdisciplinaridade com as pesquisas desenvolvidas nos programas de pós-graduação em Design e Moda brasileiros. De um universo total de 2.854 teses e dissertações disponíveis nos bancos de dados online, encontramos 90 trabalhos que fazem uso da Semiótica de Greimas. Partindo da oposição entre os modos do fazer científico por triagem ou por mistura, identificamos nos resultados localizados uma tipologia das relações entre disciplinas, que podem se dar tanto como operações de separação ou de comparação (lógicas de triagem), quanto como operações de combinação ou de indiferenciação (lógicas de mistura). No geral, encontramos uma quantidade maior de trabalhos pertencentes à lógica da mistura do que à lógica da triagem, o que evidencia a própria natureza interdisciplinar das áreas de Design, Moda e Semiótica.</p> 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Marc Barreto Bogo, Mariana Braga Clemente https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/18758 Design de moda 2021-01-11T22:31:12-03:00 Luciana Chen luciana.chen@gmail.com <p>Esse artigo se debruça sobre os regimes de interação nas disciplinas voltadas às produções visuais, verbo-visuais e audiovisuais no curso de Design de Moda do Centro Universitário Senac – Santo Amaro. Investiga como os regimes de interação por acidente e por ajustamento podem contribuir para o ensino. Ao adentrar no campo da educação, nos conduzimos para uma orientação construtivista, que promove a aproximação de conteúdos às realidades dos estudantes e, posicionamentos críticos e de ruptura. Para tal, recorremos a conceitos tais como: presença, identidade/alteridade, existência, acaso, potencialidade. As reflexões são alicerçadas na semiótica discursiva desenvolvida por Algirdas Julien Greimas e desdobradas por Eric Landowski e Ana Claudia Mei Alves de Oliveira e, nos educadores Paulo Freire e Fayga Ostrower. A investigação aponta: os regimes de interação que se dão no ensino do recorte proposto, podem se estender a outras disciplinas e cursos; o ensino de cunho construtivista propicia o surgimento de trabalhos inovadores, enquanto o ensino autoritário favorece a cópia de trabalhos, estando atrelado à tradição; a necessidade de docentes conjugarem o inteligível e o sensível para que o ensino e o aprendizado sejam significativos.</p> 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Luciana Chen https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/18958 (Re) Designing fashion contextual studies: 2021-01-19T19:26:43-03:00 Marilia Jardim mariliabombomjardim@gmail.com <p>The article presents the case for pedagogical approaches in Arts and Design Higher Education that are not informed exclusively by Pedagogy, but growing around Socio-semiotics which ceases to be a theory of critical analysis, to become a tool explored in its generative potential to construct, in reverse, practices that will be put into discourse. From programme design to the delivery of face to face and online sessions with students, the programme constituting the main case of this work was idealised, designed, and delivered utilising the principles of Greimas’ semiotics (1986, 1987, 2002; GREIMAS &amp; COURTÉS, 1993) concerning the analysis of discourses, and the theories of interactions developed by Landowski (2004, 2005, 2009, 2010) and Oliveira (2002, 2013). The bridge created between those theories and Freire’s (1970) Critical Pedagogy permitted to explore different modes of presence in the classroom, which transformed the roles of tutor and student, as well as the contents of the course. Seeing Higher Education beyond economic exchanges welcomed the construction of an attitude toward knowledge that surpasses the idea of “skill transfer”, cultivating adjustments which aim at the union between different subjects, resulting in the teaching of theory reaching beyond the writing of essays and becoming an integral part in the making of design. Through the transformations of interactions between the tutor, students, and the course contents, the model presented in the article invites a reflection on the importance of semiotic concepts in the process of constructing educational practices that “make sense”.</p> <p> </p> 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Marilia Jardim https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/18867 La costruzione dell’identità attraverso il fashion portfolio 2020-11-05T21:28:33-03:00 Paolo Franzo paolofranzo@iuav.it <p class="p1"><em>Nel sistema della moda il portfolio è uno strumento essenziale, richiesto a ogni candidatura, presentato a ogni colloquio e spesso è l'unico elemento a disposizione dei valutatori per la selezione tra diversi soggetti. Tuttavia la riflessione teorica sviluppata in ambito accademico intorno a questo oggetto è ancora molto limitata e questo contributo mira a colmare almeno in parte la lacuna.<br />L'articolo presenta i risultati di una ricerca sul campo condotta in tre scuole di moda internazionali - Politecnico di Milano (Italia), Università Iuav di Venezia (Italia) e Escola d'Art i Superior de Disseny di Alcoi (Spagna) - per indagare il portfolio di moda come strumento di costruzione dell'identità del suo autore. Il contributo descrive e analizza nelle sue diverse fasi un workshop che è stato progettato e realizzato con l'obiettivo di simulare una parte del processo di realizzazione del portfolio e di effettuare una indagine esplorativa, documentando le considerazioni degli studenti, la loro percezione di questo strumento, le problematiche incontrate, le modalità di realizzazione, l'influenza del contesto e il rapporto con l'identità dell’autore.</em></p> 2021-02-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Paolo Franzo