Proposição metodológica de análise de indumentárias como fontes

Autores

  • Thais Dyck dos Santos Lima Universidade Federal do Paraná
  • Ronaldo de Oliveira Corrêa Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5965/25944630532021320

Palavras-chave:

Análise de artefato, Objeto-como-memória., Indumentária

Resumo

Este artigo trata da temática dos objetos-como-memória, em especial as roupas, enquanto
agenciadores de relações sociais, e objetiva apresentar um procedimento metodológico
de análise de indumentárias. As abordagens aqui contempladas partem do exemplo de um
casaco confeccionado na década de 1950, a fim de discutir questões acerca de memória,
roupa e cultura material. São descritas ferramentas de análise do artefato, bem como de
anúncios publicados em revistas voltadas ao público feminino da época em que esse foi
confeccionado, considerando o protagonismo que os aspectos materiais das roupas podem
ter em pesquisas nos campos da moda, design e cultura. O foco do texto consiste, portanto,
na compreensão das indumentárias como documento, apresentando ao leitor os processos
metodológicos de análise para esse fim.

 

Biografia do Autor

Thais Dyck dos Santos Lima, Universidade Federal do Paraná

Mestranda em Design pela Universidade Federal do Paraná e com especialização em Produção de Moda e Styling pela Universidade Positivo (UP). Possui graduação em Bacharelado em Design pela UTFPR, com habilitação em design gráfico e produto (2015). 

Ronaldo de Oliveira Corrêa, Universidade Federal do Paraná

Mestre pelo PPGTE/UTFPR (2003) e Doutor pelo PPGICH/UFSC (2008). Fez estágio de pós-doutorado CAPES no PPGAS/UFRGS (jul de 2012 a jul de 2013) e atualmente é professor na Universidade Federal do Paraná UFPR, onde atua na graduação e pós-graduação.

Referências

ALBERTI, V. Manual de História Oral. 2a Ed. Brasil: Editora FGV. 2004.

APPADURAI, Arjun. Introdução: Mercadorias e política de valor. In: A vida social

das coisas: as mercadorias sob uma perspectiva cultural. Niterói: EDUFF, 2008.

ELLWANGER, D.; NIEMEYER, L. Metodologia e Técnicas para Análise de Artefatos e Narrativas. DATJournal, v.4, p. 20-40, 2019.

FORTY, Adrian. Objetos de desejo: design e sociedade desde 1750. São Paulo:

Cosac Naify, 2007.

JONES, Andrew. Memory and Material Culture. Cambridge: Cambridge University Press, 2007.

MENDES, Mariuze Dunajski. Cultura material e design: trajetórias sociais de artefatos em contextos materiais e culturais de produção, circulação e consumo. In: Design & cultura material. Curitiba: Editora da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, 2005. pp. 15-33.

MILLER, Daniel. Artefacts and the meaning of things. In: Companion encyclopedia of anthropology. Routledge: London, p. 396–419, 1994.

MILLER, Daniel. Introduction. In: Clothing as Material Culture. Oxford: Berg, 2005. pp. 1-19.

MILLER, Daniel. Trecos, troços e coisas: estudos antropológicos sobre cultura material. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

O’CONNOR, Kaori. The Other Half: The Material Culture of New Fibres. In: Clothing

as Material Culture. Oxford: Berg, 2005. pp. 41-59.

ROCHEDO, Aline. “A vó é uma dádiva. Ela não está mais lá, mas está em mim”:

jóias de família como narrativas de afeto. Ponto Urbe, São Paulo, p. 1-8, 2018.

ROCHEDO, Aline. Emoções narradas - entre herança, dádiva e jóias de família.

Etnografías Contemporáneas, San Martin, v.4, p. 63-82, 2018.

SCHNEID, F.; MICHELON, F. Uma proposição metodológica para leitura de fotografias de casamento. Ensinarmode, v.4, p. 69-93, 2020.

STALLYBRASS, Peter. O casaco de Marx: roupas, memória, dor. Belo Horizonte:

Autêntica, 2012.

Downloads

Publicado

2021-10-01

Como Citar

DYCK DOS SANTOS LIMA, T.; DE OLIVEIRA CORRÊA, R. Proposição metodológica de análise de indumentárias como fontes. Revista de Ensino em Artes, Moda e Design, Florianópolis, v. 5, n. 3, p. 320-330, 2021. DOI: 10.5965/25944630532021320. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/20107. Acesso em: 26 out. 2021.